ENTRETENIMENTO

Glenn Close relembra derrota de Fernanda Montenegro no Oscar: “Nunca entendi”

Publicados

em


source
glenn glose
ABC/Reprodução

Em entrevista, atriz americana relembra quando Fernanda Montenegro concorreu ao Oscar mas não ganhou

Em entrevista ao ABC News,  Glenn Close relembrou o Oscar de 1999 em que Gwyneth Paltrow levou o prêmio pela atuação de “Shakespear Apaixonada” mesmo concorrendo com Fernanda Montenegro em “A Central do Brasil”.

A atriz falou sobre o tema ao ser perguntada sobre as expectativas de ser indicada pelo seu novo filme, “Era Uma Vez Um Sonho”, onde trabalha ao lado de Amy Adams.

“Honestamente, acho que ser indicada pela sua atuação é tão bom quanto ganhar. E eu nunca entendi como comparar performances. Lembro de quando Gwyneth Paltrow ganhou daquela atriz incrível de ‘Central do Brasil’ e penso: O que? Não faz sentido’”, disse Close.

Naquela edição do prêmio, Gwyneth e Fernanda concorreram também com Meryl Streep, Cate Blanchett e Emily Watson.


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Propaganda

ENTRETENIMENTO

“Passei pano e me arrependi”, diz ativista sobre transfobia de Nego do Borel

Publicados

em


source
Nego do Borel, Agripino Magalhães e Karol Conka
Reprodução Instagram

Nego do Borel, Agripino Magalhães e Karol Conka

A polêmica sobre a  acusação de Karol Conká de que Nego do Borel questionou se ela era homem ou mulher, mas o funkeiro nega a denúncia , fez o ativista pelos direitos LGBTQ+ entrar em ação.

Agripino Magalhães já entrou com um pedido formal para colocar os dois cantores frente a frente em uma apuração dos fatos. Só depois desse confronto, ele vai abrir uma queixa-crime contra um dos famosos.

“Eu quero agora saber quem está mentindo. A Karol Conká fez acusações graves em rede nacional e quando ela diz que o Nego do Borel fala que ‘somos pessoas estranhas’ se referindo aos gays e as lésbicas, o cantor está atacando toda a população LGBTQ+. Ele diz que não foi assim e aí é a cantora que, na verdade, comete um crime de transfobia. Eles vão ter que provar quem está com a verdade”, explicou.

Agripino ainda assumiu ter ficado decepcionado com a mais recente confusão envolvendo o nome de Nego do Borel, quem ele ajudou no episódio da Luiza Marilac no início de 2019.

O funkeiro chamou a travesti de “homem”. “Na época, eu não abri um processo e cheguei a levá-lo em vários points da população LGBTQ+ e dei uma cartilha sobre a comunidade. Ele pediu desculpas e disse que queria aprender para não cometer mais erros. Passei pano e o até defendi de várias pessoas e, hoje, vejo que continua com o preconceito velado”, finalizou o ativista.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana