artigos

Doença Cardiovascular nos Homens e nas Mulheres é igual?

Publicados

em

Por Max Lima

Será que o corpo do homem e da mulher é igual? A reposta é não é.  Entre os corpos femininos e masculinos há diferenças anatômicas, fisiológicas e funcionais.

Estas distinções biológicas se mostram presentes em diversos aspectos, perceptíveis ou não, tais como a estatura física, os pulmões, o cérebro, a estrutura musculoesquelética, o índice de massa corpórea e, como daremos foco aqui, o coração e os vasos sanguíneos

O coração da mulher é ligeiramente menor do que o do homem —cerca de dois terços do tamanho—, assim como o peso do órgão e a quantidade de sangue que ele ejeta, uma vez que a superfície corpórea feminina também costuma ser menor. Isso acaba influenciando nos batimentos.

Por bombear menos volume de sangue por minuto a cada batimento (volume sistólico) e por apresentar diferenças no ventrículo esquerdo (a parte do coração responsável por bombear o sangue pelo corpo), a pulsação tende a ser maior do que nos homens. Pesquisas confirmam que as frequências cardíacas médias das mulheres são mais aceleradas. Outra distinção está na circulação coronariana (dos vasos do coração). As artérias coronárias femininas são mais estreitas e, por influência de hormônios característicos das mulheres, a pressão arterial é mais baixa —só tende a ficar semelhante a dos homens com a chegada da menopausa, justamente o período que aumentam os riscos de eventos no coração.

Mas é preciso analisar fatores genéticos e de risco, além de outras complicações, como a endometriose, a síndrome do ovário policístico e até o uso de incorreto de anticoncepcional. As mulheres na pós-menopausa também estão mais sujeitas a uma súbita e incomum mudança na forma do músculo cardíaco, a chamada cardiomiopatia de Takotsubo ou “síndrome do coração partido que ocorre em resposta a um forte estresse emocional. A condição é caracterizada por dores no peito e mudanças na atividade elétrica do coração que imitam um ataque cardíaco. Há também uma tendência do aumento do colesterol e fica mais difícil controlar a glicemia (nível de açúcar no sangue).

De um modo geral, o infarto do miocárdio é mais frequente em homens a partir dos 55 anos e nas mulheres após 65. No entanto, estimativas apontam que a probabilidade de uma mulher morrer de infarto é 50% maior quando comparada aos homens.

Nas mulheres, o bloqueio ou entupimento das artérias ocorre pela combinação entre o calibre menor das artérias coronárias femininas com a presença e a probabilidade de aumento das placas de colesterol, fatores hormonais e, muitas vezes, o aumento da pressão arterial, diabetes, obesidade e tabagismo. Outro ponto relevante: a complicação para o sexo feminino geralmente não ocorre em um ponto só do coração, tornando o quadro mais grave.

Já nos homens, o ataque cardíaco tem como principal causa a obstrução nas artérias coronárias. Já as mulheres podem até ter um infarto sem haver obstrução coronária significativa. Elas desenvolvem mais frequentemente a doença microvascular, ou seja, uma disfunção de artérias extremamente finas que se ramificam das coronárias e não podem ser vistas pelo cateterismo. Os sintomas também podem apresentar variações. Neles, o infarto vem com os sinais clássicos e mais óbvios: dor no peito (irradiando para o braço), sudorese e palidez.

No grupo feminino é mais comum a falta de ar, náusea ou vômito, suor e uma dor breve no abdome superior ou nas costas. Assim, muitas acabam tendo um ataque cardíaco “silencioso”, ou seja, sem um sintoma evidente ou mesmo confundem o infarto com outras questões. E adiar a busca por atendimento emergencial nestes casos pode ser fatal.

A Doença Coronariana (DAC), por exemplo, é apresentada nos homens de sete a dez anos antes que nas mulheres. Enquanto eles ficam doentes como uma idade média de 55 anos, elas só irão apresentar o mesmo problema a partir dos 65 anos.

Vale lembrar que a alimentação adequada, aliada à prática de atividades físicas diárias, pode prevenir o surgimento de problemas cardiovasculares como o AVC e o infarto, em mulheres e homens.

Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida , Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194 – Email: [email protected]

 

Comentários Facebook
Propaganda

artigos

A beleza que comunica

Publicados

em

Por Fernanda Fernandes

Algum dia você parou para pensar na maquiagem como ferramenta de comunicação? A maquiagem embelezadora, clássica, pode ser a sua maior aliada em diversas ocasiões.

O brasileiro é vaidoso por natureza. Estudo da Euromonitor, empresa internacional de pesquisa de mercado, estima que o Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, do Japão e da China.

Nos dias de hoje a maquiagem se tornou indispensável para muitas mulheres, ela pode proporcionar autoestima, transmitir estilo, estado de espírito e comunicar ao mundo quem é você.

O conceito é simplesmente realçar a beleza da mulher. Esse é o meu propósito todas as vezes que pego em um pincel para embelezar uma pessoa.

A comunicação visual é a forma como o outro nos percebe, mas acima de tudo com nos vemos diante do espelho faz muita diferença, ou melhor, faz muito bem para o nosso autocuidado. Através da imagem pessoal podemos valorizar o nosso posicionamento diante do nosso público, e a maquiagem pode ser uma potencializadora desse resultado, como por exemplo, harmonizando o tom da pele cansada, com olheiras depois de uma noite mal dormida, proporcionando suavidade e uma pele com aspecto saudável.

Hoje, as mulheres não procuram os serviços de uma maquiadora profissional apenas quando tem um evento, a demanda aumentou muito para outras ocasiões como por exemplo para ensaio de fotos profissional, e até curso de automaquiagem para aprender a se maquiar no dia a dia.

Também existem regras na maquiagem, mas eu não uso, respeito a forma do rosto da mulher para que ela olhe no espelho e se admire e não ache que está com aparência de outra pessoa.

Prezo muito pelo cuidado com a pele, o momento skin care faz toda diferença, e a maquiagem entra como um suporte, respeito o gosto de cada um, mas me admira a beleza real, limpa, leve que a maquiagem também proporciona.

Carrego na alma a naturalidade do belo. Da beleza que comunica!

O meu propósito me fez realizar um grande sonho, conquistar o meu Studio Fernanda Fernades Makeup.  Engana-se quem ainda analisa como futilidade a área, o setor da beleza é extremamente rentável, pois a maquiagem me proporcionou sair de um emprego de salário fixo para faturar 5x mais.

Fernanda Fernandes é maquiadora profissional, especialista em maquiagem clássica, empreendedora, mãe, apaixonada por maquiagem. Também possui formações técnicas em designer e micropgmentação de sobrancelhas. Especialista em valorizar a beleza natural através da maquiagem – Siga no instagram @fernanda.fernandesmakup

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana