MULHER

Indiana que vendia balões nas ruas é descoberta e vira modelo

Publicados

em


source
Indiana que virou modelo da noite para o dia ganhou apelido de Cinderela
Reprodução/Instagram

Indiana que virou modelo da noite para o dia ganhou apelido de Cinderela

A Índia, com suas diferenças gritantes entre ricos e pobres, é uma terra fértil para fábulas sociais. A Cinderela da vez atende simplesmente pelo nome de Kisbu. A adolescente vendia balões pelas ruas de Andalur (estado de Kerala) para ajudar a família, que é pobre. Acabou sendo descoberta pelo acaso pelo fotógrafo Arjun Krishnan.

Natural do Rajastão, Kisbu ganhou um “dia de princesa”. Com ajuda de uma “stylist”, a jovem passou por horas de transformação: manicure, pedicure, tratamento facial e capilar e maquiagem profissional. A história viralizou nas redes sociais indianas, e a adolescente virou modelo da dia para a noite.

“Das ruas de Andalur para o coração do povo”, escreveu o fotográfo ao postar imagens do primeiro ensaio de Kisbu, segundo o “India.com”.

O sucesso foi tanto que muitos já apontam a “Cinderela” como o futuro rosto da moda na Índia, contou a mídias local.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

MULHER

Startup lança campanha para informar e combater violência obstétrica

Publicados

em

Apoiadores de campanha podem baixar cartazes com frases informativas sobre violência obstétrica
Gestar/Divulgação

Apoiadores de campanha podem baixar cartazes com frases informativas sobre violência obstétrica

Durante o Dia da Gestante, comemorado nesta segunda-feira (15), a startup Gestar, que conecta profissionais materno-infantis a famílias, lança uma campanha para intensificar o combate à violência obstétrica . Chamada #NaLutaPorGestar, a ação busca informar sobre esse tipo de violência e conscientizar pessoas para que saibam identificar.

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

No Brasil, 1 em cada 4 mulheres sofreram algum tipo de violência obstétrica. Cerca de 30% delas foram atendidas em hospitais privados e 45% pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com dados da plataforma. No entanto, os dados podem ser ainda maiores, já que muitas pessoas com capacidade de gestar podem não conseguir reconhecer a violência no momento que ela ocorre.

A campanha #NaLutaPorGestar visa a divulgação de informações para auxiliar na redução das incidências de violência obstétrica e na divulgação do assunto. Além de um vídeo informativo, quem aderir à ação pode baixar cartazes digitais e ter acesso a escritos de profissionais parceiras da Gestar.

Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

Para mais informações e para participar da campanha, acesse o site gestar.com.br/violenciaobstetrica .

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana