POLÍTICA NACIONAL

‘Doria nunca foi adversário’, diz Simone Tebet

Publicados

em

source
Simone Tebet diz querer contar com o PSDB nas eleições de 2022
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Simone Tebet diz querer contar com o PSDB nas eleições de 2022

Simone Tebet, pré-candidata do MBD à Presidência da República, comentou a desistência de João Doria ao pleito. Em nota, Tebet afirmou que o tucano “nunca foi adverário”, e sim, “aliado”.

“Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. Vamos conversar e receber suas sugestões para nosso programa de governo. O Brasil é maior do que qualquer projeto individual. Vamos trabalhar para unir todo o centro democrático”, disse ela, que também afirmou que espera contar com o apoio do PSDB e do Cidadania para emplacar a chamada terceira via.

“Gostaria muito de ter o PSDB e o Cidadania junto conosco. Vamos aguardar a decisão das direções partidárias. Vamos continuar nossa Caminhada da Esperança. Vamos unir o país e tratar de sua reconstrução moral, institucional e poltica. O povo tem pressa e precisamos semear esperança”, finaliza.

Desistência de Doria

No início da tarde desta segunda-feira, João Doria (PSDB) desistiu de sua candidatura por conta da falta de apoio político do partido. Em pronunciamento, ele afirmou que vai se retirar da disputa por acreditar que a cúpula do partido vai escolher um outro nome com mais aderência interna

“Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve”, disse Doria após se reunir com a cúpula do partido. O PSDB deve deliberar o apoio à senadora Simone Tebet (MDB) em reunião da executiva nesta terça-feira (24).

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Ciro diz que polarização pode criar um ‘estelionato eleitoral’ no país

Publicados

em

Ciro Gomes no Roda Viva
Reprodução/Youtube

Ciro Gomes no Roda Viva

Ciro Gomes , candidato do PDT nas eleições presidenciais, criticou a polarização política entre esquerda e direita observada atualmente no Brasil. De acordo com o pedetista, o país corre o risco de produzir um “estelionato eleitoral”.

“Se eu não conseguir salvar o Brasil desta absurda e despolitizada polarização, o aprofundamento dos ódios estará produzindo o maior estelionato eleitoral da história do Brasil”, afirmou. 

“Você vai ver o desastre se eu não conseguir salvar o Brasil”, completou o ex-governador do Ceará durante o programa Roda Viva, exibido na TV Cultura. 

Corrupção

Durante o programa, Ciro foi questionado sobre o fato de, mesmo tendo como um dos principais focos da sua campanha a luta anticorrupção com a intenção de atingir tanto Lula e Bolsonaro, os seus números nas pesquisas ainda estarem muito abaixo dos seus adversários nas eleições. 

Em resposta, ele lamentou o fato de alguns grupos estarem “relativizando” a corrupção no país com o intuito de continuarem apoiando tanto o candidto do PT, como o atual chefe executivo do país.

“Se você tem uma elite, intelectuais, cientistas, artistas, juventude, relativizando valores, essa sociedade está doente”, disse Ciro.

“Isso destrói uma nação. Bolsonaro e Lula são dois corruptos, dois corruptores, e nós estamos fazendo de conta que não estamos vendo isso”, completou o ex-governador. 

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana