POLÍCIA

Envolvidos na morte de João Alberto no Carrefour são demitidos por justa causa

Publicados

em

 

source
morte joão alberto

Após a morte brutal de João Alberto Silveira Freitas , homem negro de 40 anos, em unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre, o Grupo Vector, empresa terceirizada do hipermercado, anunciou a rescisão por justa causa dos contratos de trabalho dos dois envolvidos no espancamento da vítima, que morreu por asfixia, de acordo com o laudo médico.

A empresa disse em comunicado lamentar “profundamente os fatos ocorridos e se sensibiliza com os familiares da vítima”. Em nota, o Grupo Vector  garantiu que não é responsável pela vigilância do prédio do Carrefour no bairro Passo D’Areia, onde ocorreu o crime, mas sim do setor de prevenção e perdas.

A companhia também prometeu auxiliar a Polícia Civil na elucidação dos fatos “estando à disposição das autoridades e colaborando com as investigações para apuração da verdade” e disse que “submete seus colaboradores a treinamento adequado inerente às suas atividades, especialmente quanto à prática do respeito às diversidades, dignidade humana, garantias legais, liberdade de pensamento, bem como à diversidade racial e étnica”.

Os vigias Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, policial militar temporário, foram presos em flagrante pela morte de João Alberto e autuados por homicídio triplamente qualificado. O crime foi flagrado pelas câmeras de segurança do local e ambos tiveram prisão preventiva decretada.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Homem que matou irmão há 20 anos em RO é preso pela Polícia Civil no interior de MT

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Um homem foragido da Justiça de Rondônia há mais de 20 anos por homicídio do próprio irmão teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil de Mato Grosso, na quinta-feira (29.07), em ação dos policiais das Delegacias de Porto Alegre do Norte e Canabrava do Norte.

O suspeito de 53 anos estava utilizando documento falso e quando foi abordado pelos policiais se negou se tratar da pessoa com mandado de prisão em aberto.

As diligências iniciaram após a equipe da Delegacia de Canabrava do Norte receber informações de que um homem com mandado de prisão em aberto estava trabalhando em uma construção na cidade de Canabrava do Norte.

Com base nas informações, as equipes policiais foram até o endereço mencionado, onde conseguiram localizar o suspeito que apresentou documento em nome de outra pessoa. Diante das dúvidas em relação ao documento apresentado, o suspeito foi conduzido à delegacia para identificação criminal.

Durante os trabalhos, foi solicitado apoio da equipe da Delegacia de Polícia e da Politec de Sinop que realizou o laudo de identificação datiloscópica do suspeito, confirmando se tratar da pessoa que estava foragida.

 Segundo o delegado, Gustavo Espíndola, a todo momento o suspeito negava ser a pessoa procurada pela Justiça. “Foi uma prisão complicada, uma vez que ele se negava do começo ao fim, que se tratava da pessoa do mandado. Somente ao final de todas as checagens, ele resolveu confessar que era ele mesmo, assinando a ordem de prisão”, disse o delegado.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana