BRASIL E MUNDO

Exército espanhol vai a Ceuta para controlar “avalanche” de imigrantes

Publicados

em


Várias unidades do Exército espanhol foram enviadas a Ceuta nesta terça-feira (18) para controlar as ruas da cidade, após cerca de 6 mil migrantes terem entrado de forma ilegal. A Espanha já reenviou ao Marrocos 2,7 mil dessas pessoas. Em mensagem no Twitter, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, afirmou que vai utilizar “a máxima firmeza” para restaurar a normalidade em Ceuta.

“Minha prioridade neste momento é devolver a normalidade a Ceuta. Os cidadãos devem saber que têm o apoio total do governo da Espanha e a máxima firmeza para garantir a sua segurança e defender a sua integridade face a qualquer desafio”, disse o chefe do Executivo.

Desde ontem, cerca de 6 mil migrantes, a maioria marroquinos, entraram ilegalmente em Ceuta, a nado ou pulando as altas cercas fronteiriças que separam a cidade do Marrocos. Do total, 1,5 mil são menores.

As autoridades espanholas e marroquinas tinham concordado em devolver ao Marrocos os jovens daquele país que chegassem a Ceuta, e o ministro espanhol da Administração Interna, Fernando Grande-Marlaska, anunciou nesta terça-feira que já foram reenviados ao país 2.700 migrantes. “Estamos continuando essas devoluções”, disse.

“A lei, os tratados internacionais e os nossos acordos com o Marrocos” serão aplicados para a proteção dos cerca de 1,5 mil menores que estão entre os imigrantes, acrescentou o ministro espanhol.

Para agilizar o processo e garantir a segurança dos cidadãos, Grande-Marlaska informou que ainda hoje deverão chegar à cidade espanhola 200 militares, 150 policiais nacionais e 50 guardas civis para complementar os 1,1 mil efetivos que habitualmente se encontram em Ceuta.

“Ceuta é tanto Espanha quanto Madri ou Barcelona. Vamos ser incisivos na defesa das nossas fronteiras”, garantiu Grande-Maslaska. “Seremos tão beligerantes como somos na luta contra o discurso de ódio”, afirmou.

“Tem sido uma noite de tensa calmaria, mantivemos nossas posições como ontem [segunda-feira] para vê-los chegar, porque perante uma avalanche de pessoas com essas características não podemos fazer mais nada”, disse um guarda civil, que teme o surgimento de problemas de segurança, uma vez que a cidade não tem capacidade para controlar todos esses imigrantes. Há relatos de confrontos hoje entre um grupo de imigrantes e a guarda civil.

“A cidade está lotada, há grupos de imigrantes em todas as ruas, principalmente na zona portuária, no centro e no bairro de San José”, afirmou um agente. “A maioria, 99%, é jovem”.

A situação no enclave espanhol levou o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, a cancelar a viagem que faria a Paris para participar de cúpula sobre o financiamento da África, organizada pelo presidente francês, Emmanuel Macron.

*Com informações da RTP – Rádio e Televisão de Portugal.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo; veja os vídeos

Publicados

em


source
Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo
Reprodução

Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo

Um navio de carga supostamente desgovernado se chocou com um píer onde ficam ancoradas as balsas que fazem a  travessia  entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo, na tarde deste domingo.

De acordo com o Departamento Hidroviário, travessia ficou paralisada por cerca de 1h20 devido ao acidente. Ninguém se feriu.

A Capitânia dos Portos, em Santos, informou que uma equipe de peritos está no local para avaliar os danos feitos na área de embarque de bicicletas, que dá acesso às balsas, e também no navio, que ficou avariado.

Segundo a capitânia, o navio da Hamurg Süd levava contêineres, mas não há detalhes sobre o conteúdo embarcado.

Você viu?

Segundo o portal G1, o acidente ocorreu por volta de 14h, no terminal de travessia de balsas de bicicletas. Um navio de carga colidiu e destruiu o píer de atracação.

Ainda não há informações do que provocou o acidente. As causas serão averiguadas pela Capitania dos Portos e Marinha.

Equipes do Departamento Hidroviário trabalharam para retomar o serviço, que voltou a funcionar por volta das 15h.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o momento em que o barco atinge o píer. Assustadas, algumas pessoas correm.

O navio Cap San Antonio, de bandeira dinamarquesa, havia saído de um dos terminais de Santos e seguiria para o Porto de Paranaguá. Com 8,9 metros de calado, a embarcação foi construída em 2014. Tem 333 metros de comprimento e 48,3 de largura. Sua capacidade é de 10.500 TEU (Twenty feet Equivalent Unit/ ou unidade equivalente a um contêiner de 20 pés).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana