BRASIL E MUNDO

Itamaraty declara que não é fonte da fala de Bolsonaro sobre ‘guerra química’

Publicados

em


source
Bolsonaro ssugeriu que a pandemia trata-se de uma
Agência Brasil

Bolsonaro ssugeriu que a pandemia trata-se de uma “guerra química, bacteriológica e radiológica”

O ministério das Relações Exteriores, através do comandante da pasta, Carlos França, respondeu a uma solicitação da CPI da Covid e afirmou que não foi a fonte de informação utilizada pelo presidente Jair Bolsonaro para sugerir que a pandemia de covid-19 poderia se tratar de uma “guerra química, bacteriológica e radiológica.”

A fala ocorreu no último dia 05 de maio, em discurso no Palácio do Planalto. No púlpito, Bolsonaro disse que “ninguém sabe” a origem do novo coronavírus e levantou a hipótese de uma “guerra química” ao fazer uma referência indireta à China – principal parceiro econômico do Brasil e fornecedor de insumos farmacêuicos para a realização de vacinas.

“É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu seu PIB? Não vou dizer para vocês”, falou o presidente. O país que registrou o maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no ano passado foi a China.

O Ministério das Relações Exteriores, então, encaminhou o seguinte ofício à comissão parlamentar de inquérito.

“Este ministério não produziu ou forneceu informação ‘sobre a possibilidade de estar em curso uma guerra não declarada, promovida por nação estrangeira, por meio de guerra química, bacteriológica e radiológica’.”

Ainda não houve resposta por parte da Abin disponibilizada pelo Senado Federal.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

VÍDEO: homem põe fogo na casa da ex com ela e o filho do casal dentro no RJ

Publicados

em


source
Damião Lucas Matias de Moraes, de 28 anos, foi preso por tentativa de feminicídio
Divulgação

Damião Lucas Matias de Moraes, de 28 anos, foi preso por tentativa de feminicídio

Um homem identificado como Damião Lucas Matias de Moraes, de 28 anos, nesta terça-feira (27), colocou fogo na casa da ex-companheira com ela e o filho do casal dentro, em Imbiriê, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (RJ). A vítima registrou na câmera do celular o momento que ele começa a ação. Veja abaixo. O homem foi preso na última terça-feira (26) por tentativa de feminicídio.

A vítima relatou ao delegado Marcos Santana Gomes, titular da 62ªDP (Imbariê), que Damião, por não aceitar o término do relacionamento, que ocorreu há cerca de um mês, vinha lhe ameaçando através de áudios dizendo que iria queimá-la viva.

“No dia do crime ele entrou na casa com um galão de gasolina, obrigou a vítima a sentar no sofá da sala e lançou o combustível no cômodo e ateou fogo no sofá embebido de gasolina”, disse o delegado.

A jovem de 23 anos gravou o momento em que ele começa a execução do crime. Na gravação, a qual O DIA teve acesso, ela faz menção ao filho que estava em casa e o cheiro de gasolina derramada no local.

“Não tem volta, tá decidido”, iniciou Damião. “Precisa fazer isso?”, questionou ela. “Você não tem ninguém mais. Eu não tenho família”, disse o homem. “Aí você vai fazer isso comigo e com teu filho? Olha o cheiro, você vai acabar botando fogo na casa, cara. Para com isso”, pediu a vítima.

A perícia concluiu que Damião arrombou a porta para entrar na casa e que o foco do incêndio é o sofá, local onde a vítima ficou sentada a mando do homem.

De acordo com a polícia, a jovem sofreu algumas queimaduras e disse que só escapou com a ajuda de vizinhos, que viram a casa pegando fogo. A criança, de 2 anos, que estava dormindo no quarto, não se feriu. O caso está sendo investigado pela 62ªDP (Imbariê).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana