JUSTIÇA

Intelectus, em Tocantins, avalia parcerias para ampliar inovação

Publicados

em


Membros do Comitê Gestor do Laboratório de Inovação e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Poder Judiciário do Tocantins (CGI/Intelectus-TO) realizaram, na tarde de sexta-feira (18/2), reunião de trabalho, em formato virtual, para debater sobre temas técnicos e operacionais do grupo. O Comitê foi instituído pela Presidência do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), por meio da Portaria nº 1862/2021.

Antes das discussões, os participantes receberam os cumprimentos do presidente do CGI, desembargador Pedro Nelson de Miranda Coutinho. Na ocasião, o coordenador do CGI, juiz José Eustáquio de Melo Júnior, apresentou oito sistemas ligados à Inteligência Artificial (IA) e já desenvolvidos por outros tribunais de Justiça do país, com a sugestão de que esses pudessem ser apreciados pelo TJTO para possíveis cooperações.

Sistemas

O magistrado apresentou as seguintes ferramentas: a Leia, desenvolvida pelos TJs dos estados de Alagoas, Amazonas e Ceará; o Hércules, também operacionalizado pelo TJ de Alagoas e que possibilita a identificação de petições semelhantes com mais agilidade; o projeto Hórus, executado pelo TJDFT, que propicia mais efetividade e velocidade no cadastramento de processos digitalizados.

Também apresentou o Elis, software desenvolvido pelo TJ do Estado de Pernambuco, com capacidade de analisar e triar os processos de executivos fiscais; o Mandanus, do TJ de Roraima, sistema de automação de processos e distribuição eletrônica de mandados; o Radar, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que permite a pesquisa por palavra-chave nas peças processuais dos autos que tramitam eletronicamente; o Poti, do TJ do Rio Grande do Norte, que realiza a penhora on-line em processos judiciais; e o Larry, do TJ do Estado do Paraná, que localiza processos semelhantes que estejam tramitando nas unidades judiciárias.

Intelectus-TO

O Intelectus-TO é unidade vinculada à Presidência do TJTO, com colaboração da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), e tem como objetivo aprimorar as atividades do Judiciário tocantinense por meio da difusão da cultura da inovação, com a modernização de métodos e técnicas de desenvolvimento do serviço judiciário, de forma coletiva e em parceria com atores externos.

Participantes

Também participaram da reunião o juiz auxiliar da Presidência do TJTO Manuel de Faria Reis Neto; o diretor-geral do TJTO, Jonas Demóstene Ramos; Ana Beatriz de Oliveira Pretto, diretora-executiva da Esmat; Leila Jardim, da Coordenadoria de Gestão Socioambiental e Responsabilidade Social (Cogersa); e o assessor técnico-jurídico da Diretoria de Tecnologia da Informação (Dtinf/TJTO), Ângelo Stacciarini Seraphin, representando o diretor Ernandes Rodrigues da Silva.

Fonte: TJTO

Macrodesafio - Aperfeiçoamento da gestão administrativa e da governança judiciária

Fonte: CNJ

Comentários Facebook
Propaganda

JUSTIÇA

Justiça federal tem novas turmas de curso de formação de conciliadores

Publicados

em

Compartilhe

O Conselho da Justiça Federal (CJF) realiza, de 29 de agosto a 4 de outubro, o curso “Formação de Conciliadores – Parte Teórica – Turmas 3 e 4/2022”. A capacitação será na modalidade a distância, com tutoria. As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de agosto.

São 32 vagas, por turma, para servidores e servidoras da Justiça Federal, principalmente quem atua nos Núcleos Permanentes de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos ou nos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSCs). O curso de 48 horas-aula vai desenvolver competências que possam ser empregadas em solução de conflitos, em especial a conciliação.

O processo seletivo observará a ordem cronológica de realização de inscrição e o cumprimento dos requisitos exigidos. Ao se inscrever, é imprescindível que a pessoa interessada informe o e-mail institucional. Serão confirmadas somente as inscrições que contenham essa informação.

Será certificada a pessoa que realizar as atividades avaliativas e obter, no mínimo, 70 pontos na nota final. O certificado será disponibilizado no ConciliaJud, após o preenchimento da avaliação de reação da ação educacional.

Fonte: CJF

Macrodesafio - Prevenção de litígios e adoção de soluções consensuais para os conflitos

Macrodesafio - Aprimoramento da gestão de pessoas

Fonte: CNJ

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana