MULHER

Massagem Tântrica: entenda a prática milenar

Publicados

em


source

Alto Astral

Massagem Tântrica: entenda a prática milenar
Reprodução: Alto Astral

Massagem Tântrica: entenda a prática milenar

Você já ouviu falar em massagem tântrica? Essa técnica milenar indiana anda ganhando cada vez mais reconhecimento através das trocas proporcionadas pela internet.

Amplamente conhecida por ser usada pelos casais durante o momento de intimidade, o que muita gente não sabe é que a prática também oferece autoconhecimento . Dessa forma, o sexo tântrico trabalha o fluxo de energia corporal e a manipulação dos chacras, indo muito além dos orgasmos.

Portanto, lembre-se: o tantra vai muito além do sexo e do erótico!

A técnica envolve a transferência de energias entre as partes do corpo, ou seja, além de sair da mesmice do dia a dia ao tentar algo diferente com o(a) parceiro(a), o tantra intensifica cada vez mais a reconexão dos casais .

Outro ponto é que, diferente de uma massagem convencional, a tântrica é feita com toques sutis e mais específicos, proporcionando autoconhecimento e a expansão da sensibilidade. Com isso, ela atua na obtenção de uma forma transformadora no modo de ver a realidade, através de práticas que despertam emoções e sensações de prazer.

Benefícios

De acordo com João Heringer, massoterapeuta tântrico, há diversos fatores positivos ao praticar a técnica, como, por exemplo, a ampliação da capacidade de obter orgasmos e aliviar o estresse . “O corpo tem uma série de terminações nervosas capazes de proporcionar prazer, além do estímulo e manipulação dos chacras. Além disso, o orgasmo libera endorfina que serve também como sedativo e ajuda na contenção dos nervos”, explica.

Ademais, é possível, segundo o especialista, obter um desbloqueio emocional, visto que a massagem e o sexo tântrico podem eliminar pensamentos dolorosos e traumas do passado que são capazes de gerar desequilíbrio nas emoções. Também há um despertar sexual, uma vez que praticantes do sexo e da massagem tântrica usam a energia sexual para fins fora do quarto, aplicando-a, por exemplo, na vida pessoal.

E por ser um ato muito íntimo, a massagem faz com que os indivíduos passem a se conhecer mais, ou seja, há também uma melhora da autoestima .

Malefícios

Segundo o massoterapeuta tântrico, não existem males e nada que atente à saúde, porém, ele desaconselha a prática para pessoas em situações especificas. “A massagem tântrica é desaconselhada em situações em que o corpo não esteja em plenas condições, por exemplo, quando a temperatura corporal está acima de 38 °C. Também é contraindicado a utilização de vibradores na massagem em mulheres gestantes”, alerta.

Você viu?

A massagem tântrica pode incluir a manipulação de órgãos genitais?

Após entender quais são os objetivos dessa massagem, muitas pessoas têm questões em relação à manipulação dos órgãos genitais. De acordo com Heringer, após o início da massagem, depois de sentir o corpo do parceiro estabelecendo uma conexão energética e se entregar ao momento, é possível passar a manusear o órgão genital do(a) parceiro(a).

No caso das mulheres , o estímulo sexual, que leva ao orgasmo, não significa que a massagem ou o sexo tântrico chegou ao fim, pois elas são capazes de terem múltiplos orgasmos durante uma mesma relação. “Essas ondas de prazer estão ligadas à capacidade orgástica dos genitais. Dessa forma, a sexualidade da pessoa se transforma, criando novas experiências em relação ao prazer”, clarifica.

Como criar uma atmosfera para a massagem?

Antes colocar o tantra em prática, o especialista alerta que é de grande importância criar um ambiente que colabore com o ápice da entrega e do envolvimento no momento da massagem tântrica. “Por essa razão, a atmosfera deve ser tratada como prioridade tanto como a contemplação e a intenção”, conta João Heringer.

Sendo assim, confira como criar um clima perfeito para você colocar em prática a massagem tântrica:

Ambiente : deve ser aquele que agrada ambas as partes envolvidas. Comece desenvolvendo um espaço visando o conforto do casal, para se sentirem bem à vontade.

Música : o som é um condutor de emoções que potencializa sensações em todas as situações. Na atmosfera da massagem, a música funciona como segundo pilar. “Crie uma playlist especial e procure focar sempre nesses parâmetros: outro idioma, letras românticas e ritmos alternados”, indica o profissional.

Cheiro : velas aromáticas e incensos aguçam os sentidos, porém é importante se atentar às fragrâncias. Procure saber o que seu(sua) parceiro(a) gosta para que a experiência seja prazerosa para ambos.

Luz : segundo a cromoterapia, cores vermelhas ou alaranjadas tendem a se comunicar com os dois primeiros chacras, que possuem uma ligação com a libido. Invista em uma lâmpada vermelha ou velas nessa tonalidade.

Fonte: João Heringer , massoterapeuta tântrico com formação em Massoterapia, Hipnose e Tantra.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

MULHER

Dia do orgasmo: especialistas dão dicas para chegar ao clímax

Publicados

em


source
58% das mulheres já fingiram orgasmo
iStock

58% das mulheres já fingiram orgasmo

Assim como a personagem Jane Sloan, em “The Bold Type”, muitas mulheres que têm uma vida sexual ativa, mas nunca chegaram ao ápice do prazer. Na série, a personagem trabalha da melhor forma para descobrir o motivo, que pode ter inúmeras razões.

Uma pesquisa de 2019 da ProSex mostrou que 78% das mulheres não se sentem satisfeitas com a vida sexual, sendo que 26,2% não atingem o orgasmo. Um estudo da Archives of Sexual Behavior do mesmo ano mostrou que 58,8% das entrevistadas disseram ter fingido orgasmo alguma vez. 

Além da indignação que rola na roda de amigas quando uma mulher conta que nunca teve um orgasmo, a pressão que ela põe em si mesma também pesa bastante na hora H. Raphaela, 20, corretora, conta que tem sua vida sexual ativa há 7 anos, já tentou  estimular o orgasmo com produtos e não teve resultado. “Já avisei para o parceiro que não conseguia ter um orgasmo, ele tentou ajudar e não funcionou. Fico triste e acho que isso me atrapalha de alguma forma”, diz.

A sexóloga Marcela Maretti, da Share Your Sex, conta essa dificuldade pode ter relação com possíveis traumas, mas isso não é uma regra. “O mais comum é essa dificuldade estar relacionada com o conservadorismo e machismo da nossa sociedade patriarcal, na qual mulheres são ensinadas que o sexo, e principalmente sua vulva, é algo errado, sujo e que não deve ser explorado, o que faz com que muitas delas tenham dificuldade, receio e vergonha em se conhecerem”, explica.

As sensações do orgasmo no corpo durante o orgasmo podem variar. A mais comum é uma contração involuntária seguida de relaxamento. Marlon Mattedi, psicólogo especialista em sexualidade da Sexo Sem Dúvida, conta que é difícil não perceber quando o orgasmo acontece. “É uma sensação de excitação alta, seguida de uma leve perda de controle consciente do organismo. Também ocorre de algumas mulheres não conseguirem interpretar aquilo que está acontecendo como sendo um orgasmo e desta forma, não conseguem identificar”, conta. 

Os especialistas ressaltam que é muito importante encontrar o seu orgasmo e não achar que o que aconteceu com alguma conhecida é muito mais intenso e melhor que o seu. “Orgasmos existem de diversas intensidades e qualidades. Quanto mais alta a excitação, maior tende a ser a percepção do orgasmo”, diz Mattedi. 

Você viu?


Na série mencionada no começo desta reportagem, a personagem Jane Sloan consulta uma sexóloga e tenta práticas diferentes de estimulação. Depois disso ela consegue atingir o orgasmo durante uma relação. Quando se trata de orgasmo, conhecer o seu próprio corpo e se permitir sentir prazer é unanimidade entre os especialistas. Isso não é tão simples para muitas mulheres, então, eles dão as dicas.

“Não foque logo de cara na vulva e no clitóris. A mulher demora pelo menos 16 minutos para começar a se excitar, então é importante ter calma e curtir o momento”, explica Maretti. A sexóloga indica colocar uma música, tomar um banho relaxante, se acariciar em outras partes como seios, pernas e pescoço. 

“Quando partir para a masturbação em si, começar devagar e depois experimentando movimentos diferentes e mais intensos. Também é importante lembrar que fica mais fácil atingir o orgasmo se você se sente segura e confortável, então procure um lugar com privacidade e que se sinta bem”, ressalta a sexóloga.

Mattedi também indicar ler materiais que abordem o assunto com dicas para alcançar o clímax. O psicólogo lembra que é importante não ficar concentrada apenas na estimulação do pênis na vagina em caso de relação com penetração. “O corpo inteiro sendo bem estimulado, facilita excitação e os orgasmos”, diz.  “Se mesmo com tudo isso ainda estiver difícil, busque um(a) especialista em sexualidade para verificar o que está impedindo”, aconselha. 

Ser gentil com o seu corpo e não se cobrar é importante para se sentir mais confortável e criar mais possibilidades de um orgasmo. “Procure explorar com curiosidade e gentileza seu corpo e as sensações causadas por essa exploração. É comum esse processo de autoconhecimento envolver ansiedade, culpa e até mesmo vergonha, mas é importante reforçar que não há nada de errado e é saudável pensando pelo aspecto da saúde sexual e ginecológica da mulher”, conclui.

Caso sinta dor ou desconforto durante a relação sexual e masturbação, o indicado é procurar um profissional para ajudar. Nesses casos, a dor indica que algo está errado. Alguns produtos podem ajudar nesse processo de exploração e descobrimento do prazer. Confira as sugestões da Exclusiva Sex! 

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana