BRASIL E MUNDO

Falta de ministro da Saúde não faz “máquina parar de funcionar”, diz secretário

Publicado


source
o secretário élcio franco em coletiva de imprensa
Júlio Nascimento/Presidência

O Secretário-Executivo Substituto do Ministério da Saúde afirmou que estrutura da pasta não está comprometida


Nesta terça-feira, 02, o Secretário-Executivo substituto do Ministério da Saúde, Élcio Franco, afirmou que candidatos aos cargos de ministro da saúde e secretário da pasta estão em etapa de entrevistas. No entanto, ele não deu uma previsão de data para nomeação.

Leia também: Ministros da Saúde e Justiça revogam portaria sobre quarentena e isolamento

Durante coletiva, Franco foi questionado sobre a falta de um ministro e de um secretário de Saúde diante do combate à pandemia do novo coronavírus . Segundo o secretário, isso não tem sido um obstáculo.

“Cabe ressaltar que todas as funções do Ministério tem nomeado eventuais substitutos. Isso não faz a máquina parar de funcionar, ela continua girando”, afirmou. 

Ainda segundo o secretário substituto, as vagas não “comprometem a estrutura” de funcionamento e da gestão de combate à crise sanitária.

Leia também: Gabinete do MP pede esclarecimentos à Saúde sobre o uso da cloroquina

Franco afirmou que existem nomes cotados que estão passando por processo seletivo. “Eles estão em fase de entrevista para a definição e futura nomeação. Tão logo sejam preenchidos os requisitos – porque tem que preencher alguns requisitos de acordo com a nossa necessidade -, esse secretários estarão sendo nomeados”, afirmou.

A decisão para o novo ministro da Saúde passa pelo mesmo processo. No entanto, o secretário lembrou que o general Eduardo Pazuello assume a parta interinamente.

“O Ministério continua funcionando com as suas estruturas, fazendo o melhor emprego possível de seus técnicos”, afirmou.

Comentários Facebook
publicidade

BRASIL E MUNDO

Bolsonaro: “Pelo STF, eu tinha que estar na praia, tomando uma cerveja”

Publicado

 

source
Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro | Mariana Schreiber / BBC News Brasil 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta sexta-feira (15) não ser responsável pelo atraso nas vacinas e pela explosão de casos de Covid-19  que já colapsou o sistema de saúde do estado de Amazonas.

Em entrevista à Bandeirantes , Bolsonaro afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o Supremo Tribunal Federal (STF) conferiu a governadores e prefeitos o poder de decidir sobre políticas contenção à pandemia.

“Eu tinha que estar na praia uma hora dessas. Pelo STF, eu tinha que estar na praia agora, tomando uma cerveja. O Supremo falou isso para mim. O erro meu agora foi não atender ao STF e estar interferindo, ajudando quem está morrendo em Manaus”, disse.

Sobre uma eventual abertura de processo de impeachment, o presidente afirmou que “não existe nada de concreto” contra ele e que “querem inventar uma narrativa” para tirá-lo do cargo.

‘Querem inventar uma fake news, uma narrativa para me tirar daqui. Qual moral tem João Doria e o Rodrigo Maia em falar de impeachment ou me acusar de tudo isso que está acontecendo aí se eu fui impedido pelo STF de fazer qualquer ação em combate ao coronavírus em estados e municípios?”, questionou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana