cultura

Estudantes fazem releitura de obras de grandes pintores

Publicados

em

Alunos da Escola Estadual Padre Tiago, em Mirassol D’Oeste (300 km a oeste da Capital), usaram a criatividade nas aulas de arte com a releitura de pintores famosos.  A atividade foi reproduzir uma obra de arte usando objetos, roupas, maquiagem, cenários produzidos por eles mesmos. Em seguida, tiravam fotos e enviavam via WhatsApp para a turma. Com isso, os alunos se transformam na própria obra de arte.

A experiência surpreendeu a professora Janice Destacio que conseguiu levar até seus alunos, obras de grandes pintores universais. Além do trabalho prático, os alunos aprenderam sobre os artistas.

Releitura do aluno Weberson da obra de Cândido Portinari

“Os alunos fizeram uma releitura de grandes obras, como Musician, de Cândido Portinari de 1959, Esperança e Inocência, de Ettore Pandini, 2018, os Doze Girassóis numa Jarra, de Vincent Van Gogh, 1888. O resultado foi o melhor possível”, comemora a professora Janice Destácio.

A professora lembra que a ideia da releitura surgiu após assistir uma reportagem do canal por assinatura Arte 1, que destacou o incentivo às pessoas a sentir-se mais perto da arte em tempos de isolamento.

Janice assinala que as aulas de arte são ministradas pelo aplicativo WhatsApp para ter o maior número de alunos possíveis. Mesmo conectados, os alunos sentem a falta das aulas presenciais, pois ficam sem os materiais disponíveis na escola como tinta, pincéis, lápis de cor entre outros.

“Para vencer essa barreira, a maneira mais fácil de realizar atividades criativas foi pedir que eles utilizassem objetos e materiais já disponíveis em casa e a principal ferramenta de estudo atualmente, o celular. E foi o que fizemos e, de uma forma, motivou os alunos”, frisa.

Avaliação de alunos

Os trabalhos iniciaram no ano passado e os resultados foram tão bons que a professora estendeu as ações para os dos 3° Anos de 2021. “O feedback (retorno) dos alunos teve muita criatividade e dedicação”, avalia.

O aluno Guilherme de Souza Bizerra ficou empolgado com essa experiência ao fazer uma reprodução de Chapéu de Palha de Van Gogh e afirma que entendeu a importância da arte. “Gostei muito de participar dessa atividade. A partir dela pude perceber como a arte é tão presente em nosso cotidiano e em nós. Com ferramentas e objetos simples que estão em nossas mãos e em nossa casa, podemos criar e recriar lindas obras”, salienta.

Gabrielly Godoi Coutinho também ficou fascinada com a experiência, pois por ser uma apaixonada por maquiagem fez questão de participar de atividades que ligam a isso. “A escolha da minha obra foi pelo fato de que os índios habitavam o país antes de ser descoberto. E a pintura me faz lembrar minha infância, pois já me vesti de índia para um desfile. Não houve muita dificuldade para reproduzir, apenas para editar a imagem”, destaca. Ela trabalhou com o quadro Índios do Brasil do pintor peruano Victor Crisóstomo Gomez.

Releitura da obra pela aluna Gabrielly

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Banda Macaco Bong lança músicas de novo disco e ganha repercussão nacional

Publicados

em

Considerada uma das bandas brasileiras mais inovadoras dos últimos anos, Macaco Bong lança ainda este ano novo disco “Mondo Verbero” pela gravadora ForMusic. Ao disponibilizar as canções: Hacker de Sol e Kãeãe nas melhores plataformas de música do país, a banda recebeu elogios e visibilidade nacional. Para quem não sabe, Macaco Bong é uma banda instrumental que surgiu em Cuiabá em 2004, fundada pelo guitarrista e compositor Bruno Kayapy.

A banda tem ao todo 10 álbuns de estúdio, incluindo Artista como Pedreiro (2008), This is Rolê (2012), Black Marroca (2013), Macumba Afrocimética (2015), Macaco Bong (2016), Deixa Quieto (2017), Reartista (2019) e Delta Tron (2020). O álbum Deixa Quieto, lançado em 2017, ganhou atenção de ouvintes de todo o mundo, além de várias resenhas em diferentes idiomas sobre a reinterpretação de Macaco Bong feita para o álbum Nevermind, do Nirvana.

A formação atual da banda Macaco Bong é Bruno Kayapy (voz e guitarra), Eder Noleto (bateria) e Igor Carvalho (baixo).

Outro destaque ressaltado pelos sites nacionais de música é que a banda não perdeu tempo e inovou para gravar músicas mesmo no período da pandemia. Kayapy, que vive na cidade de São Paulo, relatou que tudo foi realizado de forma remota. Bruno trocava áudios com o baterista Eder Noleto e com o baixista Igor Carvalho, ambos moram em Cuiabá.

A canção “Kãiãe” tem o nome de uma gíria muito antiga expressada pelos antigos cuiabanos. O som mistura rasqueado, cururu, siriri e lambadão.

Ao longo de 17 anos, Macaco Bong já fez várias turnês e participou de festivais musicais na Argentina, Quebec, Canadá, Chile e Uruguai.

 

As músicas lançadas pelo Macaco Bong estão disponíveis no link:

https://www.youtube.com/watch?v=MFG7Q6Iyce4

 

No spotify

https://open.spotify.com/artist/5N59uF54tNuJLYH7Y6sBTD

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana