GERAL

Jogadores de futebol chegam ao Brasil vindos da Ucrânia

Publicados

em


Chegaram ao Brasil na manhã de hoje (1) os jogadores de futebol Pedrinho e Maycon, que atuam no time Shakhtar Donetsk, da Ucrània. Os dois tentavam sair do país desde o início dos ataques das tropas da  Rússia. Eles desembarcaram no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP).

Maycon expressou o alívio por chegar ao país natal, junto com sua família. “Graças a Deus. Foram momentos difíceis com muitas famílias. É um momento de alívio e felicidade poder encontrar todos. Os meninos [outros jogadores que ainda estão na Ucrânia] vão conseguir chegar bem também”, disse.

Maycon disse que o aviso da Embaixada do Brasil sobre o trem que sairia da Ucrânia foi dado com pouca antecedência, o que gerou uma corrida contra o tempo para reunir as famílias. “A embaixada deu a opção de um trem, e no desespero decidimos sair rápido. Esse trem sairia às 16h e já eram 15h, então tivemos que acelerar todo mundo com criança com tudo e conseguimos chegar. Depois de 17 horas de trem e mais umas 15 horas de ônibus conseguimos passar a fronteira da Moldávia e depois a Romênia”, disse.

Segundo o jogador, quando todos estavam dentro do bunker (abrigo subterrâneo) não era possível ouvir todos os ruídos, mas quando era necessário sair, os ruídos se evidenciavam. “É um alívio ver a família, mas estou angustiado porque tem muita gente lá ainda. Éramos 40 brasileiros e dois uruguaios. Tem muito brasileiro lá ainda e cada vez está pior e mais perigoso. Não sei o que vai ser”.

Pedrinho disse que não acreditava mais que conseguiria sair do país, já que o hotel onde estavam alojados fica no centro de Kiev, capital da Ucrânia, e onde as tropas russas já avançavam. “Eu não via mais saída para nós porque falavam que já estava ao redor. Eu tinha muito medo da minha família não sair bem. Meu medo era não conseguir sair de lá e não poder ficar por muito tempo”, disse.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Propaganda

GERAL

Carro explode durante abastecimento em posto de São Pedro da Aldeia

Publicados

em

A explosão de um carro enquanto era abastecido com gás natural veicular (GNV), nesta manhã (11), deixou três feridos em São Pedro da Aldeia (RJ), na Região dos Lagos. O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro informou que foi acionado por volta de 12h. Duas pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para o pronto-socorro do município.

O carro ficou completamente destruído. A estrutura do posto de combustíveis também foi bastante abalada. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma das vítimas é o dono do veículo, de 28 anos. Ele sofreu laceração de crânio e rosto. O outro, um frentista de 21 anos, teve as duas pernas amputadas. Ambos estão internados.

De acordo com a prefeitura de São Pedro da Aldeia, a Guarda Civil Municipal e a Defesa Civil realizaram o isolamento do perímetro após a explosão. Uma perícia para apurar as causas do acidente está sendo realizada pela Polícia Civil.

Esta é a segunda ocorrência similar em pouco mais de duas semanas no estado do Rio de Janeiro. No dia 26 de julho, outro carro explodiu enquanto estava sendo abastecido com GNV em um posto de combustíveis na zona norte da capital fluminense, deixando uma mulher ferida e causando a morte de um homem.

Fiscalização

Procurada pela Agência Brasil, a concessionária Naturgy informou que é responsável apenas pelo fornecimento do GNV. A fiscalização das instalações de postos de combustíveis é atribuição da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), órgão regulatório vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME). No caso do GNV, há um limite de pressão máxima de abastecimento. O descumprimento pode levar à autuação do posto.

Por outro lado, a ANP não tem atribuição legal para atuar caso a explosão esteja relacionada com a má conservação, instalação ou manutenção do kit GNV do veículo. As oficinas que realizam o serviço precisam ser credenciadas pelo Inmetro, autarquia federal vinculado ao Ministério da Economia. É possível consultar pela internet a lista de estabelecimentos regulares.

Segundo a orientação do Inmetro, o kit GNV deve passar por uma manutenção anual. A não realização do serviço ou sua realização em oficinas não credenciadas aumentam os riscos de uma explosão.

Também é recomendado que, durante os abastecimentos, motoristas e passageiros saiam do carro e se posicionem à sua frente. Veículos que estiverem aguardando atendimento devem ser mantidos a uma distância segura daqueles que estiverem sendo abastecidos.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana