mato grosso

Governador: “Muito mais que fazer história, estamos fazendo justiça ao nosso estado e a nossa gente”

Publicados

em


O governador Mauro Mendes afirmou que a vinda da 1ª Ferrovia Estadual de Mato Grosso é muito mais do que um momento histórico, pois traz “justiça ao nosso estado e a nossa gente”. 

A assinatura do contrato com a empresa Rumo Logística para a construção do modal ocorreu nesta segunda-feira (20.09), em Cuiabá. O ato também será realizado ainda hoje em Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. 

“Com a ferrovia, vão ganhar os mato-grossenses, as indústrias, as pessoas. Vai ganhar quem mais precisa de oportunidade, pois mais de 230 mil empregos diretos e indiretos deverão ser criados. Muito mais que fazer história, estamos fazendo justiça ao nosso estado e à nossa gente”, afirmou, durante o ato no Centro de Eventos do Pantanal. 

A ferrovia vai ligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá e Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e também vai se conectar à malha nacional, que chega ao Porto de Santos. 

De acordo com o governador, esse avanço logístico é mais uma alternativa importante e sustentável para o escoamento de grãos, cuja produção em Mato Grosso pode superar as 120 milhões de toneladas anuais até 2030. 

“Melhorando a logística, melhora o processo de desenvolvimento e crescimento do Estado. Sem a ferrovia, iríamos entupir todas as rodovias para atender a essa crescente demanda. Isso teria um prejuízo ambiental gigantesco, teríamos que duplicar as estradas… Já a ferrovia vai ter um impacto muito positivo, porque é uma opção com baixa emissão de carbono, ambientalmente sustentável”, pontuou. 

Para Mauro Mendes, o modal terá um impacto “enorme e positivo” na vida de milhares de mato-grossenses, pois vai impulsionar a indústria, o comércio comércio a geração de empregos. 

“A ferrovia se conecta ao Porto de Santos, principal polo industrial do país, e vai trazer insumos a Mato Grosso com menor custo de transporte. Poderemos trazer aço e matérias primas para a produção, por exemplo, a um custo muito menor. Além disso, será possível levar produtos do nosso mercado interno ao principal mercado de consumo, que é a região sudeste”, relatou. 

O governador ainda adiantou que os trilhos não só vão atrair novos investimentos, como já estão atraindo. 

“Essa obra vai tornar nossas indústrias mais competitivas. Lá em Lucas do Rio Verde, um grupo empresarial anunciou um investimentos privado superior a R$  bilhão, e esse anúncio foi acelerado por conta da ferrovia, pois é uma empresa da área do etanol e o custo do transporte do etanol, com a ferrovia, será muito mais barato”, ressaltou. 

A ferrovia

A construção da ferrovia prevê 730 quilômetros de linha férrea que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP). O investimento estimado para implantação da ferrovia é de R$ 11,2 bilhões e a expectativa é de que o empreendimento promova a geração de 230 mil empregos diretos e indiretos.

A previsão é de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará concluído e em funcionamento no ano de 2025; enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028.

Uma vez implantada a ferrovia, a Rumo S/A fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa vencedora com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Técnicos da Empaer participam de treinamento para auxiliar produtores de piscicultura

Publicados

em


Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer) encerraram, nesta quarta-feira (20.10), o treinamento sobre manejo em piscicultura para acompanhar e orientar produtores do Consórcio Nascentes do Pantanal. Desde segunda-feira (18.10), a programação foi dividida com aulas teóricas na Câmara de Vereadores de Conquista D´ Oeste e práticas em três propriedades na zona rural da cidade.

A qualificação é resultado da parceria entre a Empaer e a Prefeitura de Conquista D´Oeste devido o crescimento da piscicultura que vem ganhando cada vez mais espaço na economia local e, em toda região.

O veterinário da Secretaria Municipal de Agricultura, Flávio Carlos do Nascimento foi um dos instrutores e destacou a importância da iniciativa. “Foram três dias de muita troca de experiência. Passei noções de estudo de mercado, necessidade de projeto, recurso financeiro público e privado, manejo, sanidade, tipos de tanque, além das visitas guiadas que os participantes puderam conhecer o perfil de cada produtor”.

Segundo Flávio, com o conhecimento os técnicos estão aptos a orientar e auxiliar o produtor. “Foi uma experiência rica porque a interação foi a principal característica. Sugiram muitas dúvidas que no transcorrer do treinamento foram sendo sanadas. Tive a oportunidade de ensinar, mas aprendi também”, pontua o veterinário.

A analista ambiental da unidade descentralizada da Sema, Eliane Aparecida de Freitas, explica que um dos assuntos apresentados foi sobre a descentralização que facilitou o acesso e a aproximação de toda pessoa interessada nos serviços da Sema na região.

“Queremos orientar e auxiliar, por isso, atendemos o convite. O produtor é um empreendedor. Ele investe e precisa conhecer a legislação que rege o meio ambiente. Para os que já estavam antes é importante se regularizar e muitos têm nos procurado”.

Eliane explica que além de todo procedimento para regulamentar a prática precisa estar associada à liberação para poder comercializar o peixe, caso haja qualquer empecilho prejudica toda uma cadeia de investimento. “Os técnicos da Empaer são porta-vozes e nos auxiliam a propagar a importância de seguir toda legislação. Na qualificação deixei bem claro a importância da iniciativa”.

O técnico da Empaer de Curvelândia, Valmir Garcia explica a cadeia produtiva da piscicultura no município conta com aproximadamente 180 hectare de tanque escavado. Ele destacou a importância do perfil da propriedade e do produtor na atividade, conforme o clima, a genética, nutrição, o manejo, a sanidade e o mercado.

“É importante escolher a espécie de peixe conforme o mercado consumidor a ser alcançado, além da aptidão da região. Observamos que no município de Conquista D’Oeste tem sido utilizado o matrinxã, jatuarana e tabatinga”.

Segundo Valmir, durante o treinamento ficou evidenciado por exemplo, que a construção de tanques de 1,3 hectares tem trazido melhores resultados, devido ao desenvolvimento dos peixes e a facilidade de fechar uma carga de transporte por tanque. O que facilita o manejo, diminuindo o estresse dos animais. “É mais um desafio que vamos levar para o produtor”, destaca o técnico.

Já Cleiciany Miranda, técnica da Empaer de Cáceres, destacou que ficou surpresa que na piscicultura, a alimentação é um dos pontos de maior preocupação, pois representa cerca de 70% dos investimentos nesta área. Por isso, o cuidado diário precisa ser considerado pelo produtor.

“Vamos qualificando para poder auxiliar os produtores da agricultura familiar e fomentar cada vez mais o nosso trabalho que é levar comida de qualidade na mesa do cidadão”.

Participaram também do treinamento técnicos da Empaer de Pontes e Lacerda, Comodoro, Conquista D´Oeste, Vale de São Domingos, Porto Esperidião, Salto do Céu, Jauru, Nova Lacerda, Reserva do Cabaçau e São José dos Quatro Marcos.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana