AGRO & NEGÓCIO

Embrapa apresenta trabalhos de 22 Unidades na Agrotins 2021

Publicados

em


Entre os dias 15 e 18 de junho, acontece mais uma edição da Agrotins, a Feira Agrotecnológica do Tocantins. É a 21ª edição do evento, que, assim como no ano passado, será totalmente virtual. A Embrapa participa desde a primeira edição da Agrotins, sempre mostrando suas novidades e seus resultados de pesquisa. Antes mesmo de ter uma Unidade de pesquisa no Tocantins, o que aconteceu em 2009, a empresa já mostrava o que havia de mais recente a produtores, técnicos, estudantes e demais públicos que prestigiam a feira.

Neste ano, são ao todo 22 centros de pesquisa que compartilham os resultados de seus trabalhos em diferentes formatos: soluções tecnológicas; publicações; programas de vídeo e de áudio. No site https://www.embrapa.br/agrotins-2021, o visitante tem acesso a conteúdos relacionados a várias cadeias produtivas, tanto vegetais como animais. A proposta é reunir, num só endereço digital, o que a Embrapa tem de mais relevante e que pode ajudar seus diferentes públicos. No final deste texto, está a relação das Unidades da empresa que participam da Agrotins 2021.

A participação da empresa no evento é coordenada pela Embrapa Pesca e Aquicultura, que tem sede em Palmas-TO, e pela Secretaria de Inovação e Negócios (SIN), sediada na Embrapa Sede, em Brasília-DF. De acordo com a chefe-geral da Embrapa Pesca e Aquicultura, Danielle de Bem Luiz, “a participação da Embrapa na Agrotins consolida o compromisso da empresa em ofertar soluções inovadoras e sustentáveis à apropecuária brasileira. Sendo um importante evento não apenas para o Tocantins , mas para toda a Região Norte, é uma oportunidade de conhecer novos stakeholders e estreitar as redes de parcerias”.

Programação ao vivo – Confira a programação ao vivo da Embrapa durante a Agrotins 2021, cujo tema é “Agro 4.0 – Tecnologia no campo”. O site oficial da feira, por onde poderá ser acompanhada toda a programação ao vivo dos quatro dias do evento, é https://agrotins.to.gov.br/.

Terça-feira, 15/06

9h10 às 9h50 – abertura oficial, com a presença de Celso Moretti, presidente da Embrapa

10h às 11h – palestra “Tecnologia 5G: a transformação digital no campo”, com Silvia Maria Fonseca Massruhá, chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária

11h:15 às 12h:05 – discussão sobre “Resultados alcançados e perspectivas para o Plano ABC+ 2020-2030”, com participação de Celso Moretti

13h:55 às 14h25 – painel com o tema “ABC Corte e Plataforma de Pecuária de Baixo Carbono”, com Pedro Alcântara, zootecnista da Embrapa Pesca e Aquicultura, e Roberto Giolo de Almeida, pesquisador da Embrapa Gado de Corte

Quarta-feira, 16/06

9h10 às 10h – palestra sobre “Tendências do arroz / Mercados mundial e brasileiro”, com Daniel Fragoso, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Pesca e Aquicultura, e Alcido Elenor Wander, pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão

10h10 às 10h30 – painel com o tema “Progenaqua-TO: Monitoramento da produção de Alevinos e formas jovens de tambaqui no Tocantins”, com Luciana Shiotsuki e Eduardo Sousa Varela, pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura

13h30 às 14h10 – quadro institucional sobre “Nova cultivar de arroz irrigado da Embrapa”, com Élcio Perpétuo Guimarães, chefe-geral da Embrapa Arroz e Feijão, e José Manoel Colombari Filho, líder do Programa Nacional de Melhoramento de Arroz da Embrapa

Sexta-feira, 18/06

13h05 às 13h45 – quadro institucional com o tema “Bioeconomia baseada em pescado”, com Andrea Muñoz e Roberto Flores, pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura

13h55 às 14h15 – painel sobre “Alternativas para o uso de antibióticos”, com Fabiane Siqueira e Marlene de Barros Coelho, pesquisadoras da Embrapa Gado de Corte

discussão com o tema “Perspectivas da Criação de Peixes no Tocantins”, com Danielle de Bem Luiz, chefe-geral da Embrapa Pesca e Aquicultura, e Lícia Lundstedt, chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pesca e Aquicultura

Unidades participantes – As 22 Unidades da Embrapa, situadas nas cinco regiões do país, que participam da Agrotins 2021 são:

Região Norte: Pesca e Aquicultura; Rondônia; Roraima

Região Centro-Oeste: Agroenergia; Agropecuária Oeste; Agrossilvipastoril; Arroz e Feijão; Gado de Corte

Região Sudeste: Agrobiologia; Agroindústria de Alimentos; Informática Agropecuária; Instrumentação; Meio Ambiente; Milho e Sorgo; Territorial

Região Nordeste: Caprinos e Ovinos; Mandioca e Fruticultura; Meio-Norte; Semiárido

Região Sul: Florestas; Soja; Suínos e Aves

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Inscrições para edital de programa de inovação aberta em fruticultura encerram nesta quarta (23)

Publicados

em


Encerra-se nesta quarta (23) o prazo de inscrição para a chamada pública do Programa de Inovação Aberta em Fruticultura da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O edital é destinado a empresas, instituições e demais agentes do setor produtivo que tenham interesse em desenvolver soluções tecnológicas por meio dos mecanismos de inovação aberta previstos no Marco Regulatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).
São três as modalidades de parcerias: de médio e grande porte, de micro e pequeno porte e para Inovação Social. O edital não pretende selecionar projetos prontos, mas propostas a serem desenvolvidas pelos proponentes em conjunto com alguma das sete Unidades da Embrapa no Nordeste que pesquisam a fruticultura tropical: Embrapa Agroindústria Tropical (CE), Embrapa Alimentos e Territórios (AL), Embrapa Cocais (MA), Embrapa Mandioca e Fruticultura (BA), Embrapa Meio-Norte (PI), Embrapa Semiárido (PE) e Embrapa Tabuleiros Costeiros (SE).
“O primeiro objetivo do programa é manter o acesso aberto aos agentes do setor produtivo e reforçar que a Embrapa está disposta a trabalhar com eles”, afirma o pesquisador Francisco Laranjeira, chefe-adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa Mandioca e Fruticultura. Em 2020, ele coordenou um edital da sua Unidade relacionado a mandioca e frutas tropicais, que ele considera o piloto para o programa deste ano. “Agora, temos a participação de Unidades de produto, temáticas e ecorregionais da Embrapa, o que traz muito mais temas disponíveis para as cadeias produtivas e, provavelmente, mais cobertura territorial”, destaca.
As propostas vão ser selecionadas por um comitê específico. “O edital é único, mas, quando as propostas chegarem, as Unidades vão fazer a sua seleção, com seus próprios critérios, sem interferência das outras”, explica Laranjeira. Quanto aos recursos, ele salienta que não são recursos diretos, uma vez que a Embrapa não transfere recursos para parceiro: “São recursos para a Embrapa financiar o próprio trabalho naquele projeto”.
Confira as modalidades, requisitos e contrapartidas no edital disponível aqui. Mais informações devem ser solicitadas ao e-mail [email protected]

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana