POLÍTICA NACIONAL

Dinheiro na cueca: Chico Rodrigues retoma mandato no Senado

Publicados

em


source
Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)
Senado Federal

Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)

Nesta quinta-feira (18), o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que estava de licença após ser flagrado com  dinheiro na cueca em outubro do ano passado , reassumiu o mandato. O retorno de Rodrigues ao cargo foi liberado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF ), Luís Roberto Barroso.

O parlamentar foi flagrado com uma quantia de R$ 33 mil nas roupas íntimas durante uma operação da Polícia Federal (PF) na casa dele. Durante o mandado de busca de apreensão, Rodrigues passou por revista três vezes. Em todas, os agentes encontraram cédulas na cueca dele. O senador é acusado de desviar recursos da Covid-19, mas nega as acusações.

Atualmente, o sistema do Senado coloca Rodrigues como parlamentar “em exercício”. Ele pode pedir um novo período fora do cargo, o que não ocorreu até o momento, segundo o Estadão . A Constituição e o regimento interno do Senado afirmam que um parlamentar não pode se licenciar do mandato por mais de 120 dias em um ano. Como Rodrigues foi licenciado em outubro, ele ainda pode ficar mais dois meses e meio afastado.

Embora Barroso não tenha prorrogado o afastamento do senador, o ministro decidiu mantê-lo fora da comissão criada para discutir os valores destinados a Estados e municípios com o objetivo de combater a pandemia da Covid-19 . O senador também é alvo de uma representação no Conselho.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Na gestão Bolsonaro, orçamento ‘paralelo’ é maior que nos governos Temer e Dilma

Publicados

em


source
Emendas de congressistas dão salta na gestão Bolsonaro
Matheus Barros

Emendas de congressistas dão salta na gestão Bolsonaro

A média do orçamento de emendas anuais de relator aprovadas pelo Congresso teve um aumento considerável na gestão de Jair Bolsonaro (sem partido). O salto é quatro vezes maior que no governo de Michel Temer e cinco vezes maior que durante o mandato de Dilma Rousseff (PT). As informações foram levantadas pelo portal UOL .

O episódio conhecido como “Orçamento Paralelo” se trata de trocas orçamentárias entre parlamentares e ministérios, que não constam nos portais de transparência do governo. Além disso, foi apelidado de “tratoraço”, já que houve compra excessiva de máquinas agrícolas. 

Em resposta ao UOL , um levantamento da Consultoria de Orçamento da Câmara mostra que os congressistas propuseram R$ 20,7 bilhões em emendas na atual gestão. As cifras são menores nos governos Temer (R$ 4,8 bilhões) e Dilma (R$ 3,8 bilhões), em média, por ano. 


Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana