POLÍTICA NACIONAL

Evangélico e sonho de ser político: quem era o vereador assassinado em Caxias

Publicados

em


source
Sandro do Sindicato
Reprodução

Sandro do Sindicato



Uma multidão acompanha o cortejo do corpo do vereador Alexsandro Silva Faria, o Sandro do Sindicato (Solidariedade), na manhã desta quinta-feira. O parlamentar, de 42 anos, foi  assassinado na manhã de ontem por tiros de fuzil quando dirigia uma van no bairro Pilar. Centenas de pessoas caminham acompanhando o corpo até o Cemitério Nossa Senhora do Pilar, onde será enterrado. O velório foi realizado desde as 6h na Igreja Ministério Apostólico Adonai, no bairro Pilar, congregação que ele frequentava .

Um carro de som do sindicato da construção civil do qual o vereador era diretor-geral, acompanha o cortejo com músicas evangélicas. Com camisas personalizadas com a foto de Sandro e a frase “Quem aceita o mal sem prosperar coopera com ele”, as centenas de pessoas cantam em conjunto enquanto caminham.

O corpo chegou ao cemitério às 9h50, sob aplausos das pessoas que o acompanham. A Guarda Municipal acompanha o cortejo orientando o trânsito.



Leia Também

Sonho de ser vereador

Leia Também

Alexsandro tinha 42 anos e estava no primeiro mandato, depois de tentar três vezes uma vaga na Câmara da cidade. Diretor do SITICOMMM-Caxias (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Montagem Industrial, Mobiliário, Mármore e Granito e do Vime de Duque de Caxias), ele transportou a atuação junto à categoria para o nome de urna: Sandro do Sindicato.

A alcunha rendeu 3.247 votos nas eleições de 2020, o suficiente para que ele se elegesse pelo quociente eleitoral. Mais de dois terços da votação vieram da zona eleitoral de bairros como Vila Rosario, Parque Fluminense e Pilar, o mesmo onde ele acabou assassinado.

De acordo com o presidente da Câmara, Celso do Alba, Sandro vinha relatando, antes das sessões, “algum desconforto em relação à segurança”. Parentes do parlamentar, contudo, afirmam que ele  não compartilhou nenhum tipo de ameaça ou temor com a família.

“Ele sempre desejou ser vereador, e as pessoas no bairro achavam que ele não teria condições. Primeiro pela cor da pele, pela condição financeira. Ele realizou o sonho dele. Acredito que morreu feliz”, conta Marcos Silva Faria, de 39 anos, irmão do vereador.

Sandro, que era evangélico, vinha cogitando deixar as atividades políticas e sindicais para dedicar-se à Igreja Ministério Apostólico Adonay. O legado nos dois campos ficaria para o filho, Alexsandro Júnior, de 26 anos:

“Uma semana atrás, ele me mandou mensagem perguntando: “Filho, você está preparado para ficar no meu lugar?”, lembra o primogênito do vereador.

O parlamentar era casado e deixou seis filhos. Na Câmara, ele foi substituído pelo suplente Alex Freitas (Solidariedade).

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro confirma Alexandre Silveira como líder do governo no Senado

Publicados

em


source
Alexandre Silveira será novo líder do governo Bolsonaro no Senado
Gustavo Lima

Alexandre Silveira será novo líder do governo Bolsonaro no Senado


O governo Jair Bolsonaro (PL) já decidiu quem será seu novo líder no Senador. O escolhido foi o senador Alexandre Silveira (PSD-MG), suplente de Antonio Anastasia (PSD-MG) e aliado do presidente da Casa , Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

“Estou combinando com o Tarcisio [Freitas, ministro da Infraestrutura] três, quatro dias montado num trem nessa ferrovia. Talvez março. A gente vai convidar a bancada mineira, tem que convidar, né? Vamos convidar o novo líder do governo que vai assumir agora em fevereiro, o Alexandre Vieira. Silveira. Desculpa aí, Alexandre Silveira”, disse Bolsonaro durante sua tradicional live de quinta-feira (20) nas redes sociais.

No momento que confirmou o cargo, ele falava sobre a ferrovia Norte-Sul. Nesta edição, a transmissão ao vivo contou com a presença de Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura, e de Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia.

Mais cedo, Silveira havia dito que não poderia analisar o convite para assumir a liderança antes de tomar posse como senador. Isso não deve acontecer antes de fevereiro, quando o Congresso dará início aos trabalhos legislativos.

Leia Também

Anastasia, titular da vaga, vai deixar a cadeira no Senado porque foi aprovado pelo Congresso para o cargo vitalício de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Sua posse, no entanto, também não foi marcada.

Saída de Fernando Bezerra

conquista de Anastasia tem relação direta com a mudança na liderança do governo. Ele disputou a vaga contra os senadores Fernando Bezerra (MDB-PE), então líder da gestão na Casa, e Kátia Abreu (PP-TO).


O resultado da votação foi com 52 votos para o vencedor, 19 para Kátia e apenas 7 para Bezerra. Com isso, de acordo com o blog de Valdo Cruz, no G1, o emedebista se sentiu traído. No dia seguinte, ele entregou o cargo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana