Cuiabá

Estudantes da rede pública municipal de ensino participam de atividades de educação ambiental

Publicados

em

A Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Senador Gastao de Matos Muller localizada no bairro Pedra 90 recebeu nesta segunda-feira (16) as palestras do projeto ambiental Levo. O ciclo de palestras teve inicio na  semana passada, nas unidades educacionais participantes do projeto Local de Entrega Voluntária de Óleo e visam conscientizar as crianças sobre a importância da preservação do meio ambiente. 19 escolas da rede pública municipal de ensino estão participam da ação que envolve 4 mil estudantes da Pré Escola (4 e 5 anos) e do Ensino Fundamental (do 1º ao 6º Ano).  O projeto, lançado no ano passado, é uma parceria da empresa Águas Cuiabá, Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação, a startup de educação ambiental Teoria Verde, a Biomavi Reciclagem, responsável pela compra e reutilização do material coletado e o Instituto Lixo Zero Brasil.

Além de recolher o óleo de cozinha usado, os estudantes participam de atividades de educação ambiental e recebem cartilhas sobre sustentabilidade. As atividades já aconteceram na Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Maria Elazir Correa de Figueiredo, na última quarta-feira (11) e nesta quinta-feira (12), na EMEB Ranulpho Paes de Barros.

A coordenadora de Programas e Projetos da Secretaria Municipal de Educação, Marcela Rezende Guimarães Martins falou sobra a iniciativa. “A ideia é reforçar a educação ambiental, mostrando para os estudantes a importância de darmos destinação adequada ao óleo de cozinha usado, para que possa ser reutilizado e retorne ao sistema produtivo. De acordo com o projeto, 30% do valor comercializado do produto coletado é investido na unidade escolar participante para a aquisição de equipamentos ou na ambiência escolar”, disse a coordenadora.

Nas unidades participantes foram montados postos de coleta do óleo usado. O produto pode ser levado também em postos na sede (bairro Carumbé) e na loja de atendimento localizada na Prainha, da Águas Cuiabá.

Escolas participantes

Participam do projeto as Escolas Municipais de Educação Básica (EMEB) Prof. Ezequiel Pompeu Ribeiro de Siqueira, Prof. Francisval de Brito, Maria Lucila da Silva Barros, Quintino Pereira de Freitas, Maria Tomich Monteiro da Silva, Vereador Paulo de Campos Borges, Profª. Guilhermina de Figueiredo, Mal. Cândido Mariano da Silva Rondon, Profª Gracildes de Melo Dantas, Profª. Esmeralda de Campos Fontes, Orzina de Amorim Soares, Profª. Pedrosa Moares e Silva, 8 de abril, Antônia Tita Maciel de Campos, Celina Fialho Bezerra, José Torquato da Silva, Maria Elazir Correa de Figueiredo, Ranulpho Paes de Barros e Senador Gastão de Matos Muller.

Legislação

A coleta seletiva de óleo de cozinha é obrigatória em Cuiabá e foi estabelecida pela Lei nº 6.475, aprovada em 2020. A norma determina que creches e escolas do município devem separar o óleo de cozinha utilizado em recipientes fechados e destinar o resíduo a organizações não-governamentais, associações ou cooperativas licenciadas para o tratamento desse material.

Serviço

Palestras Educativas – Projeto LEVO

Dia: 23/05

Hora:

Matutino – 9h  

Vespertino – 14h

Local: EMEB José Torquato da Silva

Dia: 13/06

Hora:

Matutino – 9h

Verpertino – 14h

Loical: EMEB Prof. Francisval de Brito

Dia: 14/06

Hora: 

Matutino – 8h

Vespertino – 14h

Local: EMEB Celina Fialho Bezerra

Comentários Facebook
Propaganda

Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá realiza ação de combate ao trabalho infantil na feira livre do CPA III

Publicados

em

A Prefeitura de Cuiabá, via Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, realizou, na noite de sexta feira (24), uma grande mobilização popular de combate ao trabalho infantil na feira livre do bairro CPA III, Região Norte do município. 

A ação de conscientização pertence a ampla programação idealizada pela Gestão Emanuel Pinheiro com a finalidade de exterminar práticas desta natureza na sociedade, bem como alertar a população sobre as consequências devastadoras e irreparáveis ocasionadas nas vítimas. No local foram distribuídos folhetos informativos, banners e orientações sobre o tema, sensibilizando os comerciantes e visitantes sobre a importância de defesa da causa, seguindo as diretrizes do Programa Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). 

A coordenadora do PETI no município, ligada ao Executivo Municipal Rute Merle, afirmou que as iniciativas nesses locais, onde há uma intensa movimentação de pessoas, tiveram início no ano passado e, desde então, passaram a fazer parte do cronograma anual. “Tendo em vista que dentro da agricultura familiar existe um número alto de crianças e adolescentes trabalhando, ainda que seja com seus familiares, porém, não deixa de ser um trabalho que prejudica, principalmente, o desenvolvimento das crianças durante à infância, respectivamente. Somos muito bem recebidos em cada uma das feiras e vamos continuar levando a mensagem e fazendo a nossa parte enquanto representantes do Poder Público”, disse. 

O conselheiro tutelar, Osvir Leite, enfatizou que a presença da equipe em ocasiões como esta é pautada por uma atuação informativa, contribuindo para diminuição dos índices atuais. “Estamos conversando, ouvindo e dialogando de forma passiva, orientando as pessoas para se renderem à essa realidade que ainda persiste nos dias atuais”, completou. 

A moradora Andréia Arruda, elogiou o empenho da Gestão Emanuel Pinheiro em levar o assunto para às ruas da cidade. “Sou contra o trabalho infantil, pois tudo tem seu tempo e hora certa. Tudo que é feito corretamente faz bem para todo mundo”, acrescentou. 

No Brasil, é considerado trabalho infantil toda forma de trabalho exercida por crianças e adolescentes, de ambos os sexos, abaixo da idade mínima legal permitida de 16 anos, exceto perante a condição de admissão em caráter de aprendiz, a partir dos 14 anos completos. 

O encerramento das ações está marcado para acontecer na próxima quarta-feira (29), nas instalações do Mercado do Porto, com início previsto para às 09 horas. Contudo, os munícipes podem ser um potente agente inibidor de ocorrências desta natureza. Para colaborar é bem simples, ao presenciar casos como este, basta entrar em contato pelo Disque 100 ou pelo telefone: (65) 99206-6741 (Conselho Tutelar Plantão). 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana