economia

Guedes sobre Adriano Pires: “Estou desinformado”

Publicados

em


source
Guedes se diz não informado sobre Adriano Pires
Sophia Bernardes

Guedes se diz não informado sobre Adriano Pires

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse estar “desinformado” sobre a desistência de Adriano Pires para assumir a presidência da Petrobras. A declaração foi dada nesta segunda-feira (4), em conversa rápida com jornalistas no Rio de Janeiro.

Pires teria avisado aliados que teria desistido de assumir a estatal. Segundo o economista, a desistência foi causada pelo conflito de interesses.

“Estou sem luz”, afirmou Guedes ao ser questionado sobre a situação da estatal.

Para poder aumentar o controle sobre os reajustes nos combustíveis, o presidente Jair Bolsonaro (PL) indicou Adriano Pires para o lugar de Joaquim Silva e Luna no comando da empresa. A demissão de Silva e Luna se tornou eminente após críticas de Bolsonaro ao forte reajuste nos combustíveis em março, devido ao aumento no preço do barril de petróleo no mercado internacional e a pressão do dólar.

Leia Também

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

Pires, no entanto, é favorável o reajuste nos preços para acompanhar a volatilidade internacional. Desde 2016, a Petrobras adotou as alterações de preços conforme o reajuste no preço do barril de petróleo.

Para aceitar a indicação, Adriano Pires pediu a privatização da Petrobras. A ideia foi chancelada por Bolsonaro, o que fez as ações da petroleira subirem na semana passada.

Entretanto, as dificuldades impostas pela lei das privatizações e o fato de Bolsonaro não ter tempo hábil para privatizar a Petrobras ainda neste ano, tem afastado Pires de assumir a presidência da empresa.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Guedes critica pagamento de bônus  aos servidores do BNDES

Publicados

em

Paulo Guedes, ministro da Economia
Washington Costa/ASCOM ME

Paulo Guedes, ministro da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou o BNDES durante uma palestra nesta quinta-feira (18) ao falar sobre o uso de recursos públicos para melhorar o país. Guedes disse que o banco deveria reduzir o bônus distribuído a seus servidores e pagar o que deve à União.

Dados do Ministério da Economia mostram que o BNDES pagou em média, em 2021, cerca de R$ 108 mil aos empregados. Foi o maior valor declarado entre as empresas públicas com Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Por outro lado, o banco tem uma dívida em torno de R$ 100 bilhões com o Tesouro Nacional. Segundo o ministro, a instituição convenceu o Tribunal de Contas da União (TCU) a postergar o pagamento.

“O BNDES convenceu o TCU que era um risco devolver mais dinheiro para a União e que ela melhor pagar lá na frente. Se o BNDES deu um bônus maior, tem que pagar a União”, afirmou o ministro da Economia.

Guedes disse que o Brasil está melhor do que outros países e tem todas as condições de atrair investimentos de empresas estrangeiras em áreas como petróleo e gás, alimentos e energia. Ele afirmou que, somando o resultado do leilão de aeroportos desta quinta-feira, o Brasil deverá receber em torno de R$ 900 bilhões nos próximos anos.

“As democracias liberais não confiam mais nos regimes totalitários. A Alemanha não quer mais depender da Rússia. Alemanha e França têm planos de investir no Nordeste brasileiro. Nos próximos quatro anos, vamos dobrar de 10% para 20% a oferta de energia eólica e de 5% para 10% a energia solar.”

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana