CIDADES

Gestores municipais podem acessar nova pauta de distribuição de vacinação contra Covid-19

Publicados

em


Com a indicação de dose de reforço, o 50º Informes Técnicos Ministério da Saúde (MS) com a nova pauta de distribuição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19 do Ministério da Saúde (MS) está disponível para acesso. Os gestores podem acessar a aba cronograma e plano nacional, do Observatório CNM Covid-19, e baixar o documento.

De acordo com a 52º pauta, publicado dia 20 de setembro, será distribuído um total de 9.761.220 milhões de doses de vacina, sendo:
 2.691.190 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz;
 7.053.870 milhões de doses da Pfizer/Biontech; e
 16.160 doses únicas da Janssen/Johnson & Johnson.

A área de Saúde da Confederação Nacional de Municípios (CNM) recomenda atenção aos anexos, que orientam o público a ser vacinado. Vale ressaltar que parte das vacinas da Pfizer/Biontech são destinadas à vacinação de reforço da população maior de 70 anos e imunossuprimidos. As doses da Janssen/Johnson & Johnson devem ser destinadas para o reforço da população indígena maior de 70 anos e imunossuprimida.

Orientação
Indicada para os idosos acima de 70 anos, a dose de reforço deve ser aplicada a partir de seis meses, após a última dose do esquema vacinal (D2 ou dose única) e para as pessoas com alto grau de imunossupressão, que deverá aplicada 28 dias após a última dose do esquema básico.

O MS publicou orientações sobre a dose de reforço, por meio da Nota Técnica 27/2021. Devem ser utilizadas para a dose de reforço, as vacinas da plataforma de RNA mensageiro (Pfizer/Wyeth) ou, de maneira alternativa, vacina de vetor viral (Janssen ou Astrazeneca). Os grupos prioritários são: 
* Imunodeficiência primária grave;
* Quimioterapia para câncer;
* Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
Pessoas vivendo com HIV/Aids;
Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1);
Pacientes em hemodiálise; e
* Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas — reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias.

Leia também: Ministério da Saúde detalha cronograma de vacinação da dose de reforço de idosos e imunossuprimidos

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Propaganda

CIDADES

MEC lança cursos a distância para professores da educação infantil

Publicados

em


O Ministério da Educação (MEC) lançou ontem (19) um conjunto de novos cursos a distância para professores da educação infantil. Serão disponibilizadas 200 horas de conteúdos e sugestões de atividades de forma gratuita para professores de creches e pré-escolas.

Os conteúdos e recursos pedagógicos estarão organizados em seis módulos: Conhecer-se e Expressar; Conviver; Participar e Explorar; Brincar; Comunidade Escolar; e Famílias: mãos entrelaçadas. Cada módulo é formado por um convite à reflexão, um embasamento teórico e atividades sugeridas aos professores.

As inscrições para os cursos já estão abertas. Os módulos serão disponibilizados gradativamente, entre outubro e novembro. Serão ofertados aspectos teóricos e práticos da educação para esse segmento dos alunos, a partir da nova Base Nacional Comum Curricular.

O público-alvo da formação lançada hoje são 593 mil professores das redes pública e privada que atuam em creches e pré-escolas. Os cursos serão publicados no ambiente virtual de formação do ministério, Avamec. Atualmente, o sistema utilizado pelo MEC conta com 1,1 milhão de usuários e 148 cursos.

Na cerimônia de lançamento, transmitida pelos canais do ministério, o titular da pasta, Milton Ribeiro, disse que o objetivo é fornecer ferramentas para apoiar os docentes no papel da construção dos cidadãos.

“A primeira etapa da educação básica é a educação infantil. É o momento de cuidar e estimular as crianças de 0 a 6 anos, período em que estão sedentas para explorar o mundo. A missão dos professores é muito importante, podem fazer a diferença na vida das crianças para construir as melhores habilidades e competências socioemocionais”, declarou Ribeiro.

Ele acrescentou que a formação poderá possibilitar aos professores aperfeiçoar as propostas pedagógicas para extrair o melhor de cada ser humano em formação.  

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana