cultura

Livro contemplado no MT Nascentes traz reflexão sobre sentimentos de adolescentes que vivem em casas lares

Publicados

em

Uma menina de 12 anos, que vive em um abrigo institucional, é afastada do convívio com a família. Ela tem um forte desejo de ter um lar, e narra seus sentimentos e a necessidade de afeto, comum entre as crianças e adolescentes que vivem em casas de acolhimento. A partir do olhar delicado e puro da personagem, o conto “Fábrica de Palavras”, selecionado no Edital MT Nascentes, propõe uma reflexão e empatia sobre a experiência das pessoas que sofreram violência e/ou negligência doméstica. A obra será lançada em evento virtual, neste domingo (26.09), às 18h, com transmissão pelo youtube do Teatro Experimental de Alta Floresta (Teaf).

Escrito por Ronaldo Adriano e ilustrado pelo artista Fernando Aparecido Nunes, o livro é uma produção cultural proveniente da Lei Aldir Blanc. A obra tem 28 páginas, e tem uma linguagem voltada para adolescentes a partir de 12 anos. “Eu tinha um desejo pessoal de falar sobre essa temática, e usei várias referências para escrever, como a música O amor torna tudo novo de novo”, explica o escritor Ronaldo Adriano, que também é ator, diretor, membro do Teaf. O conto “Fábrica de Palavras” também inspira um curta-metragem, dirigido por Ronaldo, que deve ser lançado até o final deste ano.

Como forma de incentivar o debate e conhecimento sobre a temática, 800 exemplares do livro serão distribuídos para a Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça e bibliotecas comunitárias. Além disso, duas instituições de Alta Floresta, que se dedicam a abrigar crianças e adolescentes em situação de abandono ou vítimas de violência doméstica, receberão 320 livros para serem usados na arrecadação de fundos. Para o público geral, serão comercializados a preços acessíveis.

MT Nascentes

O MT Nascentes é o mais abrangente edital resultante da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso, contemplando praticamente todas as áreas, segmentos e linguagens artísticas e culturais. Artes cênicas e visuais, literatura, música, artesanato, patrimônio histórico, infância e culturas de matrizes africanas, urbanas e LGBTIA+ foram acolhidas na seleção pública, que alcança ainda ações formativas, bibliotecas comunitárias e produções audiovisuais.

Com R$ 16,35 milhões para atender 445 projetos, o edital recebeu quase 1.200 inscrições. A maior parte das propostas puderam ser apresentadas na categoria demanda livre, ou seja, o formato de execução foi definido pelo próprio proponente. Nesses casos, só precisavam ter relação direta com a manifestação artística referenciada na categoria disputada.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Nove artistas mato-grossenses participam do 14º Salão do Artesanato em Brasília

Publicados

em

Nove artesãos mato-grossenses vão participar do 14º Salão de Artesanato – Raízes Brasileiras, que ocorre de 27 a 31 de outubro, na arena de eventos do Pátio Brasil Shopping, em Brasília (DF). Eles serão acompanhados pela equipe do programa de Artesanato Mato Grosso, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT).

O grupo levará até a Capital Federal peças com referências culturais do Estado. Dentre as mais conhecidas estão móveis entalhados em madeira e artigos produzidos por comunidades indígenas.

Os artesãos do Estado vão se juntar aos cerca de 500 artesãos de todas as unidades da federação que participarão de um dos maiores eventos do setor, no País.

O estande de artesanato mato-grossense vai contar com a presença de um artista indígena. Além de artesãos de Cuiabá (1), Várzea Grande (4), São José do Rio Claro(2), Barra do Bugres(1) e Canarana (1). Entretanto, os trabalhos apresentados durante o evento são de artesãos de 12 municípios diferentes.

Neste ano, a novidade do evento é o espaço “Saber Fazer”, no qual três mestres artesãos de Mato Grosso vão produzir peças durante o horário de realização do Salão. O artista Alexandre Paes de Oliveira vai esculpir violas de cocho e as tecedeiras, Lucineide Antônia Pereira e Joilsen Pereira Oliveira, vão confeccionar, no tear, as famosas redes da comunidade de Limpo Grande.

Esta é a primeira vez que o Salão terá rodada de negócios presencial e virtual, com lojistas nacionais e internacionais.

A edição de 2021 tem um significado importante para os artesãos brasileiros porque marca a retomada das atividades comerciais pós-pandemia. Já que esses profissionais deixaram de expor e comercializar suas peças em feiras, desde março de 2019, devido às restrições decorrentes da pandemia da covid-19.

O 14º Salão do Artesanato funcionará de quarta-feira a domingo, das 10h às 22h. A entrada é franca.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana