Barão de Melgaço

Indígena atacado por onça pintada é socorrido e transferido para Cuiabá

Publicado

O posto de comando da Operação Pantanal II foi informado, na sexta-feira (16.10), sobre uma ocorrência envolvendo um ataque de onça pintada na região indígena Baía dos Guatós, no município de Barão de Melgaço.

O posto de comando averiguou que um homem, Irenaldo José da Silva, de 36 anos, estaria ferido na cabeça. De imediato o posto acionou a guarnição do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso (CBMMT) que estava no Pixaim, região mais próxima do local, que e se deslocou para atender a vítima. Ao chegar no local, os militares relataram que o homem estava ferido e acompanhado pelo médico da aldeia onde a vítima reside, já tendo recebido os primeiros socorros.

A vítima estava consciente, porém com saturação baixa. A equipe conduziu a vítima junto com o médico da aldeia visto que o homem estava com perda significativa de volume sanguíneo, sendo transferida para a ambulância que se deslocava de Poconé junto a uma viatura da Força Nacional.

A vítima, após ser levado à unidade médica de Poconé, foi regulada para Cuiabá, devido aos ferimentos terem atingido uma artéria, necessitando de um atendimento especializado em um centro cirúrgico. O homem foi levado ao centro cirúrgico em Cuiabá por volta da 1h.

O coordenador geral do CIMAN, tenente coronel Dércio Santos destacou que a “Operação Pantanal II, além de atuar no combate aos incêndios também presta um serviço importante na região em outros atendimentos como ajuda humanitária, atendimento e resgate de animais, atendimento pré-hospitalar, dentre outros que se fazem necessários”.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

barao de melgaco

Sema e PM apreendem redes de pesca em Barão de Melgaço

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), por meio da Equipe de Coordenadoria de Fiscalização de Fauna, realizou uma operação de fiscalização no município de Barão de Melgaço em parceria com o 4º Batalhão da Policia Militar.

A ação foi realizada entre terça e quarta-feira (12 e 13.05) desta semana, nas regiões de Estirão Cumprido, Porto Brandão e Flechas. Os ficais apreenderam duas canoas, quatro remos e quatro redes de emalhar. A rede é considerada um dos apetrechos de pesca mais nocivo aos estoques pesqueiros, já que retira uma grande quantidade de peixes em pouco tempo e sem distinção de medidas.

Ao final da operação a equipe aplicou três autos de inspeção e três termos de apreensão.

Atividade essencial

As atividades de fiscalização ambiental que incluem as ações de monitoramento e controle de crimes ambientas como desmatamento e exploração florestal ilegais, pesca predatória, caça ilegal, poluição causada por empreendimentos, dentre outros, seguem em pleno funcionamento.

De acordo com o Decreto Estadual 432/2020, a fiscalização ambiental é considerada atividade essencial no Estado. Ao se deparar com crimes ambientais, o cidadão pode fazer denúncias pelo 0800 65 3838 ou via aplicativo MT Cidadão (disponível para IOS e Android).

Regras da pesca

Os pescadores profissionais e amadores devem seguir as regras determinadas pela Lei Estadual nº 9.096/2009, que estabelece a proibição para uso de apetrechos de pesca como tarrafa, rede, espinhel, cercado, covo, pari, fisga, gancho, garateia pelo processo de lambada, substâncias explosivas ou tóxicas, equipamento sonoro, elétrico ou luminoso.

As medidas mínimas dos peixes constam na carteira de pesca do Estado e algumas delas são: piraputanga (30 cm), curimbatá e piavuçu (38 cm), pacu (45 cm), barbado (60 cm), cachara (80 cm), pintado (85 cm) e jaú (95 cm).

O regramento em Mato Grosso proíbe a captura, comercialização e transporte das espécies dourado (Salminus brasiliensis) e piraíba (Brachyplatystoma filamentosum), conforme estabelecido na Lei 9.794/2012.

 

 

 

 

 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana