CIDADES

Mato Grosso registra 101.397 casos e 3.040 óbitos por Covid-19

Publicado


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (09.09), 101.397 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.040 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.385 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 101.397 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 14.973 estão em isolamento domiciliar e 82.583 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 273 internações em UTIs públicas e 279 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 67% para UTIs adulto e em 31% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (20.246), Várzea Grande (7.586), Rondonópolis (7.263), Lucas do Rio Verde (4.911), Sorriso (4.651), Tangará da Serra (4.265), Sinop (4.063), Primavera do Leste (3.198), Campo Novo do Parecis (2.226) e Nova Mutum (2.049).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 82.937 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 432 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última terça-feira (08), o Governo Federal confirmou o total de 4.162.073 casos da Covid-19 no Brasil e 127.464 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 126.960 óbitos e 4.147.794 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de quarta-feira (09).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

DOWNLOAD 

  1. Painel Epidemiológico 185
Fonte: AMM

Comentários Facebook
publicidade

CIDADES

Municípios podem aderir ao programa Tempo de Aprender do Ministério da Educação

Publicado


Os estados e municípios têm até esta sexta-feira, 30 de outubro,  para manifestar interesse em aderir ao programa Tempo de Aprender, do Ministério da Educação (MEC). A adesão pode ser realizada pelo site alfabetizacao.mec.gov.br. Os secretários e dirigentes de educação devem preencher um formulário com informações, como CPF e e-mail. A iniciativa é voltada para o aperfeiçoamento de professores e gestores escolares do último ano da pré-escola e do 1º e 2º anos do ensino fundamental.

Quase 4 mil estados e municípios já aderiram ao Tempo de Aprender, lançado no dia 18 de fevereiro pela Secretaria de Alfabetização (Sealf), do MEC. Construído com base na Política Nacional de Alfabetização, o programa é direcionado à aplicação de práticas baseadas em evidências científicas nacionais e estrangeiras.

O Tempo de Aprender é um programa cujo propósito é enfrentar as principais causas das deficiências da alfabetização no país. Entre elas, destacam-se: déficit na formação pedagógica e gerencial de docentes e gestores; falta de materiais e de recursos estruturados para alunos e professores; deficiências no acompanhamento da evolução dos alunos; e baixo incentivo ao desempenho de professores alfabetizadores e de gestores educacionais.

Com o objetivo de melhorar a qualidade da alfabetização, o programa Tempo de Aprender propõe ações estruturadas em quatro eixos:

Eixo 1: Formação continuada de profissionais da alfabetização
Eixo 2: Apoio pedagógico para a alfabetização
Eixo 3: Aprimoramento das avaliações da alfabetização
Eixo 4: Valorização dos profissionais de alfabetização

A Sealf promoveu diversas reuniões por meio de um Grupo de Trabalho no qual participaram a Undime e o Consed, como representantes dos gestores municipais e estaduais da educação. O grupo discutiu amplamente a elaboração de normativos para o programa bem como contribuiu e ainda tem contribuído com o processo.

Curso de formação continuada

 Além da adesão ao programa Tempo de Aprender, que deve ser realizado pelos secretários de Educação, está disponível pelo AvaMEC o curso de formação continuada em práticas de alfabetização. Destinado principalmente a professores, coordenadores pedagógicos, diretores escolares e assistentes de alfabetização, o curso é gratuito e tem duração de 30 horas. Para saber mais acesse: http://alfabetizacao.mec.gov.br/professor-clique-aqui-para-acessar-o-curso-de-formacao-continuada 

 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana