economia

Imposto de Renda: restituição poderá ser recebida por banco digital

Publicados

em


source
Número de fintechs cresceu 34% em 2020
Nicolas Nogueira

Número de fintechs cresceu 34% em 2020

A Receita Federal acompanhou o crescimento das fintechs – startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros digitais – e incluiu uma novidade no Imposto de Renda (IR) 2021.

Agora, além de contas corrente e poupança tradicionais, o contribuinte pode selecionar uma conta pagamento para crédito da restituição do imposto, as famosas contas digitais.

Fintechs e contas Digitais

Fintechs são empresas voltadas para a tecnologia e o mercado financeiro. De acordo com o Distrito Fintech Report 2020, o número de empreendimentos nessa categoria cresceu 34% no último ano.

Nubank, PagSeguros e PicPay são alguns exemplos de fintechs brasileiras que ganham cada vez mais espaço no mercado.

Você viu?

Um de seus principais produtos são as contas digitais, que atraem usuários por sua facilidade de acesso, já que são 100% acessadas via internet, e pela ausência de tarifas, seja para manutenção da conta, movimentações financeiras ou uso de cartão de crédito.

Crédito para restituição


Até 2020, essas contas não podiam ser escolhidas para crédito da restituição do Imposto de Renda. As opções eram restritas a contas corrente e poupança tradicionais.

Entre as novidades da declaração divulgadas pela Receita neste ano, está a inclusão dessas contas pagamento como uma opção para a devolução do imposto pago.

Para isso, antes de enviar a declaração, o contribuinte deve selecionar a opção “Resumo da declaração”, no menu esquerdo da tela, e depois clicar em “Cálculo do Imposto”.

Ali, será mostrado se o declarante possui, ou não, um valor a ser restituído. Caso tenha dinheiro a receber, a aba “Informações Bancárias” deverá ser preenchida com os dados de sua conta

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Dólar cai pelo terceiro dia seguido e aproxima-se de R$ 5,60

Publicados

em


Embalado pelo mercado internacional, o dólar caiu pelo terceiro dia seguido e aproximou-se de R$ 5,60, zerando a alta em abril. A bolsa de valores iniciou o dia em forte alta, mas fechou praticamente estável em meio à realização de lucros.

O dólar comercial encerrou a quinta-feira (15) vendido a R$ 5,628, com recuo de R$ 0,042 (-0,75%). A cotação operou em queda durante toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 10h, a moeda norte-americana chegou a R$ 5,60.

Com o desempenho de hoje, o dólar passou a acumular queda de apenas 0,01% em abril. A divisa, no entanto, registra alta de 8,47% em 2021.

O dia também foi marcado pela euforia no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 120.701 pontos, com alta de 0,34%.De manhã, o indicador chegou a superar os 121,3 mil pontos, mas perdeu força ao longo do dia com investidores que passaram a vender ações para embolsarem ganhos recentes.

Em mais um dia sem avanços nas negociações sobre os vetos parciais ao Orçamento de 2021, as notícias internacionais dominaram o mercado. As bolsas norte-americanas voltaram a bater recordes, e o rendimento dos títulos de dez anos do Tesouro dos Estados Unidos, considerados os investimentos mais seguros do mundo, voltaram a cair.

Juros mais baixos nos papéis públicos dos Estados Unidos estimulam a entrada de capitais em mercados de maior risco. Isso beneficia países emergentes, como o Brasil.

*Com informações da Reuters

Edição: Nádia Franco

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana