POLÍCIA FEDERAL

Em ação conjunta, PF apreende mercadorias e prende seis pessoas no Paraná

Publicados

em


Foz do Iguaçu/PR – Nesta madrugada (24/10), equipes da Polícia Federal, Receita Federal, Marinha, Polícia Militar/PR (BPFRON) e Polícia Civil/PR (COPE) realizaram a apreensão de diversas mercadorias estrangeiras em um porto clandestino às margens do Rio Iguaçu, na fronteira com a Argentina.

Durante as diligências, foram identificados os responsáveis pelas mercadorias e também uma casa que era utilizada como depósito. Dentre os produtos apreendidos no imóvel, havia grande quantidade de vinhos, azeite de oliva e energéticos de procedência argentina, além de eletrônicos oriundos do Paraguai.

Ao todo, foram presos seis indivíduos por envolvimento na atividade ilícita, sendo também apreendidos quatro barcos e quatro veículos suspeitos de serem usados para o transporte das mercadorias.

Os presos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR para lavratura do auto de prisão em flagrante. Os produtos e veículos foram encaminhados à Receita Federal para fins de apuração dos tributos elididos.

 

Comunicação da Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR

Contato: (45)3576-5515

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF investiga possível prática de estelionato previdenciário

Publicados

em


Manaus/AM – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (30/7) a Operação Faces, com o objetivo de investigar a possível prática do crime de estelionato previdenciário. A ação da Polícia Federal visa cumprir mandado judicial de busca e apreensão expedido pela 4ª Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas, na cidade de Autazes/AM.

Segundo as investigações, um idoso possuía diversos benefícios obtidos junto ao Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, fazendo usos de documentos falsos, tais como: um benefício de Amparo Social ao Idoso e três Aposentadorias por Idade. Em cada benefício, ele fazia uso de um nome diferente. Identificou-se que eram retiradas Certidões de Nascimento com nomes falsos. Em seguida, ele retirava os demais documentos e dava entrada nos requerimentos dos benefícios junto ao INSS.

O investigado poderá responder pelo crime de estelionato previdenciário. Se condenado, poderá cumprir pena de até 6 e 8 meses de reclusão.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amazonas

Instagram: @pfmazonas | Facebook: /pfamazonas Youtube: /pfamazonas | Twitter: /pfamazonas

[email protected] | www.pf.gov.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana