cultura

Espetáculo em homenagem a pioneiros de Sorriso será apresentado no sábado (23)

Publicados

em

O espetáculo “Eu, migrante – da terra nasce o nosso Sorriso” será apresentado no próximo sábado (23.10), em Sorriso (MT). A obra é uma homenagem aos migrantes que chegaram a Mato Grosso na década de 70. A apresentação será às 19h, no Centro de Convivência da Pessoa Idosa. O projeto é um dos contemplados no edital MT Nascentes, realizado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

O espetáculo produzido pela Cia Camarim Mágico tem texto e direção assinados por Francisco Guimarães. A obra narra histórias de uma cidade que foi se construindo a partir da agricultura.  Num misto de comédia e drama, o espetáculo traz a inauguração do Centro de Tradições Gaúchas (CTG), a posse do primeiro prefeito, inauguração da primeira rádio AM, despedidas, viagens, a dor da perda de um ente querido, separação e encontros.

Para Francisco a homenagem é uma oportunidade de valorizar e enaltecer as pessoas que contribuíram para a construção de Sorriso. “É um espetáculo com muita emoção e memória. Conta a história do pioneirismo de muitas famílias que vieram trazendo nas malas, o desejo de aumentar suas posses, diversificar os negócios e, outros simplesmente buscando uma oportunidade de trabalho e renda. Mas, todos trouxeram consigo o desejo de uma vida melhor para toda a família”.

A peça também foi apresentada ao público sorrisense nos dias 16 e 17 de outubro, no Centro de Eventos Ari José Riedi.

Serviço

Espetáculo “Eu, migrante – da terra nasce o nosso Sorriso”

Quando: 23 de outubro de 2021 (domingo), às 19h

Local: Centro de Convivência da Pessoa Idosa, localizado na Avenida Luiz Amadeu Lodi, bairro Jardim Alvorada, Sorriso-MT

Entrada gratuita

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Livro Geoparque Chapada dos Guimarães fomenta desenvolvimento sustentável e turismo

Publicados

em

O livro Geoparque Chapada dos Guimarães – uma viagem pela história do planeta, lançado esta semana, relata os processos geológicos que formaram as rochas que são vistas nas belas paisagens, compondo os paredões e cachoeiras da região e permanecem preservadas há milhões de anos. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) é apoiadora do projeto.

A obra, dividida em 10 capítulos, divulga estudos realizados por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), e de outras instituições com a história geológica do Parque Nacional a partir da exploração de registros paleontológicos do período Paleozoico e Mesozoico.

O projeto surgiu como uma iniciativa de popularizar o conhecimento produzido por geólogos, geógrafos, turismólogos, entre outros profissionais, levando informação de forma sistematizada para comunidades locais, estudantes, pesquisadores e profissionais para desta forma fomentar o desenvolvimento sustentável por meio do geoturismo e ações pedagógicas.

Geossítios

Um convenio firmado entre Sema, UFMT e Fundação Uniselva deu início ao Projeto Geoparque Chapada dos Guimarães, que consistiu no inventário dos geossítios e especificação da conservação da geodiversidade em locais de alta relevância. Esse projeto está sendo desenvolvido pela Faculdade de Engenharia da UFMT, campus Várzea Grande.

O inventário demonstrou que a área possui geossítios com relevância científica, com elevado potencial para uso turístico ou educacional. “Porém, alguns dos geossítios necessitam de medidas de gestão que possam garantir a sua integridade, uma vez que apresentam risco de degradação. Os critérios relacionados ao potencial de uso educacional e turístico foram mais homogêneos, em geral, com uma nota elevada”, explicou a secretaria adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos, Lilian Ferreira.

“O livro é um passeio pelas riquezas da região demonstrando toda a geodiversidade, abordando temáticas geológicas, arqueológicas, flora, fauna, história, gastronomia, pontua Lilian. “servirá como base para o levantamento das potencialidades turísticas da região, e para criação de políticas públicas na área do turismo, unindo conservação e valorização do patrimônio natural da região”.

Publicação

O professor Caiubi Kuhn, um dos organizadores do livro, destacou que o projeto foi desenvolvido por instituições muito importantes para o Estado. “Esse trabalho conjunto entre professores, pesquisadores e estudantes tornou possível o projeto Geoparque”.

A publicação do conteúdo foi viabilizada por meio do apoio da Federação Brasileira de Geólogos (Febrageo), da Associação Profissional dos Geólogos do Estado de Mato Grosso (Agemat) e da Associação de Geólogos de Cuiabá (Geoclube), com patrocínio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MT).

Workshop Geoparque Chapada dos Guimarães

O lançamento do livro, que ocorreu na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, fez parte do III Workshop Geoparque Chapada dos Guimarães, realizado pela UFMT com objetivo de divulgar a riqueza histórica e ambiental do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, e o potencial turístico da localidade.

Entre os temas abordados nos cursos, minicursos e palestras, estão turismo e natureza, dinossauros no Brasil, geodiversidade e geoturismo no Centro-Oeste e no Parque de Chapada dos Guimarães. Os painéis mostram o potencial da localidade de se tornar um Geoparque Global da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), de importância internacional.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana