POLÍTICA NACIONAL

“Dia feliz para os cristãos”, diz Bolsonaro sobre aprovação de Mendonça ao STF

Publicados

em


source
Reprodução/Flickr

“Dia feliz para os cristãos”, diz Bolsonaro sobre aprovação de Mendonça ao STF

presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (02), durante cerimônia de formatura na Escola de Sargentos de Logística, no Rio de Janeiro, que trata-se de um “dia bastante feliz para os cristãos”. A menção trata-se de uma referência a aprovação de André Mendonça no Senado para o Supremo Tribunal Federal (STF).

“Hoje, para mim, para todos nós e para os cristãos também é um dia bastante feliz. No dia de ontem, nós conseguimos enviar para o Supremo Tribunal Federal um homem terrivelmente evangélico, um compromisso nosso, de mandar para a Suprema Corte um homem que tem Deus no coração”, disse o capitão do Exército.


Após a aprovação de sua indicação para a Suprema Corte, Bolsonaro agradeceu aos 47 senadores que votaram de maneira favorável à ida de Mendonça ao STF. Segundo o mandatário, o “compromisso de levar ao Supremo um “terrivelmente evangélico” foi concretizado.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Filhos de Bolsonaro usam R$ 500 mil do Congresso, mas não aprovam nada

Publicados

em

 

 

source
Bolsonaro e filhosBolsonaro e filhos

Os dois filhos do presidente Jair Bolsonaro que atuam no Congresso Nacional tiveram desempenho irrelevante em 2021 quando o assunto é projeto de lei. Ao todo, Eduardo e Flávio, o “01” e o “03”, apresentaram 6 textos ao Legislativo, mas nenhum deles sequer foi votado. A informação é do colunista do GLOBO, Ancelmo Góis.

Segundo o portal da Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro gastou R$ 359.929,03 de verba parlamentar no ano passado. Já Flávio custou aos cofres do Senado R$ 113.883,40 no ano passado. Juntos, somam quase R$ 500 mil (R$ 473.812,43).

Confira:

Flávio foi mais ativo, apresentou cinco dos projetos: dois que tratam de aspectos econômicos e três que falam do ordenamento jurídico. Um deles, por exemplo, quer criminalizar atividades culturais que envolvam nudez para menores de 14 anos.

Já Eduardo apresentou apenas um projeto. Sugeriu em 10 de dezembro lei que altera regras sobre a vigilância epidemiológica no país e a vacinação. Em síntese, o deputado quer “proteger” aqueles que não se vacinaram.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana