TECNOLOGIA

E agora, Apple? União Europeia define USB-C como padrão para celulares

Publicados

em

source
Entrada USB-C será obrigatória em uma série de eletrônicos
Unsplash/Daniel Romero

Entrada USB-C será obrigatória em uma série de eletrônicos

A entrada USB-C será obrigatória em celulares e outros dispositivos eletrônicos a partir de 2024 na União Europeia, decidiram nesta terça-feira (7) negociadores do Parlamento e do Conselho Europeu. A medida afetará, sobretudo, a Apple, a única entre as grandes fabricantes de smartphones que ainda adota outra entrada para carregador, a Lightning.

A decisão tomada pela União Europeia tem como foco diminuir a produção de lixo eletrônico ao padronizar os carregadores. O bloco estima que os carregadores descartados representam 11 mil toneladas de lixo eletrônico anualmente.

“Hoje tornámos o carregador comum uma realidade na Europa. Os consumidores europeus ficaram frustrados por muito tempo com vários carregadores se acumulando a cada novo dispositivo. Agora eles poderão usar um único carregador para todos os seus eletrônicos portáteis”, afirmou Alex Agius Saliba, relator do Parlamento Europeu.

Como funcionará a nova regra

A nova regra vale para dispositivos eletrônicos de pequeno e médio porte. Além de celulares, os seguintes aparelhos terão que adotar entradas USB-C:

  • tablets;
  • e-readers;
  • fones de ouvido;
  • câmeras digitais;
  • consoles de videogame portáteis;
  • alto-falantes portáteis;
  • teclados e mouses;
  • notebooks.

A regra só se aplica a dispositivos “recarregáveis ​​por cabo com fio”, ou seja, aqueles que têm apenas carregamento sem fio não precisarão adicionar uma entrada USB-C.

Com a excessão dos notebooks, os dispositivos devem seguir o novo padrão 24 meses após a lei entrar em vigor, o que deve acontecer no segundo semestre de 2024. Já as fabricantes de notebooks terão 40 meses após a entrada em vigor para se adaptarem. O Conselho e o Parlamento ainda devem aprovar formalmente a decisão.

Impacto global e o caso da Apple

A decisão europeia deve afetar o mundo todo. Como o mercado da região é muito importante para a indústria de eletrônicos, as fabricantes devem se adaptar às regras, distribuindo dispositivos com USB-C para todo o mundo.

A maior impactada será a Apple, que ainda vende iPhones com um padrão próprio, a entrada Lightning. Rumores apontam que a fabricante deve adotar o USB-C ainda em 2023 , com a linha iPhone 15.

A decisão da União Europeia, porém, permite que dispositivos não tenham entrada alguma, ou seja, sejam recarregados apenas sem fio. Essa é uma opção que a Apple também pode optar: ao invés de se render à entrada USB-C, abandonar de vez qualquer tipo de entrada nos iPhones.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Windows 11 tem falha que pode causar perda de dados em PCs novos

Publicados

em

Windows 11 tem novo bug
Divulgação/Microsoft

Windows 11 tem novo bug

Nesta semana, a Microsoft reconheceu a existência de mais uma falha no Windows 11. Desta vez, o problema envolve um recurso de criptografia e pode causar perda de dados em computadores novos.

Sendo mais preciso, a falha pode atingir PCs e servidores com processadores baseados nas arquiteturas Ice Lake, Tiger Lake, Rocket Lake e Alder Lake. Entre eles estão alguns chips Intel Core de 10ª geração, bem como todos os processadores da 11ª e da 12ª geração.

Servidores também podem ser afetados. Isso porque, além do Windows 11, a falha envolve o Windows Server 2022. As versões anteriores desses sistemas — Windows 10 e Windows Server 2019 — estão imunes ao problema porque não contam com os códigos problemáticos.

Que códigos? Os sistemas operacionais Windows usam o SymCrypt, uma biblioteca de funções criptográficas cujo desenvolvimento teve início em 2006. Nos Windows 11 e Server 2022, o SymCrypt passou por algumas atualizações, razão pela qual ambos os sistemas tiveram que receber novos “caminhos de código” para usarem a biblioteca. É aqui que os problemas começam.

A intenção era boa

As tais atualizações incluem recursos para que o sistema operacional possa aproveitar as instruções Vector Advanced Encryption Standard (VAES). Como o nome indica, estas têm como base o conhecido padrão de criptografia AES.

De modo geral, instruções VAES servem para acelerar operações criptográficas. Mas o processador deve ser compatível com elas. Os mencionados chips da Intel suportam o conjunto de instruções AVX-512 que, veja só, inclui as especificações VAES.

Nos Windows 11 e Server 2022, o SymCrypt foi atualizado justamente para permitir que computadores com processador compatível possam aproveitar as instruções VAES. A Microsoft não dá detalhes, mas explica que os “caminhos de código” adicionados para esse fim podem causar perda de dados.

A falha só não é mais grave porque recursos avançados de criptografia no Windows 11 só costumam ser usados em aplicações corporativas. Em outras palavras, usuários domésticos devem ser pouco prejudicados.

Tem solução, mas…

Ela é um pouco confusa. Para as máquinas suscetíveis ao problema, a Microsoft recomenda a instalação de atualizações de segurança lançadas em 24 de maio ou 14 de junho de 2022.

Essas atualizações resolvem o problema, mas podem deixar o desempenho de alguns recursos mais lentos. De acordo com a Microsoft, a taxa de transferência de dados da unidade de armazenamento e aplicações baseadas no BitLocker e no Transport Layer Security (TLS) podem ser as mais afetadas.

Se isso acontecer, a companhia recomenda a instalação das seguintes atualizações, ambas liberadas em 23 de junho:

  • Windows 11: KB5014668
  • Windows Server 2022: KB5014665

Ou a instalação das atualizações liberadas em 12 de julho:

  • Windows 11: KB5015814
  • Windows Server 2022: KB5015827

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana