POLÍCIA

Empresário alvo da operação Rota Final se entrega em Cuiabá; 70 dias foragido

Publicados

em

O empresário Éder Augusto Pinheiro, dono do Grupo Verde Transportes, alvo da operação Rota Final, se entregou na manhã deste domingo (25.07) para cumprir um mandado de prisão.

A ordem de prisão preventiva foi expedida pelo desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), na terceira fase da operação Rota Final, deflagrada no mês de maio pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

As investigações que desencadearam na operação apuraram crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação do setor de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros de Mato Grosso (STCRIP-MT), promovida pela Secretaria de Infraestrutura do Estado de Mato Grosso e  Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager-MT).  

O empresário Éder Augusto Pinheiro, estava foragido há aproximadamente 70 dias e durante o período tentou revogar a ordem de prisão na Justiça, sofrendo duas derrotas no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e uma no Superior Tribunal Federal (STF).

Após as providências na Polinter, o empresário foi encaminhado para audiência de custódia no Tribunal de Justiça de Mato Grosso que será realizada ainda na tarde deste domingo (25).

Ação Penal

A investigação iniciada pela Polícia Civil de Mato Grosso em 2018 para apuração dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação do setor de transporte coletivo rodoviário intermunicipal do estado culminou com uma ação penal proposta pelo Ministério Público e encaminhada à Justiça nesta semana, com a denúncia de 19 pessoas dentro da Operação Rota Final.

A investigação que começou na Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública deflagrou, ainda em 2018, a primeira fase da Operação Rota Final. Em meados de 2019, o inquérito foi encaminhado, com autorização do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, ao Ministério Público, onde foi dada sequência às investigações pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), com supervisão do Naco Criminal.

A segunda fase da operação foi deflagrada em dezembro de 2020 e a terceira em maio deste ano. O esquema criminoso revelado no inquérito policial reuniu 54 volumes de elementos de prova e foi presidido pelos delegados da Polícia Civil, Marcelo Martins Torhacs e Márcio Veras, que atuam no Gaeco.

As investigações demonstraram a existência de uma organização criminosa, liderada pelo empresário do setor de transportes, E.A.P. que, inclusive, teve a prisão preventiva decretada e encontra-se foragido há mais de dois meses.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

PRF apreende cocaína na cidade de Pontes e Lacerda-MT

Publicados

em


Na noite de ontem, por volta das 19 horas, na BR 174, município de Pontes e Lacerda-MT, uma equipe da PRF realizava fiscalização em frente a unidade operacional quando deu ordem de parada a um Fiat Uno de cor branca, conduzido por um homem de 42 anos.

No momento da abordagem, o condutor apresentou certo nervosismo, e quando indagado sobre o destino da viagem, apresentou respostas contraditórias e desconexas. Ainda, após ser questionado novamente, desta vez sobre o seu passado, respondeu que já havia sido preso por tráfico de drogas em data pretérita.

Como consequência da situação, os policiais subiram o nível de suspeição da abordagem e optaram por realizar uma busca veicular aprofundada no veículo, momento em que foi encontrado um compartimento oculto por trás do para-choque traseiro do automóvel. Esse compartimento, conhecido vulgarmente como “mocó”, é feito de forma artesanal e especialmente parado para o transporte de substâncias ilícitas.

Ao abrir o compartimento, a equipe encontrou 24 tabletes de pasta base de cocaína, com peso total aproximado de 24,95 kg. O motorista disse ainda que receberia a quantia de R$ 3.000,00 (três mil reais) pelo serviço e que deixaria o carro em São Paulo (capital) para outra pessoa pegar.

Sendo assim, foi dada ordem de prisão ao abordado pelo crime de tráfico de drogas. Ele foi informado de seus direitos constitucionais e conduzido à Polícia Judiciária Civil de Pontes e Lacerda.

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana