economia

Malha fina do IR pega 869.302 contribuintes; veja o que fazer se for o seu caso

Publicados

em


source
Declarações com inconsistências precisam ser corrigidas pelo cidadão
Fernanda Capelli

Declarações com inconsistências precisam ser corrigidas pelo cidadão

A Receita Federal informou nesta quinta-feira (30) que 869.302 contribuintes caíram na malha fina do Imposto de Renda 2021. Agora, as declarações com inconsistências precisam ser corrigidas pelo cidadão.

Hoje a Receita paga o último lote das restituições. No total foram entregues 36.868.780 declarações este ano, destas, 2,4% ficou retida na malha fina.

A Receita informou os principais motivos de retenção na malha:

  • 41,4% – omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual (de titulares e dependentes declarados);
  • 30,9% – deduções da base de cálculo (principal motivo de dedução – despesas médicas);
  • 20,0% – divergências no valor de IRRF entre o que consta em Dirf e o que foi declarado pela pessoa física;
  • 7,7% motivados por deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados, e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão e/ou imposto complementar.

Como consultar

Se o contribuinte quer saber se foi pego na malha fina, basta entrar na  página da Receita  ou no aplicativo e informar CPF e a data de nascimento. Depois no chamado e-CAC (Centro Virtual de Atendimento) acesse o “extrato” do Imposto de Renda.

Se você estiver na malha fina, tem três opções:

Leia Também

  1. Corrigir a declaração por meio da Declaração retificadora;
  2. Aguardar comunicado da Receita Federal para explicar a pendência;
  3. Apresentar, de forma virtual, todos os comprovantes e documentos que atestam os valores declarados e apontados como pendência no Extrato.

“A apresentação dos documentos, neste caso, é de inteira responsabilidade do contribuinte, que poderá ainda assim ser intimado ou receber uma notificação de lançamento da Receita Federal”, informa o fisco.


Comentários Facebook
Propaganda

economia

Governo quer propor alternativa para reduzir preço de combustíveis

Publicados

em


source
Frentista abastecendo carro em posto de combustíveis
Reprodução: ACidade ON

Frentista abastecendo carro em posto de combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro discute com parlamentares medidas para reduzir o preço de combustíveis e de energie elétrica, dois fatores que se tornaram dor de cabeça para o Palácio do Planalto em ano de eleição e que pressionam a inflação.

A medida que está em discussão seria feita por meio de uma proposta de emenda à Constituição (PEC). Até agora, o que se avalia possível fazer é reduzir ou até mesmo zerar impostos federais sobre a gasolina, o diesel e a energia elétrica em momentos de crise ou de turbulência.

Outra alternativa em debate é a criação de um fundo para aliviar a pressão gerada pela alta de preços.

A questão dos combustíveis virou uma bandeira política do presidente Jair Bolsonaro. Em fevereiro, o produto já deve sofrer o impacto da decisão dos governadores, que decidiram descongelar o valor do ICMS que incide sobre o produto.

Além disso, nesta semana o barril do petróleo alcançou o maior patamar desde 2014 e já há expectativa no mercado financeiro de que alcance os US$ 100.

Auxiliares de Bolsonaro que trabalham no assunto afirmam que o objetivo é que a proposta comece a tramitar a partir do início de fevereiro, na volta do recesso parlamentar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana