conquista doeste

História de Conquista D`Oeste

Saiba mais sobre o surgimento da cidade de Conquista D`Oeste

Publicados

em


 

Em 1985 existia a fazenda conquista nessa região onde o Sr. Eliúde Alves da Silva (popularmente conhecido como Leu), era funcionário e morava com sua esposa e seus filhos. Que sempre estava atento com o que acontecia em sua volta, inclusive da grande extensão de terra devoluta e sem uso para produção agrícola. Ao perceber a fertilidade do solo e a não exploração da terra, despertou o interesse em explorá-la já que os donos residiam em São Paulo e pouco dava importância para essa finalidade, passando muito tempo às vezes sem vir visitá-las. Sendo assim, o Léu destinou-se até a serra da borda, localizada em Pontes e Lacerda e convidou alguns homens a ocuparem e desbravarem aquela área, onde em seguida o Sr. Antonio Severino juntamente com alguns colegas tiveram a mesma atitude, pois foram os dois homens que na qual comandavam a ocupação. Com dois pontos de referencia localizada as margens direitas da BR 174 a turma do Leu e do lado esquerdo a turma de Antonio Severino. A partir daí começou-se a definição dos lotes e os barracos. 

Neste mesmo ano de 1985, quando parecia tranqüilo o Senhor Deusdete de Arruda juntamente com Luiz Baciga que se destinavam para visitar suas famílias na serra da borda, conforme costumavam ficar em média 15 dias na ocupação e 15 dias em casa, logo foram surpreendidos. No momento que iam embarcar no ônibus por uma Toyota do exército com alguns homens que deram voz de prisão, levando-os até o ponto de apoio, onde alguns colegas já se encontravam detidos. 

Os policiais o detiveram Luiz Baciga na Toyota para mostrar onde estavam os barracos dos demais companheiros, seguindo na estrada que hoje liga centro de Conquista a Serra. Onde foi humilhado e torturado até chegar ao barraco, pois a Toyota ficou escondida no mato enquanto eles caminhavam lentamente mata dentro por uma picada até chegar ao encontro esperado do senhor Antonio Severino que veio ser detido juntamente com outros homens. Neste mesmo dia a polícia saiu para prender o Leu, mas encontrou apenas a esposa, filhos e uma senhora grávida com duas crianças no barraco. Com isso os policiais ficaram aguardando a chegada do então responsável pela ocupação, que foi surpreendido e preso juntamente com todos que ali estavam presentes. 

No decorrer desses acontecimentos o senhor Floilaz da Silva Murtinho, um dos ocupantes, que por sorte encontrava-se na cidade mãe (Pontes e Lacerda), conhecido como vaiz, ficou sabendo do que estava ocorrendo. Antes que os policiais chegassem até ele, rapidamente buscou apoio do Deputado Estadual José Lacerda para liberação dos companheiros conforme consta nos depoimentos, conseguindo apoio total e finalmente à liberdade dos colegas. Com exceção do Senhor Eliúde Alves da Silva, que ficou preso por mais alguns dias, sendo necessário à contratação do advogado Dr. Sinomar Resende Silva, que diante do seu trabalho conseguiu a liberdade do mesmo. 

Com isso o José Lacerda apoiou a ocupação, garantindo que ninguém viria para expulsa-los da terra, assegurando a permanencia no local e o desenvolvimento da agricultura. Tendo como fonte principal de economia o cultivo da banana. Sendo assim, continuaram apenas comentários que o fazendeiro iria tomar as terras de volta, ocasionando sempre a dúvida do direito adquirido pela terra. Mas graças a Deus e o apoio de José Lacerda e a resistência dos desbravadores tudo ocorreu conforme o esperado. 

A partir daí a noticia surge conforme o passar do tempo despertando interesse em muitas pessoas que passavam por esta região e que transmitia a notícia por onde passavam aumentando cada vez mais o interesse das pessoas que sonhavam com uma terra produtiva, de subsistência e acima de tudo moradia própria. 

Uma das pessoas popularmente conhecida que na qual queremos destacar pela função desenvolvida nesta localidade é o Sr. Odélio de Freitas, que tinha intenções de comprar terras no município de Nova Lacerda, mas pretendeu comprar terras em Conquista D Oeste devido verificar a fertilidade do solo, quando retornou a Goiás para buscar sua família e finalmente passar a residir nesta comunidade. 

Como na ocupação tudo parecia tranqüilo então as famílias já começam a ampliar seus barracos e finalmente a construírem seus lares definitivos, ocasionando a necessidade do desenvolvimento da educação. Em 1987 a senhora Dorvalina Nunes começou a lecionar em um barraco próximo a sua casa, enquanto a senhora Maria José da Silva, filha de Zé Lagoa foi lecionar também próximo à casa de seus pais pouco tempo depois, oferecendo o ensino aprendizagem para que todos os moradores pudessem freqüentar a escola, devido os barracos serem distantes uns dos outros. 

No ano de 1988 os moradores resolveram a criar a associação para reivindicar seus direitos em busca de apoio político e melhoria de vida. Neste mesmo ano em uma conversa próximo ao antigo posto telefônico, pelos senhores Onório Braga e Odélio de Freitas, surgiu à idéia de formar uma vila, conforme veio ser a pauta principal da reunião seguinte, em que todos concordaram e discutiu sobre o nome a ser denominado a vila, surgindo algumas idéias, mas a que veio prevalecer é a que se denominou o atual município Conquista D` Oeste. Idéia segundo os depoimentos, Conquista devido ter sido uma ocupação sem conflitos ocasionados em mortes e etc., e D`Oeste, devido está localizado na Região Centro Oeste. 

A partir daí houve a necessidade de buscar apoio político para a realização da demarcação da área e abertura das ruas e avenidas. Quando conseguiram o apoio de Dauri Mariano que era Prefeito de Pontes e Lacerda e do Governador do Estado Carlos Bezerra, que vieram cumprir com seus deveres, deixando a disposição do senhor Odélio maquinários e combustível, além de contratar um engenheiro conhecido como Dr. Ricardo para fazer a planta da vila, além de acompanhar toda demarcação. A partir daí surge à vila e começa a construção das casas. Segundo depoimentos, a primeira casa a ser construída foi do senhor Levino, que residia em Lucialva, chegando no dia 22 de Dezembro de 1988, uma obra rara na comunidade, pois é pré fabricada, sendo desmontada em Lucialva e montada onde sua família reside até hoje. 

Assim inicia-se o desenvolvimento da vila. Através da doação de alguns fundadores sem bens lucrativos, como o Senhor Chico Sardinha, doando a área para construção da igreja, ganhando como homenagem de seu nome Francisco, o padroeiro da cidade São Francisco de Assis. Um outro doador foi o senhor Froilaz da silva Murtinho, conhecido como Vaz, enquanto os demais recebiam certa porcentagem pela venda dos terrenos. 

Com novas construções e o aumento populacional foi aumentando, quando chegou até esta vila em 1991 Walmir Guse, que residia na cidade de Jauru – MT, acabava de comprar a serraria do senhor Toninho tendo como Razão Social incomasca. A partir daí Walmir Guse , candidatou-se pela primeira vez para pleitear uma cadeira na câmara de vereadores por Pontes e Lacerda, cidade a qual a comunidade pertencia, sendo eleito e assumindo a cadeira no de 1992. Passando a defender os interesses de Conquista D`Oeste. 

English – HISTORY  

In 1985 the farm was conquest in the region where Mr. Eliud Alves da Silva (popularly known as Leu), was employed and lived with his wife and children. That was always aware of what was happening around him, including the large expanse of land is vacant and unused for agricultural production. Seeing soil fertility and no exploration of the earth, triggered an interest in exploring it since the owners lived in Sao Paulo and gave little importance for this purpose, spending lots of time to come over and visit them. Thus, the Léu devoted himself to the edge of the mountain, located in Pontes e Lacerda and invited some men to occupy and explore the area, where next Mr Antonio Severino with some colleagues had the same attitude, because they were the two men in which commanded the occupation. With two reference points located the right edges of the BR 174 of the class read and left the gang of Antonio Severino. From there began the lots and the shacks. 

That same year, 1985, when the Lord seemed quiet Deusdete de Arruda with Luiz Baciga which were intended to visit their families in the hills of the border, as used to be on average 15 days of occupation and 15 days at home, so they were surprised. At the time they would board the bus for a Toyota with a few army men who gave the arrest, leading them to the point of support, where some colleagues were already held. 

The police arrested him Luiz Baciga at Toyota to show where were the huts of the other companions, following the road that now connects the center of Sierra Conquista. Where was humiliated and tortured to get to the hut, because Toyota has been hidden in the bush as they walked slowly kills in for a bite to reach the expected date of Mr. Antonio Severino came to be arrested together with other men. On the same day the police came to arrest the Leu, but found only his wife, children and a pregnant woman with two children in the shack. With that the police were awaiting the arrival of the then responsible for the occupation, which was caught and arrested along with all those present. 

During these events you Floilaz Murtinho da Silva, one of the occupants, which luckily was in the Mother City (Pontes e Lacerda), known as vaiz, learned of what was happening. Before the police arrived to him, quickly sought support of State Representative Joseph Lacerda release of companions as contained in the statements, getting full support and ultimately the freedom of his colleagues. With the exception of Mr. Eliud Alves da Silva, who was jailed for a few days, requiring the hiring of the lawyer Dr. Sinomar Resende Silva, who before his work managed to free himself. 

Thus Joe Lacerda supported the occupation, guaranteeing that no one would come to fend them off the land, ensuring the permanence in the development of local agriculture. The main source of economy growing bananas. Therefore, continued only comments that the farmer would take the land back, leading to ever doubt the right acquired by land. But thanks to God and the support of José Lacerda and resistance of the pioneers everything went as expected. 

Since then the news comes as time goes by arousing interest in many people passing through this region and carried the news that they passed through increasingly more interest from people dreaming of a productive land, livelihoods and above all home ownership. 

One of those commonly known in which you want to highlight the function developed in this city is Mr. Odélio de Freitas, who had intentions to buy land in Nova Lacerda, but wanted to buy land in the West due Conquest D check soil fertility, when he returned to São Paulo to seek his family and ultimately take up residence in this community. 

As the occupation things seemed quiet so families have begun to expand their shacks and finally build their permanent homes, resulting in the need for development of education. In 1987 Dorvalina Ms. Nunes began to teach in a shack near his home, and Mrs. Maria José da Silva, Zé Lagoa daughter was teaching also near the house of his parents shortly after, offering teaching and learning for all residents could go to school because the huts are far apart. 

In 1988 the residents decided to create the association to claim their rights to seek political support and improvement of life. In the same year in a conversation next to the old telephone exchange, by Mr Onorio Odélio Braga and de Freitas, came to the idea of forming a village, as it has come to be the main agenda of the next meeting, in which all agreed and discussed the name to called the village, coming a few ideas, but that came to prevail is what is called the current council Conquista D’Oeste. Idea that the statements, because Conquest was an occupation without conflicts arising from deaths and so on., And D `Oeste, because is located in the Central West. 

Thereafter there was a need to seek political support to carry out the demarcation of the area and opening of streets and avenues. When they got the support of Dauri Mariano who was Mayor of Pontes e Lacerda and State Governor Carlos Bezerra, who came to fulfill his duties, leaving the disposition of Mr. Odélio machinery and fuel, and hire an engineer known as Dr. Ricardo to plat of the village, keeps track of all demarcation. From there comes the town and start construction of houses. According to witnesses, the first house to be built was Mr. Levine, who lived in Lucialva, arriving on 22 December 1988, a rare work in the community because it is prefabricated, being dismantled and assembled in Lucialva where his family resides until today. 

Thus begins the development of the village. Through the donation of some founders goods without profit, as the Chico Sardinha, giving the area for construction of the church, earning the honor as his name Francisco, the city’s patron St. Francis of Assisi. Another donor was Mr. Froilaz Murtinho da Silva, known as Vaz, while the other received a certain percentage of the sale of land. 

With new construction and population growth was increasing, when it came to this town in 1991 Walmir Guse, who lived in the city of Jauru – MT, had to buy the mill of Sir Tom and Company Name as incomasca. From there Walmir Guse, applied first to claim a seat on city council for Pontes e Lacerda, a city which belonged to the community, being elected and assuming the chair in 1992. Turning to defend the interests of Conquista D’Oeste. 

 

Español – HISTORIA 

En 1985, la granja era la conquista de la región donde el Sr. Eliud Alves da Silva (conocido popularmente como Leu), fue empleado y vivía con su esposa e hijos. Ese fue siempre consciente de lo que estaba sucediendo a su alrededor, incluyendo la gran extensión de tierra está vacante y no utilizados para la producción agrícola. Ya la fertilidad del suelo y no la exploración de la tierra, provocó un interés por explorar ya que los propietarios que viven en Sao Paulo y le dio poca importancia a tal efecto, el gasto de mucho tiempo para venir a visitarlos. Así, el Leu se dedicó a la orilla de la montaña, situado en Pontes e Lacerda e invitó a algunos hombres para ocupar y explorar la zona, donde junto al Sr. Antonio Severino con algunos compañeros tuvieron la misma actitud, porque eran los dos hombres en la que ordenó la ocupación. Con dos puntos de referencia situado el borde derecho de la BR 174, de la clase de lectura y dejó la banda de Antonio Severino. A partir de ahí comenzaron los lotes y las chozas. 

Ese mismo año, 1985, cuando el Señor parecía tranquilo Deusdete de Arruda con Luiz Baciga que se destina a visitar a sus familias en las colinas de la frontera, como solía ser en promedio de 15 días de ocupación y 15 días en casa, por lo que se sorprendieron. En el momento en que se aborda el autobús por un Toyota con un ejército de unos hombres que dieron a la detención, llevándolos hasta el punto de apoyo, cuando algunos colegas ya se habían celebrado. 

La policía lo arrestó Luiz Baciga en Toyota para mostrar dónde estaban las chozas de los demás compañeros, siguiendo la carretera que actualmente conecta el centro de la Conquista de la Sierra. Cuando fue humillado y torturado hasta llegar a la cabaña, debido a que Toyota se ha ocultado en el monte mientras caminaban lentamente mata en un bocado para llegar a la fecha prevista del Sr. Antonio Severino llegó a ser detenido junto con otros hombres. El mismo día la policía llegó a arrestar a los Leu, pero sólo encontró a su esposa, hijos y una mujer embarazada con dos hijos en la choza. Con que la policía estaba en espera de la llegada del entonces responsable de la ocupación, que fue capturado y arrestado junto con todos los presentes. 

Durante estos eventos a los que Floilaz Murtinho da Silva, uno de los ocupantes, que por suerte fue en la Ciudad Madre (Pontes e Lacerda), conocido como Vaiz, se enteró de lo que estaba sucediendo. Antes de que la policía llegó a él, rápidamente buscó el apoyo de Estado Representante José Lacerda liberación de los compañeros que figuran en las declaraciones, conseguir el pleno apoyo y en última instancia la libertad de sus colegas. Con la excepción del Sr. Eliud Alves da Silva, quien fue encarcelado por algunos días, lo que requiere la contratación del abogado Dr. Sinomar Resende Silva, quien antes de su trabajo logró liberarse. 

Así, Joe Lacerda apoyó la ocupación, garantizando que nadie vendría a defenderse de ellos de la tierra, garantizar la permanencia en el desarrollo de la agricultura local. La principal fuente de crecimiento de la economía del plátano. Por lo tanto, continuaron los comentarios sólo de que el agricultor tendría la tierra de nuevo, lo que nunca duda, el derecho adquirido por la tierra. Pero gracias a Dios y el apoyo de José Lacerda y resistencia de los pioneros de todo fue como se esperaba. 

Desde entonces, la noticia se produce el paso del tiempo despertar el interés en mucha gente que pasa por esta región y llevó a la noticia de que su paso por cada vez más interés de la gente a soñar con una tierra productiva, los medios de vida y, sobre todo propiedad de la vivienda. 

Uno de los comúnmente conocidos en el que desea resaltar la función desarrollada en esta ciudad es el Sr. Odélio de Freitas, que tenía intenciones de comprar tierras en Nova Lacerda, pero quería comprar tierras en el Oeste por la conquista del suelo D comprobar la fertilidad, cuando regresó a São Paulo en busca de su familia y, finalmente, establecer su residencia en esta comunidad. 

En cuanto a la ocupación cosas parecía tranquilo para que las familias han comenzado a ampliar sus chozas y, finalmente, construir sus viviendas permanentes, resultando en la necesidad de desarrollo de la educación. En 1987 la Sra. Dorvalina Nunes comenzó a enseñar en una cabaña cerca de su casa, y la Sra. Maria José da Silva, Zé hija Lagoa estaba enseñando también cerca de la casa de sus padres, poco después, ofreciendo la enseñanza y el aprendizaje para todos los residentes podían ir a la escuela porque las chozas están muy separadas. 

En 1988, los residentes decidieron crear la asociación para reclamar sus derechos a buscar el apoyo político y la mejora de la vida. En el mismo año en una conversación junto a la central telefónica de edad, por el Sr. Onorio Odélio Braga y de Freitas, llegó a la idea de formar un pueblo, como lo ha venido a ser la principal agenda de la próxima reunión, en la que todos estuvieron de acuerdo y discutió el nombre que llama el pueblo, llegando algunas ideas, pero que vino a prevalecer es lo que se llama el actual Consejo Conquista D’Oeste. Idea de que las declaraciones, que la conquista era una ocupación, sin conflictos derivados de las muertes, etc., Y D `Oeste, ya que se encuentra en el Centro Oeste. 

A partir de entonces hubo una necesidad de buscar apoyo político para llevar a cabo la demarcación de la zona y la apertura de calles y avenidas. Al llegar el apoyo de Mariano Dauri que fue alcalde de Pontes e Lacerda y el Gobernador del Estado, Carlos Becerra, que vino a cumplir con sus deberes, dejando a la disposición del Sr. Odélio maquinaria y combustible, y contratar a un ingeniero conocido como el Dr. Ricardo para plat de la aldea, hace un seguimiento de todos los demarcación. De allí viene la ciudad e iniciar la construcción de casas. Según testigos, la primera casa que se construyó fue el Sr. Levine, que vivía en Lucialva, llegando el 22 de diciembre de 1988, una obra poco frecuente en la comunidad, porque están prefabricados, que, de ser desmontado y montado en Lucialva donde reside su familia hasta que hoy. 

Así comienza el desarrollo de la aldea. A través de la donación de algunos bienes de los fundadores, sin fines de lucro, como el Sardinha Chico, dando a la superficie para la construcción de la iglesia, ganándose el honor de su nombre Francisco, patrón de la ciudad de San Francisco de Asís. Otro donante fue el Sr. Froilaz Murtinho da Silva, conocido como Vaz, mientras que el otro recibió un determinado porcentaje de la venta de tierras. 

Con la nueva construcción y crecimiento de la población iba en aumento, cuando se llegó a esta ciudad en 1991 Walmir Guse, que vivía en la ciudad de Jauru – MT, tuvo que comprar la fábrica de Sir Tom y Nombre de la empresa como incomasca. Desde allí Guse Walmir, aplicado primero a reclamar un asiento en el consejo de la ciudad de Pontes e Lacerda, una ciudad que pertenecía a la comunidad, de ser elegido y asumiendo la presidencia en 1992. En cuanto a defender los intereses de la Conquista D’Oeste.

Comentários Facebook
Propaganda

conquista doeste

Caseiro envolvido em furto de gado é preso pela Polícia Militar em Mato Grosso

Publicados

em

Policiais militares do Núcleo de Conquista D’Oeste (a 571 km de Cuiabá) prenderam na noite desta sexta-feira (21.08), dois homens por furto, na área rural da cidade.

Os agentes foram informados pelo dono de uma fazenda que seus bois estavam sendo furtados. Ele contou que viu quando um caminhão boiadeiro passava pela sua propriedade.

Devido à situação, foi montada uma barreira na BR-174 com apoio dos policiais da cidade de Nova Lacerda. Como esperado, o motorista foi parado. No veículo estavam oito cabeças de gado com as iniciais do senhor que fez a denúncia.

O motorista alegou ter sido contratado por um homem, passou o primeiro nome e que deveria deixar o gado em uma fazenda em Nova Lacerda. A pessoa indicada seria funcionário da vítima e morava na propriedade. Ele teria ajudado a colocar os animais no caminhão.

Os policiais foram até o denunciado. Ele confessou que estava vendendo o gado do patrão, mas não sabia precisar quantos. Disse ainda que teria feito três negociações e apontou um dos compradores.

Os militares foram até a propriedade e confirmaram a informação. O homem alegou que não sabia que o gado era furtado, pois acreditava estar negociando com o proprietário e também foi preso.

O motorista do caminhão foi caracterizado no BO como testemunha, segundo apurado, ele não sabia da ação criminosa. O dono da fazenda disse que sentiu falta de 36 cabeças de gado. Os policiais ainda apreenderam uma espingarda calibre 22, com 11 munições, com o caseiro.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana