POLÍTICA NACIONAL

Maia vê “guinada” do DEM à extrema-direita e cogita ida a sigla de oposição

Publicados

em


source
Saída pela esquerda? Maia lamentou escolha do DEM e não descarta virar
Agência Brasil

Saída pela esquerda? Maia lamentou escolha do DEM e não descarta virar “oposição”

O “racha” no DEM causado pela decisão do presidente do partido, ACM Neto, de não fechar com o bloco de apoio ao deputado federal Baleia Rossi na disputa pela presidência da Câmara, o que acabou definindo a vitória de Arthur Lira no pleito, segue sendo tema de discussões. Em entrevista,  Rodrigo Maia não poupou críticas ao “amigo de 20 anos” e lamentou guinada à extrema-direita feita pelo partido.

“Não tenho mais como participar porque não acredito que esse governo tenha um projeto, primeiro, democrático e, segundo, de país. Continuo dizendo que o governo é um deserto de ideias. O DEM decidiu por um caminho, voltando a ser de extrema-direita, que é ser um aliado do Bolsonaro”, afirmou Maia, em entrevista ao Valor Econômico.

Questionado sobre qual sigla pretende abraçar se cumprir a ameaça de deixar o Democratas após a mudança de postura, o deputado se esquivou e disse apenas que será “oposição ao presidente Bolsonaro “. Além disso, ressaltou que tal guinada deve acabar afastando do partido um dos possíveis nomes para a disputa da corrida presidencial: Luciano Huck.

“Se decidisse ser candidato, estava 90% resolvido que se filiaria ao DEM . Para mim, é uma candidatura mais de centro-direita. Claro, pelo setor em que ele trabalha, é mais de esquerda. Mas na economia ele com certeza é um liberal, pensa em menos intervenção do Estado. O espaço político que tem para ele entrar é do centro para centro-direita”, finalizou Maia .

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Câmara conclui discussão de projeto sobre pedágios; votação será na manhã desta quinta

Publicados

em


Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Plenário - Sessão Deliberativa
Sessão do Plenário da Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados encerrou a discussão do Projeto de Lei 886/21, do Senado, que estabelece regras gerais para a implantação do sistema de livre passagem na cobrança de pedágios em rodovias e vias urbanas. Por acordo entre os líderes, a votação ficou para esta quinta-feira (6), em sessão marcada para as 9h30.

O texto é um substitutivo dos senadores para o PL 1023/11, aprovado pelos deputados em 2013 e que concedia isenção de pedágio para moradores das cidades onde estão as praças de cobrança.

Enquanto a redação aprovada naquela ocasião remetia o custo da isenção à revisão de tarifa para os demais usuários, o projeto do Senado cria um sistema de cobrança proporcional aos quilômetros rodados na rodovia ou rua pedagiada.

Para isso, deve ser usado sistema de reconhecimento visual automático de placas (Reconhecimento Óptico de Caracteres – OCR) ou identificação de chips instalados na licença do veículo por meio de rádio (Identificação por Radiofrequência – RFID).

Deputados da oposição pretendem votar o texto da Câmara ou acolher pontos do texto do Senado.

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana