cultura

Documentário dedicado a Vera Capilé reúne artistas da cultura mato-grossense

Publicados

em

A cantora e compositora Vera Capilé comemora 60 anos de carreira neste ano. Natural de Dourados (MS), a artista é dona de um carisma peculiar. Seu dom artístico é sempre ressaltado. Ela começou a cantar ainda menina e com seu talento, conquistou lugar especial entre os notáveis da cultura mato-grossense.

Para homenageá-la, a produtora cultural Tatiana Horevicht inscreveu o projeto “Homenagem à Vera Capilé” no Edital Conexão Mestres da Cultura – Marília Beatriz de Figueiredo Leite, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

O projeto contempla um documentário dirigido pela filha da artista, Juliana Capilé. O filme “interage” com outros dois produtos: um livro, organizado pelo historiador Luiz Gustavo Lima e uma coletânea em CD, com clássicos da carreira da artista.

“É uma honra fazer um filme sobre minha mãe. O lado mãe eu já conhecia, claro. Mas foi muito emocionante ouvir o que as pessoas têm a dizer sobre ela, o quanto ela é amada, como se tornou referência para outros artistas e de como os amigos têm tanto apreço por uma pessoa que consideram generosa e solidária”, diz Juliana.

Ela conta que o documentário – chamado “Filhote desse lugar” – está recheado de contribuições especiais, de amigos que se tornaram parceiros musicais e vice-versa. Entre os quais, estão Habel Dy Anjos, Dona Domingas, Deize Águena, Vitória Basaia, Júlio César Carvalho, Glória Albues, Ivens Scaff, Lúcia Palma e Jaime Okamura. O documentário conta também com relato do professor Waldir Bertúlio, companheiro de Vera Capilé.

“A gente já tinha ouvido um monte de histórias sobre ela, essas várias visões que as pessoas tinham nos mostrado. E quando a gente viu aquela pessoa despojada, desapegada de qualquer vaidade, a gente entendeu ainda mais de onde vem tanto carinho e admiração por esta mulher”, diz Juliana.

A conversa reservada a Vera foi deixada para o último dia de filmagem, no quintal da casa dela, uma chácara, rodeada de verde. Ela estava bastante à vontade, com os pés no chão e o violão a tiracolo.

O lançamento do documentário, assim como dos outros dois produtos, está previsto para abril.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Novo single de Paula Shaira está disponível nas plataformas streaming

Publicados

em

A nova música de trabalho da cantora e compositora cuiabana, Paula Shaira, a canção “Bilhete”, ganhou videoclipe. A produção contou com time especial de profissionais do audiovisual mato-grossense. O clipe está disponível no canal oficial da SUMAC Records no YouTube.

A gravação da música e a produção do videoclipe foram viabilizadas graças à seleção do projeto no edital MT Nascentes, realizado pelo Governo de Mato Grosso via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

André Zambonini, diretor responsável pela produção, liderou uma equipe de mais de 20 pessoas, nas gravações do clipe. Para a direção de fotografia, contou com Rosano Mauro. “Diante da situação de pandemia, tivemos que readequar o roteiro sugerido por Paula. Busquei atender as expectativas da artista, mas fui para um caminho muito mais intimista, até mesmo para reduzir o número de pessoas no set”.

O roteiro inicial previa a presença de duas mulheres mais velhas para representar a passagem de tempo, a construção do amor entre duas mulheres. No entanto, Zambonini optou por trabalhar apenas com Paula e a atriz Malu Senna.

“Foi então que na pós-produção utilizei filtros e efeitos para representar lembranças. Também apostei em planos mais fechados”, explica Zambonini. Para arrematar, o toque do figurino e maquiagem, assinados por Carla Fernanda e Evelyn Silva, respectivamente, imprimiram a estética dos anos 80.

André destaca que esteve alinhado não só às expectativas da artista, como também, à intenção do produtor musical, Lucas Oliveira. “O recurso percussivo da máquina de escrever foi realçado na produção de arte do videoclipe”, destaca.

E Paula Shaira, que além de conceber a ideia do roteiro, cantar, tocar e atuar no videoclipe, também foi para o lado do editor Willian Kanashiro, para acompanhar todo o processo de montagem.

“Gosto muito de me inteirar sobre os processos do meu trabalho, então, fiz questão de participar de tudo”. Ela conta que aprendeu muito com o amigo Paul Domingos, que é cineasta e ensinou muito a ela sobre produção audiovisual.

“Desde que ouvi os primeiros resultados da produção, a música já me guiou para a estética do videoclipe. Compartilhei minhas ideias com André e ele aprovou: fomos para o lado do campo, aquela sensação bucólica e saudosista tinha que ter”. O videoclipe, segundo Paula, mostra um amor proibido.

“E atuar com a Malu Senna foi perfeito. Ela é minha amiga de infância, tivemos uma história bem legal, parecida com o clipe. Mas hoje somos grandes amigas. Tenho muito a agradecê-la”.

O editor Willian Kanashiro avalia que o trabalho de montagem fluiu muito melhor porque Shaira estava do lado. Chegamos a um resultado muito bom. Ter o artista ao lado, compartilhando as ideias e qual o resultado que se deseja chegar, é muito mais interessante. Admiro muito a versatilidade dela”, diz Kanashiro.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Paula Shaira, acesse os perfis da artista no Deezer, Spotify e seu canal oficial no Youtube.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana