municipios

Envolvidos em assassinato são presos pela Polícia Civil

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Henrique Trevisan, com base nos elementos colhidos durante as investigações foi possível constatar que o crime foi motivado por uma rixa entre facções criminosas.

Publicados

em


Reprodução

penitenciaria presidio cela cadeia.jpg

Polícia Civil prende dois dos envolvidos em homicídio em Nobres (imagem meramente ilustrativa)

Um homicídio motivado por rixa entre facções criminosas foi esclarecido pela Polícia Judiciária Civil de Nobres (146 km a Médio-Norte de Cuiabá) com a prisão de dois dos autores do crime e identificação de quatro envolvidos.

 

As investigações iniciaram no dia 28 de janeiro, quando o corpo da vítima foi localizado por volta das 07h30, na região da estrada do Pindura, na zana rural de Nobres. A vítima, inicialmente não identificada, foi atingida com disparos de arma de fogo tipo espingarda calibre 12.

 

Durante o trabalho investigativo, a vítima foi reconhecida como Clayton Nunes da Silva, morador do município de Nova Mutum. No mesmo dia, os investigadores da Delegacia de Nobres conseguiram chegar a testemunhas que forneceram um vídeo gravado pelos criminosos durante a execução da vítima.

 

A partir das imagens combinadas com levantamentos de campos e dados constantes na unidade policial foi possível chegar a identificação de ao menos quatro envolvidos na execução da vítima.

 

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Henrique Trevisan, com base nos elementos colhidos durante as investigações foi possível constatar que o crime foi motivado por uma rixa entre facções criminosas.

 

Diante das evidências, representou pela prisão preventiva dos suspeitos, as quais foram decretas pela Justiça, sendo dois dos mandados cumpridos na quinta-feira (30.01). As investigações continuam em andamento, uma vez que os outros dois suspeitos não foram localizados e continuam procurados pela Polícia.

 

*Com informações da PJC | MT

Comentários Facebook
Propaganda

Cuiabá

Ministério Publico requer fechamento de Fort Atacadista inaugurado nesta sexta

Publicados

em

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ingressou com ação civil pública, com pedido liminar, requerendo o fechamento e a paralisação imediata das atividades exercidas pelo Fort Atacadista inaugurado nesta sexta-feira (27.11), na Rodovia Emanuel Pinheiro, saída para Chapada dos Guimarães.

O MPMT ressalta que o empreendimento não possui Alvará de Ocupação (Habite-se do prédio) e nem Licença Ambiental de Instalação e Operação. Além disso, parte do empreendimento foi edificado em Área de Preservação Permanente.

A 17ª Promotoria de Justiça Cível, que atua na defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural, enfatiza que para viabilizar a obra, foi realizada a tubulação de um córrego localizado na área sem qualquer autorização, colocando em risco a integridade física da população e degradando o meio ambiente.

Consta na ação que durante o trâmite do inquérito civil houve tentativas de resolução consensual e a empresa foi notificada por diversas vezes para que submetesse à aprovação do órgão municipal o projeto arquitetônico do prédio e a retirada de toda e qualquer edificação/construção/impermeabilização da Área de Preservação Permanente.

Segundo o MPMT, a inexistência de Habite-se (Alvará de Ocupação) apresenta risco iminente à população cuiabana, posto que somente o documento expedido pela Prefeitura Municipal certifica a adequação da edificação aos parâmetros técnicos de segurança.

CONFIRMAÇÃO

Em audiência realizada com o Ministério Público Estadual nesta quinta-feira (25), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável demonstrou que a empresa SDB Comércio de Alimentos Ltda não cumpriu os requisitos para a expedição do Habite-se, da Licença de Instalação e da Licença de Operação, não protocolou o Plano de Recuperação de Área Degradada e não possui projeto aprovado.

Atuando na defesa da coletividade, o pedido do MPMT é para que o empreendimento somente volte a funcionar após a regularização da edificação por meio da apresentação do Habite-se do prédio e licenças ambientais. A ação foi proposta na quinta-feira (25).

Fonte: MP MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana