BRASIL E MUNDO

Investimentos de R$ 10,9 milhões em obras de infraestrutura turística

Publicados

em


Belezas naturais e praias paradisíacas com águas calmas, cristalinas e aquecidas. O estado de Alagoas possui um dos cenários mais lindos do país. Para impulsionar ainda mais a visitação e promover a região, o Ministério do Turismo investirá R$ 10,9 milhões em obras de infraestrutura turística no estado de Alagoas, especificamente em três cidades: Maragogi, Marechal Deodoro e Piranhas.

O secretário Nacional de Infraestrutura Turística, Vicente Alves, destaca o compromisso da pasta em apoiar o desenvolvimento do potencial turístico em todo o país. “O Ministério do Turismo não mede esforços para aumentar o potencial turístico por meio de melhorias na infraestrutura das cidades brasileiras. Sem dúvida, os investimentos que pactuamos junto às cidades alagoanas irão beneficiar a população residente e oferecer melhores experiências aos turistas que visitam estas localidades.”

Recursos

Maragogi, conhecida por muitos como “o Caribe brasileiro” é o segundo destino mais visitado no estado de Alagoas, ficando atrás apenas da capital Maceió. Lá, o Ministério do Turismo apoiará a construção de um Centro de Convenções, com investimento de R$ 5,3 milhões. Com melhorias na infraestrutura turística, a ideia é posicionar a cidade como destino para grandes eventos, incluindo ambientais, culturais, esportivos e náuticos. Ao lado da capital e outras quatro cidades alagoanas, Maragogi integra a rota turística “Maceió e Costa dos Corais”.

Já o município de Marechal Deodoro receberá obras de urbanização da Orla Lagunar da Massagueira, orçadas em R$ 493,1 mil. O objetivo é proporcionar um ponto turístico com infraestrutura adequada para lazer da população residente e visitantes, com área de convivência, calçadas e playground, junto ao polo gastronômico local. E, dessa forma, estimular o comércio e a geração de emprego e renda para a região.

Localizada no sertão do estado de Alagoas, a cidade de Piranhas contará com investimento de R$ 5,1 milhões do Ministério do Turismo. Para a reforma e revitalização da orla ribeirinha do rio São Francisco, em Piranhas, estão previstos R$ 3,1 milhões. As obras de infraestrutura urbana vão desde a construção de calçadão até a iluminação, contribuindo para a dinamização das atividades econômicas do município.

Já a construção do Centro de Atendimento ao Turista em Piranhas contará com R$ 2 milhões. A ideia é que o espaço possa ajudar turistas a conhecer e explorar o potencial turístico da cidade, que reúne belos mirantes ao longo da orla, comidas e danças típicas, além de passeios pelos cânions e Rota do Cangaço.

Com informações do Ministério do Turismo

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Auxílio aluguel para moradores de áreas de risco será R$ 600 em São Paulo

Publicados

em


source
Desabamento em Paraisópolis em outubro de 2021
Divulgação/ Corpo de Bombeiros

Desabamento em Paraisópolis em outubro de 2021


O valor do auxílio aluguel pago pela Prefeitura de São Paulo vai passar de R$ 400 para R$ 600 num período máximo de 18 meses. O benefício será para pessoas que residem em áreas de alto risco em intervenções ou obras realizadas pela própria administração municipal, com o compromisso de atendimento habitacional definitivo.

Essa foi uma das propostas apresentadas aos moradores e lideranças da região do Córrego Antonico, em Paraisópolis, nesta sexta-feira (22). A medida deve atender às 1.500 famílias que residem em cima do córrego .

Na apresentação, estiveram presentes os secretários da Habitação, Orlando Faria, de Assistência Social, Carlos Bezerra, e de Projetos Estratégicos, Alexis Vargas e o coordenador geral da Defesa Civil, Joel Malta de Sá. Cada um destacou as ações planejadas por suas pastas após o desabamento ocorrido na região no último sábado (16).

Em Paraisópolis, 19 famílias que tiveram suas casas interditadas já estão autorizadas a receber o benefício de auxílio aluguel provisório. As formas de atendimento habitacional definitivo serão oferecidas por meio do programa “Pode Entrar”, sancionado em setembro deste ano, com previsão de regulamentação até novembro.

Leia Também

A iniciativa oferece uma Carta de Crédito aos beneficiários. Ela funciona como um subsídio para a aquisição do imóvel e a conta garantidora, que faz com que a prefeitura garanta crédito para as pessoas que não conseguem comprovar renda ou que não tenham acesso ao sistema bancário. O valor dessa carta vai variar de acordo com a renda do cidadão, com limite de R$ 120 mil, não reembolsável.

Além disso, o secretário Orlando Faria mencionou a possibilidade de a gestão adquirir imóveis privados para fins de habitação de interesse social, garantindo redução dos custos e tempo de entrega. “Já fizemos uma pesquisa na região e já mapeamos 6 mil unidades de interesse social que a Prefeitura pode comprar”, adiantou.

A administração municipal frisa que o plantão social, tanto da habitação como da Assistência Social permanece na região. “Porém nenhuma família aceitou a oferta de ser abrigada pelos serviços municipais, inclusive em hotéis”, explicou o secretário, Carlos Bezerra.

Interdição

Segundo o comandante da Defesa Civil, foram vistoriados e selados 32 imóveis, sendo sete deles comerciais, no local do desabamento. A prefeitura ressalta que, para o avanço das obras no local, é fundamental que as famílias aceitem alguns dos benefícios ofertados, deixando suas casas que se encontram em área de risco hidrológico. Após a desocupação de toda a área, as intervenções de engenharia poderão ser iniciadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana