TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Férias escolares: crianças podem viajar sem os pais, desde que tenham autorização expressa

Publicados

em


O mês de julho está ai e com ele vários pais ficam com dúvidas em relação às viagens com os filhos. Apesar da pandemia muitas famílias aproveitam esse momento de férias escolares para rever os parentes, avós e amigos de outros estados. Contudo se os pequenos (menores de 16 anos) não estiverem acompanhados com o pai ou a mãe é preciso de uma autorização expressa, por meio de escritura pública ou de documento particular, com firma reconhecida por semelhança ou autenticidade.
 
A autorização fica dispensada quando se tratar de viagens entre a comarca contígua à da residência da criança ou do adolescente menor de 16 anos, se for no mesmo Estado ou na mesma região metropolitana. Fica também dispensada a autorização se a criança estiver acompanhando de parente até o terceiro grau (irmãos, tios, avós, bisavós, sobrinhos), desde que apresentem documento de identificação que comprove o parentesco.
 
Se a viagem for na companhia de pessoa maior, sem grau de parentesco ou desacompanhado, é preciso autorização expressa dos pais, com firma reconhecida. Esta autorização, quando se tratar de viagem dentro do território nacional, pode ser emitida por qualquer um de seus genitores ou responsável legal. As Varas da Infância e Juventude realizam as emissões de autorização quando não for possível, por alguma razão, as emissões extrajudiciais (em cartórios).
 
Na prática, para a grande maioria dos casos, os pais redigem as autorizações de próprio punho e dirigem-se a um cartório extrajudicial para reconhecimento de firma. Vale destacar que a Resolução nº 295/2019 elevou a idade de 12 para 16 anos quanto à exigência de autorização para viagens nacionais.
 
Nos casos de viagem internacional, permanece a necessidade de autorização de ambos os pais, com firma reconhecida em cartório extrajudicial. Após emitida, a autorização tem validade máxima de até dois anos.
 
Para desburocratizar e simplificar esse procedimento, desde a edição da Resolução nº 295/2019, é possível incluir a autorização de viagem de menor de 16 anos para viajar desacompanhado em seu próprio passaporte. A inclusão é feita no ato da solicitação do documento junto à Polícia Federal.
 
 
Veja AQUI a Resolução 295 do CNJ.
 
 
Ulisses Lalio
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 
 

Comentários Facebook
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Judiciário de Mato Grosso registra 159.096 movimentações no PJe durante recesso forense

Publicados

em


Durante o último recesso forense (20 de dezembro de 2021 a 6 de janeiro de 2022), o Poder Judiciário de Mato Grosso registrou 159.096 movimentações feitas por usuários do Processo Judicial Eletrônico (PJe), ferramenta que garante acesso ágil e ininterrupto aos serviços da Justiça Estadual.
 
Mesmo durante o regime de plantão, em que os prazos processuais permanecem suspensos, o atendimento aos interessados manteve-se em pleno andamento, assim como os serviços de suporte técnico disponibilizado pela Coordenadoria de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça.
 
Para a presidente do Poder Judiciário de Mato Grosso, desembargadora Maria Helena Póvoas, esse dado comprova que a instituição obteve êxito em promover o devido atendimento às demandas dos advogados e advogadas, partes e demais usuários e usuárias da Justiça, em especial durante o acirramento da pandemia da Covid-19 registrado recentemente.
 
“O PJe é um importante instrumento de trabalho para o devido andamento processual e mesmo durante o recesso nós registramos alto volume de atendimentos. Durante o plantão, nossas equipes garantiram aos interessados o atendimento de suas demandas. Então, também gostaria de agradecer o empenho de todos os envolvidos que colaboraram para manter a devida prestação de serviços nesse período”, salientou a presidente.
 
O Judiciário mato-grossense tem investido maciçamente em novas tecnologias a fim de acompanhar a crescente demanda de serviços, que aumentou ainda mais com a pandemia da Covid-19. Diversos avanços incorporados à rotina dos cidadãos, como a realização de videoconferências, uso do WhatsApp e serviços como o Balcão Virtual, foram adotados pela instituição.
 
Retomada – Os prazos tanto dos processos eletrônicos quanto físicos e híbridos do Poder Judiciário de Mato Grosso voltam a correr normalmente a partir desta sexta-feira (21 de janeiro), em conformidade com o artigo 220 do Código de Processo Civil (CPC), que determina a suspensão de todos os prazos processuais no período de 20 de dezembro a 20 de janeiro.
 
Leia matérias sobre o assunto:
 
 
 
 
 
Lígia Saito
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana