mato grosso

Mato Grosso assina compromisso por bioeconomia em Fórum dos Governadores da Amazônia Legal

Publicados

em

Na 24º edição do Fórum dos Governadores da Amazônia Legal, o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, assinou a carta conjunta na qual os estados firmam o compromisso de promoverem a bioeconomia nos estados. O encontro aconteceu na cidade de Belém (PA) nesta segunda-feira (18.10).

A carta é também um convite para o setor privado nacional e fundos internacionais investirem e incentivarem a bioeconomia na Amazônia. A reunião ocorre em meio ao Fórum Mundial de Bioeconomia, que pela primeira vez ocorre fora da Finlândia.

Durante o encontro, Otaviano Pivetta destacou o compromisso de Mato Grosso com a preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável da Amazônia e dos objetivos do Estado de preservar a floresta em pé.

“Trago a mensagem do Estado de Mato Grosso de que temos a convicção de que estamos no caminho certo. Definimos um plano para a neutralização do carbono no estado. O primeiro objetivo para alcançar a meta é o combate ao desmatamento ilegal. Habitamos um estado que se tornou nos últimos 10 anos o líder brasileiro na produção agrícola, e vamos crescer muito em produtividade sem fazer uso da Amazônia. Cerca de metade do nosso território é Amazônico, e nós queremos dar as mãos aos outros governadores da Amazônia Legal para preservar”, afirma o vice-governador.

O presidente do Consórcio, o governador do Maranhão, Flávio Dino, abriu a reunião contando sobre a função do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal como importante espaço para troca de experiências e avanços no desenvolvimento econômico e social da Amazônia Legal, de maneira harmônica e sustentável. O governador do Pará, Helder Barbalho, foi o anfitrião do evento.

Fazem parte do Consórcio os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O encontro marcou também os preparativos da delegação de secretários que irão participar da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 26), que acontecerá em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro e 12 de novembro de 2021, sob a presidência do Reino Unido. Este é o principal espaço mundial de formação de compromissos multilaterais pelo clima.

Foi assinado ainda um documento para início das tratativas de captação de recursos para a preservação da Amazônia e combate ao desmatamento por meio do Memorando de Entendimento à Cooperação Alemã-GIZ e Emergente (LEAF Coalition), uma coalizão formada pelos Estados Unidos, Reino Unido e Noruega.

Fórum Mundial de Bioeconomia

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) também participa do Fórum Mundial de Bioeconomia, que discute de 18 a 20 de outubro, em Belém (PA), caminhos para o desenvolvimento sustentável com foco nas comunidades que residem na Amazônia, e na preservação da natureza. Líderes, entidades e especialistas, do Brasil e do exterior, debatem propostas voltadas ao desenvolvimento pleno da bioeconomia.

“Belém recebeu este importante evento para discutir modos de preservar a floresta e produzir de modo sustentável. Com a nossa rica biodiversidade, é importante e urgente transformar os ativos ambientais em receita financeira, fortalecer as cadeiras produtivas que preservam e promovam pesquisas para novas tecnologias. É preciso avançar na discussão da Bioeconomia que queremos para a Amazônia”, avalia a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Em Mato Grosso, o incentivo à bioeconomia está diretamente relacionado aos produtos oriundos do uso sustentável da Floresta, como o café, a castanha do Brasil, guaraná, cacau entre outros. Também agregam à meta a eficiência no uso do solo sem abertura de novas áreas de floresta para produzir mais.

Bioeconomia é um modelo de desenvolvimento ligado ao aproveitamento dos recursos naturais aliados a utilização de tecnologias para criação de produtos e serviços mais sustentáveis. Na Amazônia, o potencial de desenvolver novos produtos que dependem da floresta em pé é muito grande, conta a gestora.

“Participei de uma etapa do Fórum Mundial de Bioeconomia representando a Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Estamos falando da manutenção da nossa floresta em pé, das nossas nascentes e aquíferos, e da nossa biodiversidade viva, moeda verde e reflorestamento das áreas degradadas. Esse é o futuro, fazer da floresta um ambiente econômico e saudável para o mundo”, conta o deputado estadual Allan Kardec.

Também fez parte da delegação de Mato Grosso o secretário Executivo da Sema-MT, Alex Marega, e a assessora de Relações Internacionais, Rita Chiletto.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Técnicos da Empaer participam de curso sobre produção de algodão regenerativo em sistemas agroflorestais

Publicados

em


Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) estão participando do curso de capacitação de produção de algodão regenetarivo em sistemas agroflorestais para a Região do Vale do Araguaia. Realizada na cidade de Canarana (a 823 km de Cuiabá), a qualificação tem o objetivo de dar continuidade aos treinamentos dos agentes mutiplicadores do Projeto AGROcotton que visa a agricultura sustentável a produtores familiares do Estado.

Na prática, os técnicos capacitam os produtores para a implementação do sistema agroflorestais com o cultivo do algodão regenetarivo para o ano de 2022, com a possibilidade de extensão do cultivo e da compra para os anos seguintes.

O curso foi dividido em teoria e prática. De segunda-feira a quarta-feira (06 a 08.12), as aulas acontecem no auditório do Sindicato Rural, no centro de Canarana. Na quarta-feira (08), no período da tarde e na quinta-feira (09), será na Unidade Demonstrativa Algodão Regenetativo, no Parque de Exposição Luiz Cancian.

Na programação consta apresentação do Projeto AGROcotton – Algodão Regenetativo e os parceiros envolvidos na iniciativa; Histórico dos sistemas de produção ecológica; Transição Agroecologia e Sistemas Agroflorestais; Princípios e práticas agroeconológicas com ênfase no manejo ecológico do solo; Apresentação de experiências agroecológicas da região;   Fundamentos técnicos dos sistemas agroflorestais e biodiversidade; Intensificação ecológica e econômica através de sistrmas agroflorestais; Planejamento da implantação e da condução das áreas do Projeto; A cultura do algodoeiro e o Uso e produção de bionsumos.

O curso é uma realização da Embrapa, Empaer, Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (Seaf) e Farfarm. Os apoiadores são Sindicato Rural de Canarana, Prefeitura e Câmara Municipal.   

Sobre a Farfarm – É uma empresa brasileira especializada em projetos de supply chain regenerativos. Sua missão é transformar a indústria têxtil no Brasil. Por meio da agrofloresta, ela estabelece cadeias produtivas virtuosas para abastecer o mercado têxtil de matérias-primas genuinamente ecológicas, apoiando pequenos produtores e, portanto, gerando baixo impacto socioambiental.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana