cultura

Filme mato-grossense traz olhar crítico sobre a pandemia

Publicados

em

É no bairro Aldeia Velha, em Chapada dos Guimarães, que ocorrem as gravações do novo filme do cineasta Luiz Borges. O curta-metragem “Angelus Novus: na boca da noite anuncia a derrocada do Anticristo” movimenta equipe e elenco até o dia 13 de junho. O projeto foi aprovado no edital MT Nascentes, realizado pelo Governo de Mato Grosso, via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

Diante das dificuldades em encontrar um prédio para realizar as gravações durante a pandemia, Luiz Borges, que é morador antigo da comunidade, transformou sua casa em set de filmagem, reproduzindo os espaços do Edifício Palácio do Comércio, de Cuiabá, onde a história é ambientada. Nos últimos dois dias de gravação, a equipe segue para a capital, para gravar externas no entorno do prédio.

É justamente sobre esse tempo novo e adverso, de crise sanitária, social e econômica, que o filme trata. “Mas além de focar na pandemia, o filme dialoga também com o pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin e aspectos urbanísticos de Cuiabá, principalmente ao exaltar seu Centro Histórico e revisitar o prédio que simboliza uma era marcada por obras que ‘modernizaram’ a cidade”, diz Luiz Borges.

Impulsionado por um olhar crítico, expõe mudanças culturais e o impacto gerado nas relações pela situação de crise sanitária que realçou mazelas da sociedade. Por meio da ficção, o diretor e roteirista Luiz Borges faz um registro de um tempo permeado por rigorosos protocolos sanitários, tensão psicológica decorrente do isolamento e problemas sociais que foram agravados no período, como o aumento da violência doméstica, preconceito, fome e desemprego.

Indústria mato-grossense de cinema

Luiz aponta que ao menos 35 profissionais estão diretamente vinculados ao projeto. “Nossa meta é fazer jus à seleção no edital em que obtivemos o primeiro lugar na contagem dos pontos”, se orgulha.

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) Alberto Machado celebra a produção. “A arte retrata o seu tempo. E além da perspectiva cultural, o cinema é fonte de renda para milhares de profissionais. A cadeia produtiva se fortalece e o edital cumpre sua razão de ser, que é a de apoiar profissionais do setor com auxílio financeiro”.

O diretor Luiz Borges é cuiabano e tem grande contribuição à cultura mato-grossense. Pesquisador, escritor e cineasta, também assina 20 edições do Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, um projeto idealizado por ele na década de 1990.

Ele também é roteirista e diretor do curta-metragem A Cilada com os Cinco Morenos, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Filme no 4º Brazilian Film Festival of Miami, em 2001.

Acompanhe as diárias de gravações no Instagram @filmeangelusnovus.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Filme documental sobre Barão de Melgaço será exibido na TV aberta neste sábado (19)

Publicados

em

Barão de Melgaço – O bretão cuiabanizado Augusto Leverger, filme documental dirigido por Leonardo Sant’Ana, com produção executiva de José Paulo Traven, entra para a programação da TV Centro América e será exibido neste sábado (19), às 23h55, no Supercine, logo após o programa Altas Horas.

De acordo com Paulo Traven, o longa-metragem conta a trajetória do militar franco-brasileiro, destaque na Guerra do Paraguai e presidente da província de Mato Grosso em várias ocasiões.

“Trata-se de um trabalho primoroso que integra cinema e animação em uma produção documental, em memória aos 140 anos da morte de Augusto Leverger – patrono na Academia de Letras e no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso”.

Traven explica ainda que para isso, foram entrevistados historiadores e pesquisadores como João Carlos Vicente Ferreira, Suely da Costa Campos, João Antônio Lucídio, Eduardo Mahon, Elizabeth Madureira, Maria Adenir Peraro e Ernesto de Sena.

“Em 93 minutos, os entrevistados destacam fatos e curiosidades sobre o Barão de Melgaço, que foi também historiador e geógrafo e tinha entre seus principais interesses a hidrografia. Ele foi a figura mais importante da literatura mato-grossense de sua época e aumentou sua coleção de prêmios, condecorações e honrarias com o título de Barão de Melgaço, concedido pelo Imperador Dom Pedro II, em 1865, colocando-o no mesmo patamar do Barão de Rio Branco e de Mauá”, conta Traven.

Barão de Melgaço – O bretão cuiabanizado Augusto Leverger foi viabilizado por meio de Emenda Parlamentar destinada em 2017 pelo deputado Alan Kardec e é uma realização da Associação Mato-grossense de Inclusão Sócio Cultural/ AMISCIM e produção Terra do Sol filmes, Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel).

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana