mato grosso

Governo amplia parceria com a UFMT para incentivo à atividade de pesquisa

Publicados

em


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), tem ampliado o diálogo com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para o fortalecimento e incentivo de novas parcerias entre as instituições de ensino, e deverá investir cerca de R$ 20 milhões para a criação de uma Rede Multiusuária de Pesquisa.

De acordo com o secretário da Seciteci, Maurício Munhoz, o Estado tem buscado subsidiar a construção de novos arranjos, cada vez mais alinhados com o atendimento conjunto da população. Entre as parcerias, segundo ele, está a criação da Rede Multiusuária de Pesquisa, para o fomento de ações inovadoras, com participação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat). 

“As universidades têm corpo muito parecido, e a Seciteci, como secretaria de Estado, deve se aproximar, porque tem gente pensando o Estado nas diversas dimensões. A UFMT tem quadros fantásticos que ajudam a desenvolver pesquisas importantes para o Estado”, comentou o secretário, após reunião com o Conselho Diretor da UFMT, na última terça-feira (19.04). 

Conforme o secretário, a Rede Multiusuária de Pesquisa da UFMT já conta com infraestruturas de pesquisa, físicas ou virtuais, que propiciam à comunidade acadêmica, científica e tecnológica, insumos e equipamentos que possam desenvolver as atividades de pesquisa. Atualmente, os laboratórios estão distribuídos em Cuiabá, Barra do Garças e Sinop.

Contudo, a fim de expandir o alcance e fomentar novas pesquisas, o Governo do Estado investirá cerca de R$ 20 milhões no lançamento de editais que irão atender outros seis laboratórios distribuídos pelo Estado. 

O reitor da UFMT, professor Evandro Soares da Silva, agradeceu a visita do secretário e afirmou que a intenção é que as as ações desenvolvidas na Universidade dialoguem com as demandas da sociedade. “Precisamos de um projeto estratégico e político para ações de integração com os mais diferentes setores”, ressaltou, lembrando que já teve encontros com o Governo do Estado e com entidades do terceiro setor. 

Com informações da assesoria da UFMT

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Estudantes poderão escolher duas áreas de conhecimento para cursar em 2023

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), por meio da Secretaria Adjunta de Gestão Educacional, promove a I Semana de Escuta do Novo Ensino Médio, de 04 a 08 de julho, em todas as escolas da Rede Estadual de Ensino. Cada unidade, sob acompanhamento da Diretoria Regional de Educação (DRE) do seu polo, definirá as melhores estratégias para desenvolver essa ação.

O objetivo é sensibilizar os estudantes sobre a importância da escolha dos Itinerários Formativos. Quem está matriculado no 9º ano do Ensino Fundamental ou no 1º ano do Ensino Médio precisa procurar a secretaria da escola onde está matriculado para formalizar a sua opção por uma das áreas de conhecimento de maior interesse.

“O novo currículo do Ensino Médio agora é organizado por uma parte comum a todos os estudantes e outra parte flexível. Na parte flexível, os estudantes agora têm ao seu dispor quatro áreas de conhecimento, mais a de formação técnica e profissional. Nesse momento, ele deverá escolher até duas áreas de conhecimento para cursar em 2023”, explica Andréa Melo da Silva Pereira, Coordenadora de Ensino Médio da Seduc-MT.

As opções estão divididas em quatro blocos: Linguagens e suas Tecnologias + Ciências Humanas Sociais Aplicadas, Matemática e suas Tecnologias + Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias + Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, além de Ciências da Natureza e suas Tecnologias + Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

Andréa observa que a Formação Geral Básica do Ensino Médio, comum a todos os estudantes, continua com todos os componentes curriculares. Já os Itinerários Formativos, que é a parte flexível do currículo, em que o estudante pode escolher o que deseja cursar, é composto por Projeto de Vida, Eletivas e Trilhas de Aprofundamento. “Os estudantes terão a oportunidade de escolher as áreas que mais atendam aos seus interesses”, explicou.

As escolhas que os estudantes fizerem em 2022 serão colocadas em prática no ano letivo de 2023, de acordo com sua identificação e interesse. Assim, terão mais tempo de estudos e a oportunidade de aprofundar e ampliar suas aprendizagens, indo além da formação geral e sendo preparado para desenvolver a capacidade de aplicar o conhecimento em diversos contextos.

NOVO ENSINO MÉDIO

Começou a ser implementado de forma gradual a partir desse ano e é um modelo de aprendizagem focada na formação de cidadãos e no desenvolvimento de competências e habilidades, com disciplinas integradas em quatro áreas do conhecimento que possibilitam que os alunos escolham Itinerários Formativos de acordo com áreas de seu interesse e projetos de vida e de carreira.

Na nova estrutura, até 1.800 horas da carga horária contemplam habilidades e competências relacionadas as quatro áreas do conhecimento que fazem parta da Base Nacional Comum Curricular. Outras 1.200 horas são flexíveis e ficarão reservadas para o aprofundamento.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana