Saúde

Governo compra “kit-covid” para distribuir aos 141 municípios do Mato Grosso

Publicado

O Governo de Mato Grosso adquiriu grande quantidade de lotes dos medicamentos que compõem o chamado “kit-covid” para distribuir aos 141 municípios de Mato Grosso e, assim, permitir o tratamento precoce dos pacientes com coronavírus.

Durante entrevista ao Canal Rural, neste domingo (05.07), o governador Mauro Mendes afirmou que as aquisições visam ajudar as prefeituras, que são as responsáveis pelo atendimento e compra de remédios para a atenção básica.

Conforme Mendes, os municípios estão tendo dificuldades em fazer as aquisições, não só pela grande demanda e falta de estoque que está tendo no mercado, mas pelos altos preços, que subiram consideravelmente nas últimas semanas.

“Já compramos e estamos aguardando a chegada ao Estado pelos laboratórios que apresentaram o melhor preço no processo de compra que nós fizemos. E, chegando esse medicamento, nós vamos disponibilizar isso aos 141 municípios do estado para que isso possa ser distribuído de acordo com o que os médicos receitarem”, relatou.

O governador explicou que um dos maiores problemas enfrentados hoje no estado é que os pacientes procuram as unidades de saúde quando já estão em situação muito grave, o que pode ser evitado com o tratamento precoce.

“Hoje nas nossas UTIs as pessoas chegam normalmente com 50%, 60%, 70%, do pulmão comprometido. Temos mais pacientes em UTIs do que nas enfermarias. Isso significa que as pessoas procuram ajuda quando já está muito grave e aí fica muito difícil salvar a vida delas”, lamentou.

De acordo com o chefe do Executivo Estadual, disponibilizar os medicamentos para o tratamento inicial já na atenção básica é uma estratégia que tem dado resultados, pois se o paciente recebe a prescrição médica e consegue o medicamento já na UPA ou policlínica, pode iniciar de imediato o tratamento, reduzindo as chances de a doença de agravar.

“O Governo está fazendo sua parte e eu digo que acredito como cidadão. Não posso dar receita, mas eu posso dar a minha experiência pessoal e de centenas de casos relatados, além das experiências bem-sucedidas em Belém, e no Amapá, onde adotaram esse procedimento de distribuir esses remédios. As pessoas tomaram no início e teve grande sucesso”, ressaltou.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Painel registra quase R$ 3 bi em compras para o combate ao coronavírus

Publicado


.

O Painel de Compras Covid-19 do Governo Federal, que detalha informações das aquisições emergenciais realizadas a partir de fevereiro, registrou R$ 2,9 bilhões em compras de itens como máscaras, álcool em gel, termômetros e serviços como os de manutenção de equipamentos médico-hospitalares e de engenharia, em hospitais e em centros de atendimento a pessoas infectadas.

Desde a publicação da Lei nº 13.979, que dispões sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública, de 6 de fevereiro de 2020, 7.186 aquisições de insumos de saúde foram realizadas para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

De acordo com o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert, o painel permite controle dos gastos públicos pela sociedade e por órgãos de controle, durante a pandemia. “Além de investir em ações para simplificar os procedimentos de compras públicas, com a edição de normativos, buscamos desenvolver ferramentas para o acompanhamento das aquisições emergenciais. O fortalecimento do monitoramento, controle e prestação de contas à sociedade estão diretamente ligados à capacidade de resposta à pandemia, por promover melhor aplicação de recursos e mitigar a corrupção”, disse Heckert.

O painel mostra que, até o momento, 5.154 fornecedores abasteceram a administração pública e a sociedade com insumos voltados ao enfrentamento à pandemia. Os órgãos que mais realizaram aquisições, em relação ao valor total comprado, foram a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com pouco mais de R$1 bilhão, o Mistério da Cidadania, com R$ 397 milhões, e o Ministério da Saúde, com R$277 milhões.

Os dados indicam, ainda, que as unidades da Federação onde os órgãos federais mais compraram foram o Distrito Federal, com R$ 1,21 bilhão, seguido do Rio de Janeiro, com R$ 1,18 bilhão. Do total comprado pelo governo, R$ 2,7 milhões foram por meio de dispensa de licitação, que representa 6.705 aquisições.

Quase a totalidade das compras foi feita pelo governo federal – R$ 2,845 bilhões. Mas os estados e municípios também podem usar o Sistema de Compras do Governo Federal (Comprasnet) para fazer as aquisições.

Atualizado diariamente, o painel consolida os dados de todas as modalidades de aquisições por meio do Comprasnet, incluindo órgãos e entidades de outros entes da Federação que utilizam o sistema. As compras podem ser detalhadas de acordo com órgão ou entidade contratante, modalidade de contratação, quantidade e valores adquiridos, descrição do item (simplificada e detalhada), entre outros filtros. Ao analisar uma contratação, a ferramenta também permite exportar os dados para uma planilha, com o objetivo de facilitar a análise da aquisição.

Comparação de preços

Outra ferramenta desenvolvida pelo Ministério da Economia para o acompanhamento das compras emergenciais é o Painel de Análise Comparativa de Preços COVID-19. Nele qualquer cidadão pode acompanhar as variações de preços dos principais itens comprados pelo Comprasnet.

O painel apresenta dados comparativos de preços praticados antes e durante a pandemia. É possível visualizar dados estatísticos de pregões e cotações eletrônicas como, por exemplo, a mediana, o desvio padrão e a diferença média de preços de itens como álcool etílico 70%, máscaras descartáveis e N95, água sanitária, termômetro, luvas, entre outros. O recorte da variação de preços pode ser realizado por esfera de governo, por estado e modalidade de compra (pregão ou cotação eletrônica).

Caso algum cidadão tenha interesse em realizar uma denúncia em relação às compras públicas divulgadas, basta entrar na Ouvidoria da Controladoria-Geral de União (CGU) por meio do portal Fala.br.

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana