BRASIL E MUNDO

Gilmar Mendes tira da Lava-Jato do Rio investigação contra delegado

Publicados

em


source
Ministro do STF, Gilmar Mendes
NELSON JR./STF

Ministro do STF, Gilmar Mendes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes proferiu uma decisão determinando que uma investigação contra delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro saia da competência da Lava-Jato do Rio e seja encaminhada para a Justiça Estadual. O caso envolvia suspeitas de pagamento de propina do empresário Arthur Soares, o rei Arthur, a um delegado da Polícia Civil, Ângelo Ribeiro de Almeida Júnior, em troca de proteção em investigações.

Em sua decisão, Gilmar entendeu que o único elemento usado para justificar a competência do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio, era a delação, e que não havia relação dos fatos com a Lava-Jato do Rio. A reclamação foi protocolada pelo advogado do delegado, Rafael da Silva Faria.

“O suposto recebimento, pelo reclamante, de vantagem indevida de Arthur Soares, por intermédio de Danilo Botelho, não é suficiente para sustentar uma conexão com os fatos apurados pela Operação Titereiro –não há envolvimento de agentes públicos, verbas federais ou qualquer vínculo com os delitos praticados na gestão do governo Cabral, dos quais se desdobrou a Operação Titereiro”, escreveu Gilmar Mendes.

O ministro fez críticas aos processos mantidos sob a competência de Bretas no Rio, apontando que não é possível determinar que os desdobramentos da Lava-Jato do Rio automaticamente teriam que ficar sob a alçada de Bretas. “Importante observar que a regra no processo penal é o respeito ao princípio do juiz natural, com a devida separação das competências entre Justiça Estadual e Justiça Federal”, escreveu.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Tiroteio em festa de aniversário de criança deixa nove jovens feridos nos EUA

Publicados

em


source
Cerca de 60 pessoas participavam na festa de aniversário
Reprodução/AP

Cerca de 60 pessoas participavam na festa de aniversário

Um tiroteio em uma festa de aniversário de criança em Louisiana, nos Estados Unidos , deixou nove jovens feridos no último sábado (17). De acordo com as investigações, os tiros começaram após uma discussão entre dois grupos de adolescentes. Os responsáveis ainda não foram presos. As informações são do portal Daily Mail .

Segundo a publicação, a violência começou por volta das 20h30 em uma casa no subúrbio de Nova Orleans, onde cerca de 60 jovens se reuniram para comemorar o aniversário de uma criança de 12 anos. O xerife Mike Tregre disse que dois grupos de adolescentes, que tinham uma rixa em andamento, se encontraram na casa e inciaram uma discussão, disparando vários  tiros com mais de uma arma .

Nove jovens foram feridos e, desses, sete foram levados a um hospital local e já tiveram alta. Dois ainda estão internados, mas seguem estáveis. Entre as vítimas estão um menino de 17 anos  baleado no braço, um jovem de 16 anos pastou nas costelas; um menino de 15 anos com um ferimento no tornozelo; um garoto de 15 anos com um tiro no pé; um garoto de 14 anos com um tiro na perna; um garoto de 13 anos com um tiro na perna; e um menino de 12 anos baleado nas duas pernas. O menino de 16 anos que levou um tiro no estômago e o de 14 anos que foi ferido na cabeça permanecem internados.

O xerife afirmou que a investigação do caso é “frustrante”, já que eles receberam algumas dicas, mas ninguém fez uma declaração formal até o momento. “Não temos uma testemunha, nenhuma pessoa que tenha visto nada ainda. Então, estamos tentando resolver por conta própria agora”, disse Tregre ao  The Times-Picayune . “Nós não vamos parar. Vamos continuar assim. Alguém tem que se apresentar. Isso não pode ser assim”, continuou.

Devido à dificuldade na investigação do caso, uma recompensa de $2.500,00 (cerca de R$ 13.865,25) está sendo oferecida para quem fornecer informações sobre os responsáveis.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana