BRASIL E MUNDO

Mãe de jovem morta a facadas no RJ fala: “Queria que nada mal acontecesse”

Publicados

em


source
Vitórya Melissa Motta, de 22 anos, morta a facadas por colega de curso
Reprodução

Vitórya Melissa Motta, de 22 anos, morta a facadas por colega de curso

Márcia Maria Mota ainda se lembra da cena que viu no Plaza Shopping, em Niterói, em 2 de julho deste ano. Havia ido ao local encontrar a filha, Vitórya Melissa Mota, na cafeteria onde a jovem trabalhava, após sucessivos convites frustrados. A confusão no dia, perto do horário do almoço, chamou sua atenção. Uma fita amarela isolava um trecho do segundo piso, encharcado de sangue. Ainda em busca da filha, Márcia foi informada pela gerente da cafeteria o que havia acontecido: Vitórya, de 22 anos, tinha sido esfaqueada por um homem. Era dela o sangue no chão. Nesta segunda-feira, dia 2, será realizada a primeira audiência do julgamento do caso, na 3ª Vara Criminal do Fórum de Niterói. O réu, Matheus dos Santos da Silva, de 21 anos, teria esfaqueado a vítima devido a um “amor não correspondido”.

Dois meses depois da morte da filha, a dona de casa de 53 anos ainda não conseguiu superar o trauma. Passa a maior parte do dia com o celular de Vitórya nas mãos, assistindo a vídeos e vendo fotos da jovem. Estudante de um curso de Auxiliar de Enfermagem, Vitórya gostava de cantar — tinha aprendido inglês e exercitava o idioma com as músicas.

Márcia carrega, ela mesma, os traumas de um relacionamento abusivo. Foi vítima de agressão física no primeiro casamento, quando morava em Laguna, Santa Catarina, onde nasceu. Abandonou o agressor e a cidade natal e veio para o Rio. A violência, contudo, acabou atingindo a filha mais velha do segundo relacionamento.

“Na semana em que ela se foi, senti que estava incomodada. Perguntei o que estava acontecendo. Ela me contou que esse Matheus estava lhe importunando, ficava colado nela. Eu falei que podia ir no curso, falar com a direção, mas ela me disse que resolveria do seu jeito. Eu sofri muito com a violência doméstica, não queria que nada de mal acontecesse com ela”, conta Márcia, sem conter as lágrimas.

Uma colega de Vitórya, que pediu para não ser identificada, contou que o agressor disse que estava apaixonado pela amiga. Em 30 de maio, aniversário da vítima, tentou presenteá-la com dois livros, mas ela se esquivou. Matheus, no dia do crime, atingiu a jovem com oito golpes de uma faca comprada minutos antes no shopping. Ele está preso no Instituto Penal Ismael Pereira Sirieiro, em Niterói.

A defesa do acusado entrou com um pedido de que um laudo de insanidade mental fosse produzido. A juíza da 3ª Vara Criminal de Niterói, Nearis dos Santos Carvalho Arce, porém, não autorizou o exame. Num trecho da decisão, fundamenta que “não há nos autos qualquer indício de que o réu seja acometido de distúrbio psiquiátrico”.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Cumbre Vieja: vulcão entra em etapa ‘efusiva’ e tendência é de fortes explosões

Publicados

em


source
Cumbre Vieja: vulcão entra em etapa 'efusiva' e tendência é de fortes explosões
Reprodução: Redes Sociais

Cumbre Vieja: vulcão entra em etapa ‘efusiva’ e tendência é de fortes explosões

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma , entrou nesta terça-feira (28) em uma nova fase conhecida como “efusiva”, capaz de provocar fortes explosões. Um grande fluxo de lava que desce do cone principal por meio de caminhos abertos anteriormente pelo magma também está em formação, após um dia em que a atividade vulcânica cessou por horas desde a sua erupção, há nove dias.

Segundo o Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan), o Cumbre Vieja está gerando ondas de gravidade na atmosfera. As autoridades apontam que a lava deve chegar ao oceano dentro de algumas horas. Especialistas afirmaram que as cinzas expelidas já afetam o fundo do mar.

Mais de 1 mil casas atingidas

O magma destruiu até o momento 589 casas e atingiu parcilamente cerca de 700 outras, cobrindo uma área de 258 hectares, conforme dados divulgados hoje pelo programa Copernicus. O governo dará 10,5 milhões de euros para as Ilhas Canárias, dos quais aproximadamente metade será destinada à aquisição de 107 residências para famílias afetadas. O resto contemplará a compra de itens de necessidade básica.


De acordo com o porta-voz do Involcan, David Calvo, na nova fase do vulcão a tendência é que ocorram menos explosões, mas com uma lava mais fluida e veloz, classificada como “havaiana”. Desde a última madrugada, o Cumbre Vieja passou a expelir lava sem parar, o que tende a facilitar a chegada do magma ao mar.

Leia Também

Nesta segunda-feira,  o Cumbre Vieja voltou a lançar cinzas e lava após duas horas de calmaria. A nova atividade sísmica foi registrada no fim da manhã com uma grande coluna de fumaça expelida e acompanhada de explosões esporádicas. O comitê científico do Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias (Pevolca) se reuniu para analisar os últimos acontecimentos em torno do vulcão, depois que os especialistas haviam detectado uma queda do tremor até o ponto de “quase desaparecer”.


Fumaça chegou na Europa

A nuvem de fumaça que sai do Cumbre Vieja chegou neste domingo à Europa. Imagens de satélite mostraram as emissões provenientes da erupção sobre os territórios da Espanha e da França. O prognóstico é que a emissão de dióxido de enxofre atinja o Ártico ainda nesta terça-feira.

O Involcan calcula que o vulcão tenha emitido entre 8.000 e 10.500 toneladas de gás tóxico por dia. No entanto, apesar da quantidade elevada, as emissões do vulcão foram levadas por correntes de vento em camadas superiores da atmosfera.

O Cumbre Vieja entrou em atividade no último domingo, o que não acontecia desde 1971.  De acordo com o Involcan, a erupção do vulcão Cumbre Vieja pode durar de 24 a 84 dias. A projeção leva em conta dados sobre explosões anteriores na ilha de La Palma. A média de duração do fenômeno é de 55 dias.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana