AGRO & NEGÓCIO

Espécies florestais amazônicas têm germinação estudada

Publicados

em


Saiu mais uma publicação da série sobre germinação de sementes de espécies amazônicas editada pela Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA), desta vez sobre o guajará-bolacha, importante para restauração florestal em áreas degradadas da região.

O comunicado técnico “Germinação de sementes de espécies amazônicas: guajará-bolacha [Pouteria oppositifolia (Ducke) Baehni]” é o primeiro trabalho do gênero sobre a espécie. “Contém informações importantes para o plantio ou até mesmo posteriores estudos sobre o armazenamento das sementes”, afirma o pesquisador Eniel David Cruz, da Embrapa Amazônia Oriental, e autor da obra.

Os que planejam fazer recuperação de áreas degradadas vão encontrar na publicação dados que compõem a base do conhecimento sobre a espécie. “Para quem tem interesse em plantar e produzir mudas a partir de sementes de qualidade, é fundamental conhecer aspectos da dispersão, coleta, biometria, beneficiamento, transporte, armazenamento e, especialmente, germinação das sementes”, enfatiza o pesquisador.

O trabalho está disponível no Portal Embrapa para consultas e downloads, acessível por dois links: direto à publicação e por intermédio do repositório de publicações técnico-científicas da instituição.

Série sobre espécies amazônicas

As obras sobre germinação de sementes de espécies arbóreas da Amazônia começaram a ser publicadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em 2014, como comunicados técnicos dentro da linha editorial Transferência de Tecnologia. A publicação sobre o guajará-bolacha é a 39ª da série.

As 38 espécies enfocadas antes, por ordem de publicação, são: paricá, jatobá, sucupira-da-terra-firme, fava-arara-tucupi, angelim-vermelho, pracaxi, maçarandubarana, ingá-costela, ucuúba, maçaranduba, gombeira-escamosa, ajaraí, marupá, ingá-pau, mogno, cajuí, tauari-branco, acapu, cutite, pau-preto, abiu-cabeça-de-macaco, louro-roxo, abiu-quadrado, faveira-folha-fina, mututi-da-terra-firme, acariquara, araracanga, acapurana, ingá-peludo, assacu, abiu-rosadinho, faveira-preta, breu-vermelho, tuturubá, visgueiro, muirapiranga, palheteira e matamatá-ripeiro.

Nomes e usos

Muitos são os nomes populares dessa espécie: abiu, abiu-branco, abiu-rosadinho, abiu-ucuubarana, abiurana, goiabão, guajará-amarelo, guajará-vermelho e moabe, mas guajará-bolacha é o mais comum.

São árvores que ocorrem naturalmente nos estados do Amapá, Maranhão, Pará, Acre e Roraima, podendo alcançar 45 metros de altura e 150 centímetros de diâmetro à altura do peito.

A madeira do guajará-bolacha é utilizada de inúmeras formas. Serve para fazer escultura, instrumento musical, móveis, cabos de ferramentas e utensílios, carroceria, caixotaria, embarcação, esquadria, estrutura de cobertura, guarda-sol, palete (ou pálete), objetos pequenos, piso e revestimento.

De acordo com a pesquisa, as sementes do guajará-bolacha germinam de forma lenta e desuniforme, iniciando por volta do 38º dia após a semeadura e encerrando no 68º dia, com 91,6% das sementes germinadas. O estudo foi feito com material proveniente do campo experimental da Embrapa Amazônia Oriental localizado no município de Moju (PA).

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Soja Legal é lançado pela Aprosoja MT

Publicados

em


Sustentabilidade

Soja Legal é lançado pela Aprosoja MT

O programa vai fomentar a melhoria continua da propriedade rural, com a integração dos aspectos ambientais e socioeconômicos

22/06/2021

“Um novo conceito de sustentabilidade para o Brasil e para o mundo”, foi com esse olhar que o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), Fernando Cadore, lançou o Programa Soja Legal, na noite desta terça-feira (22.06), em Brasília. A cerimônia contou com a presença de ministros, parlamentares e chefes de poderes.

No discurso, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, afirmou que “Aprosoja MT mais uma vez sai na frente com o lançamento do Soja Legal. É um passo para se chegar na certificação, mostrando para o mundo que a soja brasileira é sustentável”.

Já o ministro Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas reforçou que o Governo Federal vai trabalhar para que o setor produtivo de grãos se desenvolva cada vez mais. “Iniciamos tratativas com bancos para linhas de crédito para armazenagem menos burocráticas e financiamentos mais simples para os nossos produtores”, declarou.

“Esse lançamento é um passo para reverter a falsa narrativa que foi instituída em relação ao agro. Os produtores brasileiros são exemplos de sustentabilidade. Mato Grosso representa uma potência para o país e o mundo”, disse o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O presidente Aprosoja Brasil, Antonio Galvan, que acompanhou desde o início a criação do programa enfatizou que é um marco para a agricultura brasileira. “O Soja Legal nasceu em Mato Grosso e vai disseminar pelo Brasil. Afinal, dos 66% de vegetação nativa protegida e preservada dentro do território brasileiro, 26% estão em propriedades rurais”, ressaltou Galvan.

Atuação do Programa

O Soja Legal está à disposição dos mais de 7.400 produtores associados da Aprosoja MT. A equipe de campo da entidade fará implantação nas propriedades, com aplicação de questionários, orientações de adequações e formação contínuas com cursos presenciais e online.

As ações incorporam os critérios essenciais de conformidade com oito diretrizes: qualidade de vida no campo e no trabalho, gestão consciente da água, gerenciamento de resíduos, melhores práticas agrícolas, viabilidade econômica, qualidade do produto, relacionamento com o entorno e a governança.

“O Soja Legal nasceu para legitimar a nossa sustentabilidade, para mostrar a realidade que temos no campo, a preservação, as melhorias continuas nas partes trabalhistas e tudo que envolve a porteira para dentro”, destacou Cadore.

Fonte: Marcella Lírio

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana