TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Grupo de Apoio à Adoção realizou bate papo sobre novo conceito de família

Publicados

em

O Grupo de Apoio à Adoção de Rondonópolis (Gaar) – Gerando Com o Coração realizou no último sábado (14/05), um bate papo sobre “Adoção, novo conceito de família” com as famílias que pretendem adotar, em Rondonópolis. O evento contou com o apoio do Poder Judiciário de Mato Grosso e parceiros.
 
Durante o encontro, foram esclarecidas dúvidas sobre o processo de adoção e os tabus que devem ser quebrados para que a adoção se torne um processo mais fácil tanto para as crianças, quanto para as pessoas candidatas, que podem ser desde pessoas casadas, como solteiras; assim como casais heterossexuais como homossexuais.
 
Segundo a presidente do Gaar, Márcia Matsumoto Alves, o intuito do encontro foi receber os pretendentes para uma discussão aberta sobre adoção. “Foi mais uma acolhida, um momento para eles se sentirem à vontade para conversar sobre seus sentimentos, contarem um pouco sua história e do porque resolveram adotar. Também tivemos participação do Conselho Tutelar, da Juíza da Vara da Infância e Juventude e do serviço social. Todos para ajudar a intermediar esse momento”, contou.
 
A juíza da Vara Especializada da Infância e Juventude da Comarca de Rondonópolis, Maria das Graças Gomes da Costa, ressaltou que é sempre importante falar e difundir o novo conceito de família. “É algo que sempre defendo, e é preciso até fazer uma desconstrução, já que em muitos casos, quando uma criança ou adolescente passa por negligência dos pais, as famílias entendem que cabe a tia, avós, parentes de sangue cuidar deles e eles não devem consentir que essa criança ou adolescente seja colocada em outra família, seja por adoção ou guarda. Elas levam para casa por obrigação e não por afeto, causando respostas negativas adiante, porque temos crianças ou adolescentes com uma série de problemas como: automutilação, tendências suicidas, entre outros, justamente pela falta de amor. Porque foram colocadas na família extensa como um peso e não para serem defendidas, protegidas e amadas”.
 
Maria das Graças também destacou que o encontro serviu para falar mais sobre o processo de adoção com os pretendentes. “Sabemos que muitos quando escolhem adotar acham que será um processo rápido, que na hora de preencher o perfil querem a criança branca, dos olhos verdes, contudo, sabemos que essa não é a realidade. Então é importante fazer esses esclarecimentos para dizer que a espera é longa, pois nem sempre se encontra o perfil desejado”, afirmou.
 
São parceiros neste evento: a Incorporadora Salas, O Boticário e a Sensie Estética Avançada.
 
O Grupo de Apoio a Adoção de Rondonópolis (GAAR) – Gerando com o coração, trata-se de uma organização da sociedade civil, desenvolvida, formada e cultivada por voluntários que se importam e reúnem forças para ajudar na causa da criança e do adolescente, os quais carecem de uma família adotiva que lhes amparem e acolha.
 
Missão: apoiar, orientar e estimular ações que promovam a adoção legal, segura e irrevogável bem como trabalhar em prol da convivência familiar e comunitária de crianças e adolescente em situação de vulnerabilidade social, sempre objetivando o fortalecimento saudável, harmonioso dos vínculos familiares.
 
Visão: sermos reconhecidos pela nossa competência no desenvolvimento de ações que promovam e estimulem a convivência familiar e comunitária para crianças e adolescentes, respeitando o direito a dignidade de conviverem com famílias por adoção ou biológicas.
 
Valores: compromisso com a vida e a dignidade humana. Respeito. O Estimulo à prática da solidariedade da colaboração. A busca de saberes e o compartilhamento de conhecimentos.
 
Larissa Klein
 
Assessoria de imprensa CGJ
 

Comentários Facebook
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Grupo de Fiscalização do Sistema Carcerário realiza visita à Cadeia Pública de Primavera do Leste

Publicados

em

 
“Um case de sucesso.” Essa foi a definição do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF/MT), liderada pelo seu supervisor, desembargador Orlando Perri, durante a visita à Cadeia Pública de Primavera do Leste na manhã de quarta-feira (17 de agosto).
 
O município de Primavera do Leste encerrou a viagem para as inspeções da comitiva do GMF aos municípios da região Leste do Estado. A Comarca foi muito elogiada pelas ações realizadas em parceria com a gestão municipal e que possibilitaram na localidade diversas oportunidades de trabalho para as pessoas privadas de liberdade.
 
A unidade prisional de Primavera do Leste conta atualmente com 207 reeducandos e tem a impressionante marca de cerca de 70 ressocializandos do regime fechado em trabalho extramuro e 10 reeducandos trabalhando intramuro. Com essa somatória, aproximadamente 40% das pessoas privadas de liberdade em regime fechado exercem a remição de pena por algum tipo de atividade de trabalho na cadeia pública do município.
 
A mão de obra dos reeducandos é disponibilizada por meio do Projeto Segunda Chance, ligado à igreja evangélica, que é em parceria com o município, utilizada na secretaria de infraestrutura (fábrica de artefatos, horta, metalúrgica e limpeza urbana), e em uma fábrica privada de colchões da cidade.
 
Número de participantes de projetos e atividades – Além da remição pelo trabalho, os reeducandos participam da diminuição de pena pela leitura e pelos estudos, por meio de projetos e atividades realizadas na unidade. Confira abaixo.
 
Atividades Culturais – 120 reeducandos;
Atividades Esportivas – 67 reeducandos;
Projeto de Leitura – 120 reeducandos;
Qualificação profissionalizante – 35 reeducandos;
Enceja – 09 reeducandos inscritos;
 
A Cadeia do município também oferece o curso de Costureiro de Máquina Reta e Overloque, o grupo reflexivo ‘Respeitar para um Tempo de Paz”, para autores de violência doméstica, e atividades religiosas da pastoral carcerária e das igrejas evangélicas.
 
O supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri, destacou que Primavera do Leste abraça o projeto de ressocialização, a começar pela Prefeitura Municipal, e que o GMF tem como objetivo ampliar ainda mais as ações no município. “Nós estamos trabalhando no sentido de cada vez mais abrir oportunidade de emprego àqueles que cumprem pena no regime fechado ou para os que já progrediram para o semiaberto ou aberto.”
 
De acordo com o corregedor da Execução Penal de Primavera do Leste, juiz Alexandre Delicato Pampado, em decorrência do ‘Segunda Chance’ é possível manter uma boa relação com os reeducandos. “Para que o ressocializando participe do projeto, ele precisa ter bom comportamento. Com isso, conseguimos que todos desejem a liberação para trabalho externo e vivam em harmonia na unidade.”
 
Reunião na Prefeitura – A equipe do GMF também participou de um encontro com o prefeito de Primavera do Leste, Leonardo Bortolin, para tratar do aumento da contratação de mão de obra carcerária, de projetos que possibilitem parcerias para capacitação dos reeducandos e para a implantação do Escritório Social no município.
Na oportunidade, o gestor municipal aproveitou para testemunhar a importância da ressocialização, da quebra de preconceitos por parte da sociedade e da qualidade da mão de obra dos reeducandos em Primavera do Leste.
 
“Esse ano completamos três anos de projeto, onde o primeiro passo foi quebrar paradigmas e preconceitos. Hoje nós temos cerca de 150 reeducandos (70 regime fechado e 80 semiaberto) que exercem um trabalho de qualidade em diversas funções, seja na coleta de lixo ou até mesmo como operador de máquinas. Com o projeto, o município teve queda significativa no número de reincidência de crimes e isso significa que Primavera acredita no poder da transformação social através da ressocialização.”
 
Escritório Social – Em reunião ampliada realizada na tarde de quarta-feira (18 de agosto), no Plenário do Tribunal do Júri da Comarca de Primavera do Leste, a equipe liderada pelo supervisor do GMF, Orlando Perri, apresentou a metodologia do Escritório Social à sociedade primaverense. Durante a cerimônia, o prefeito do município, Leonardo Bortolin assinou o termo de intenção para adesão do Escritório Social pelo Município.
 
Para o coordenador do GMF, juiz Geraldo Fidelis, o Escritório Social vai formalizar e ampliar o trabalho já desenvolvido pela Comarca e pela Prefeitura de Primavera do Leste, agora baseado na metodologia do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Esse trabalho realizado é muito importante. E com isso, junto ao Escritório Social, as ações vão impactar na diminuição da criminalidade nos próximos 20 anos no município. Onde há o Estado presente, as organizações do crime são afugentadas. Esse é o nosso objetivo aqui.”
 
#Paratodosverem Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Descrição de imagens: Foto1: Foto colorida da fachada da Cadeia Pública de Primavera do Leste. O muro é alto na cor cinza escuro. Vários carros estão estacionados na frente da unidade prisional. Foto2: Foto colorida de equipe do GM visitando a Cadeia Pública do município. Eles estão em frente a uma cela conversando com os reeducandos. Foto3: Foto colorida de reunião do GMF com o prefeito de Primavera do Leste. Eles estão todos sentados em uma longa mesa preta. Foto4: Foto colorida de reunião ampliada para apresentação do Escritório Social no Plenário do Tribunal do Júri da Comarca de Primavera do Leste. A frente está o desembargador Orlando Perri, que discursa para a plateia sentada.
 
Marco Cappelletti (texto e fotos)
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana