POLÍCIA

Maior batalhão da Polícia Militar celebra 34 anos atendendo mais de 100 bairros na Capital

Publicados

em


O 34 º aniversário do 3º Batalhão de Polícia Militar foi realizado na sede da unidade da PM, na tarde de quinta-feira (17.06), no bairro CPA IV, em Cuiabá. Na solenidade, os policiais celebraram os números expressivos de produtividade, ações sociais e a parceria com a comunidade e instituições privadas que apoiam as ações do maior Batalhão da PMMT. 

Sediado no bairro CPA IV, o 3º Batalhão compõe o 1º Comando Regional e atende mais de 100 bairros e nove comunidades rurais com policiamento ostensivo, rondas comerciais e patrulhamento todos os dias nesta região. Os policiais que pertencem a unidade aniversariante foram homenageados pelo Comando Geral da PM, parlamentares e lideranças comunitárias pelos grandes serviços prestados.

O comandante-geral da PM, coronel Jonildo José de Assis, presidiu a cerimônia restrita que contou com a presença de autoridades militares e civis. Coronel Assis destacou a produtividade do 3º BPM para garantir a segurança dos mais de 130 mil habitantes da área onde atua a unidade.

“A produção desta unidade é acima da média, somente este ano, foram mais de 800 ocorrências registradas pelo 3º Batalhão. Cerca de 573 pessoas foram conduzidas à delegacia, 256 suspeitos foram presos em flagrante. Vinte armas de fogo foram retiradas de circulação e mais de 50 kg de drogas apreendidos; um aumento de quase 300 % em relação ao mesmo período do ano passado. 

O comandante do 3º Batalhão, tenente-coronel Fernando Augustinho conta que a equipe atua nas ruas firmemente contra a criminalidade, mas também realiza importantes ações sociais, como projetos preventivos de segurança pública. 

Tenente-coronel Fernando destacou ainda importantes parcerias como a PM que engradecem projetos sociais como a iniciativa “Pulso forte, coração solidário”, que ajuda famílias que passam por dificuldades, por meio de parcerias com comerciantes locais.  A expectativa da unidade agora é a construção da piscina olímpica que conta com o apoio financeiro do deputado estadual Eduardo Botelho e da academia de boxe que vão atender a pessoas carentes através de projetos sociais de inclusão e cidadania. 

Durante as comemorações, o comando do 3º Batalhão homenageou policiais de todas as suas unidades com um presente personalizado, que remetem à logomarca e ações de polícia. Além de autoridades militares como o comandante-adjunto da PM, coronel Daniel Lipi Alvarenga, o subchefe do Estado-Maior Geral, coronel Carlos Eduardo Pinheiro, o secretário-adjunto de integração operacional da Sesp, Victor Paulo Fortes, a corregedora-geral da PMMT, coronel Francyanne Siqueira Chaves Lacerda, entre outros, a solenidade contou com a presença do deputado estadual Eduardo Botelho, do juiz de direito Marcos Faleiros da 11º Vara Criminal e Especializada da Justiça Militar, da vereadora Michelly Alencar e diversos presidentes dos conselhos comunitários.  

A solenidade contou com um número restrito de convidados, que adotaram todas as medidas de biossegurança como uso de máscara, uso de álcool em gel e distanciamento social, para prevenir a Covid-19.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Justiça mantém demissão de secretários da Prefeitura de Cuiabá. Grupo é investigado por suspeita de desviar R$ 100 milhões

Publicados

em

A contratação de empresas fantasmas usadas para desviar mais de R$ 100 milhões da Saúde foi o motivo para a Justiça determinar  demissão dos secretários da prefeitura de Cuiabá, Célio Rodrigues da Silva, da Saúde e Alexandre Beloto Magalhães de Andrade, de Gestão,  sexta-feira (30/07). Segundo relatório técnico que o juiz da 5ª Vara Federal, Jeferson Schneider, teve acesso e se baseou para deflagrar a intitulada “Operação Curare” da Polícia Federal, só uma das empresas, Vip Serviços Médicos, foi contratada por R$ 4 milhões, de forma emergencial (sem licitação) para prestar serviços médicos na modalidade de terapia intensiva, mas investigações apontam que a empresa não prestou os serviços.

A empresa seria responsável pelo fornecimento de medicamentos, mão de obra, materiais médico-hospitalares e insumos para atender 20 leitos covid na UTI IV. “Contudo de acordo com o relatório de fiscalização, não houve qualquer mensuração sobre a referida empresa por parte do responsável técnico e das pessoas contratadas, as quais, ao prestarem esclarecimentos, informaram que trabalhavam para a empresa Hipermed Serviços Médicos & Hospitalares S.A., o que, conforme a autoridade representante, indica a subcontratação total ou mesmo a atuação como “testa de ferro” da empresa contratada”, diz parte do documento assinado por Jeferson.

O relatório ainda aponta que a empresa Vip Serviços Médicos não possui responsável técnico de UTI registrado no Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) cometendo assim uma infração e não estaria apta a assumir nenhum leito de UTI.

Ficou apurado também que os medicamentos e insumos fornecidos pela Vip eram provenientes da empresa Hipermed, aparentemente subcontratado. A empresa também não possui autorização para desenvolver atividades de compras de medicamentos e insumos farmacêuticos.

O contrato de R$ 4.008.000, 00 milhões foi firmado entre a Empresa Cuiabana de Saúde Pública e foi assinado pelo atual secretário Célio Rodrigues da Silva, Alexandre Beloto Magalhães de Andrade representante da unidade hospitalar e por Douglas Castro proprietário da Vip Serviços Médicos.

Caracterizando ainda um possível esquema de “laranja” foi investigado que a Vip foi constituída no ano de 2017, com sede na Rua Cândido Mariano, região central da capital, mas durante a fiscalização foi identificado que o imóvel está abandonado há pelo menos 3 anos.

Operação PF

A Polícia Federal continua trabalhando para desarticular a organização criminosa investigada pelo envolvimento em fraudes a contratações emergenciais e recebimento de recursos públicos a título “indenizatório”, em ambos os casos sem licitação. A atuação do grupo se concentra na prestação de serviços especializados em saúde no âmbito do Município de Cuiabá/MT, especialmente em relação ao gerenciamento de leitos de unidade de terapia intensiva exclusivos para o tratamento de pacientes acometidos pela COVID-19.

Entretanto, as contratações emergenciais e os pagamentos “indenizatórios” abarcam serviços variados como a realização de plantões médicos, disponibilização de profissionais de saúde, sobreaviso de especialidades médicas, comodato de equipamentos de diagnóstico por imagem, transporte de pacientes etc.

As empresas investigadas fornecem orçamentos de suporte em simulacros de procedimentos de compra emergencial, como se fossem concorrentes. Contudo, a investigação demonstrou a existência de subcontratações entre as pessoas jurídicas, que, em alguns casos, não passam de sociedades empresariais de fachada.

 

Com informações da Gazeta Digital

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana