AGRO & NEGÓCIO

Embrapa e Yara promovem hoje (06/08) live sobre mitos e verdades do nitrato de amônio

Publicado


.

A Embrapa e a Yara promovem em conjunto, nesta quinta-feira (06), às 19 horas, no canal do YouTube da Embrapa, uma live para debater o uso do nitrato de amônio na agricultura. Participam do bate-papo o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ), Daniel Vidal Pérez; o pesquisador e especialista em fertilizantes da mesma instituição, José Carlos Polidoro; e Cleiton Vargas, vice-presidente de Vendas e Marketing da Yara Brasil.

“Creio que será uma grande oportunidade de falarmos para o grande público que fertilizante é alimento para as plantas, e não veneno para o homem, muito menos um produto que mata”, afirma Polidoro.

A explosão no Líbano, nesta semana, tem sido relacionada a um armazém onde estavam 2.750 toneladas de nitrato de amônio, produto usado na produção de fertilizantes. “O país asiático ficará somente com mais ou menos um mês de abastecimento de trigo, porque houve a destruição do maior silo de estoque de trigo do Líbano”, diz Daniel Pérez. 

“Os nitratos são um importante aliado do produtor rural na busca por uma produtividade sustentável em suas lavouras. Na agricultura, comparados a outras fontes de nitrogênio, os fertilizantes à base de nitrato contribuem para aumentar a eficiência do uso do nutriente ao não volatilizarem (ou seja, perderem parte de sua composição como forma de gás ao serem aplicados em determinadas condições climáticas), reduzem as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e consequentemente diminuem também o impacto ambiental, além de garantirem rendimentos mais elevados em algumas culturas, especialmente em regiões tropicais”, destaca Cleiton Vargas, da Yara Brasil, empresa que possui um conhecimento centenário sobre o produto.

Live “mitos e verdades sobre o nitrato de amônio”
Data: hoje (quinta-feira – 06 de agosto);
Horário: às 19 horas;
No canal do YouTube da Embrapa

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

Aplicativo PlanejArroz é apresentado para uso de celulares

Publicado


.

 
Nesta segunda-feira, 28 de setembro, a Embrapa em parceria com a equipe FieldCrops da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o Instituto Riograndense do Arroz (IRGA) e o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet/8º Disme) apresentam a versão do aplicativo “PlanejArroz – a decisão na palma da sua mão”  para dispositivos móveis. A tecnologia é uma ferramenta da Agricultura 4.0 e a primeira do mundo a aliar manejo e produtividade. O aplicativo é voltado ao setor orizícola e será apresentado em uma “live”, a partir das 16h, pelo canal da Embrapa no Youtube. 
O PlanejArroz foi uma das tecnologias lançadas durante a Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em fevereiro deste ano, mas numa versão para web, e agora, é  apresentado o software no Apps da Embrapa, no Google Play. O aplicativo permitirá a simulação do crescimento e desenvolvimento da cultura do arroz; auxiliará na tomada de decisão de produtores/técnicos/pesquisadores quanto ao manejo da cultura do arroz irrigado no Rio Grande do Sul, com base nas fases fenológicas da cultura; a apresentação ao usuário a expectativa de produtividade da sua lavoura, baseado na localidade e época de semeadura.

A live contará com a participação dos parceiros no desenvolvimento da ferramenta, através das falas do professor da UFSM, Nereu Streck e do pesquisador da área de agroclimatologia da Embrapa Clima Temperado, Silvio Steinmetz. O moderador será o diretor técnico do IRGA, Ivo Mello.

Como o aplicativo ajudará o produtor

O Estado do Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do Brasil sendo responsável por cerca de 70% da produção desse cereal. Embora os níveis médios de produtividade sejam relativamente altos, acredita-se que essa produtividade possa ser ainda maior se as práticas de manejo forem realizadas na época mais apropriada, considerando-se a data de ocorrência dos distintos estádios de desenvolvimento da planta (EDP), como recomendado pela Sociedade Sul Brasileira de Arroz Irrigado.

O problema é que os EDP, em especial o de diferenciação da panícula, é muito variável por ser dependente da temperatura. Por isso, é preferível expressar-se esse estádio e os demais EDP em dias, porém estimados por meio de graus-dia (GD), ou soma térmica, ao invés do número de dias do calendário.

Além do manejo, a época de semeadura, bem como o ciclo da cultivar, também podem ter grande interferência na produtividade da cultura sendo que os modelos de simulação de processos podem estimar essa produtividade em diferentes épocas e regiões produtoras. Foi com base nessas informações que foi desenvolvido o software PlanejArroz.

 

Esse aplicativo permite o acesso a um conjunto de informações de 131 municípios produtores de arroz irrigado do Rio Grande do Sul. Ele indica quando deve ocorrer cada um dos seis mais importantes EDP, para 41 cultivares, por meio das datas médias (30 anos) e do ano da safra, e os respectivos desvios entre elas. Essas informações são muito importantes para o planejamento e a tomada de decisão sobre o manejo da cultura. Além disso, o PlanejArroz também permite a estimativa da produtividade, na média dos anos e na safra, e o desvio entre essas duas variáveis, das três cultivares mais semeadas no estado.

 

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana