economia

Dia da Mulher: Elas lideram 10,1 milhões de empreendimentos no Brasil

Publicados

em


source
Mulheres empreendedoras ainda são minoria
Divulgação

Mulheres empreendedoras ainda são minoria

Um estudo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) aponta que o empreendedorismo feminino no Brasil apresentou sinais de recuperação no último trimestre do ano passado, depois de sofrer retração a partir dos primeiros meses da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O estudo, realizado com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnadc), mostrou que após recuar para um total de 8,6 milhões, no segundo trimestre de 2020, o número de mulheres à frente de um negócio no país fechou o quarto trimestre de 2021 em 10,1 milhões, mesmo resultado registrado no último trimestre de 2019, antes da pandemia.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Apesar dessa evolução, a participação das mulheres empreendedoras no universo de donos de negócio no Brasil (34%) ainda está abaixo da melhor marca histórica, registrada no 4º trimestre de 2019, quando elas representavam 34,8% do total.

O estudo do Sebrae indica ainda que a participação feminina entre os donos de negócios empregadores também continua abaixo do período pré-crise. No final de 2019, havia 1,3 milhão de donas de empresas que contratavam empregados, o que representava 13,6% do total das donas de negócio. Já no final do ano passado, esse número havia recuado para 1,1 milhão (11,4% do universo).

Os dados mostram que 50% das proprietárias de negócios de estão no setor de serviços, enquanto 21% estão no setor de construção. Em relação aos homens, 35% dos donos de negócios se concentram no setor de serviços, enquanto 21% estão no setor de construção.

Leia Também

Ainda segundo a pesquisa, aumentou a proporção de mulheres que são chefes de domicílio. Em 2019, elas eram 47% e no último trimestre de 2021 as empreendedoras chefes de domicílio representaram 49% do total.

Por outro lado, diminuiu a participação das mulheres negras à frente dos negócios. Enquanto no último trimestre de 2019, antes da pandemia, elas eram 50,3% das donas de negócio, no último trimestre do ano passado, elas passaram a responder por 48,5%. Já as mulheres brancas passaram de 48,4% das donas de negócio para 49,9%.

O Sebrae mostra que a escolaridade das mulheres que estão empreendendo aumentou e que a diferença do número de mulheres com pelo menos o nível médio aumentou em relação aos homens entre o último trimestre de 2019 e o mesmo período de 2021.

No quarto trimestre do ano passado, 68% das empreendedoras tinham pelo menos o ensino médio. Entre os homens, essa proporção era de 54%. A variação no período foi de 11 pontos percentuais entre as mulheres e 4 pontos entre os homens.

A pesquisa mostrou crescimento da participação feminina nos setores de informação/comunicação e educação/saúde. Entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período do ano passado, a presença das empreendedoras cresceu 3 pontos percentuais e 4 pontos, respectivamente.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Coca-Cola lança refrigerante sabor sonho

Publicados

em

O nova Coca-Cola Dreamworld foi
Reprodução/Colca-Cola/AdAge

O nova Coca-Cola Dreamworld foi “inspirada no mundo tecnicolor dos sonhos”

A Coca-Cola está lançando um novo sabor, e que estará disponível por tempo limitado. O produto leva o nome de Dreamworld e tem gosto de nada mais nada menos que …sonhos.

De acordo com reportagem da CNN, o “Dreamworld” é a quarta bebida a ser lançada a partir da Coca-Cola Creations, a nova plataforma de inovação da marca que se concentra em itens com um componente digital.

Antes, a Creations lançou a Starlight (com sabor de espaço) e a Byte (com sabor de pixel). O terceiro produto, lançado no início do verão no Hemisfério Norte, tinha um sabor mais tradicional, de morango e melancia, e foi desenvolvido em parceria com Marshmello, um DJ e produtor de música eletrônica indicado ao Grammy.

A Coca-Cola aposta em uma experiência imersiva com música e realidade aumentada. Produtos como “Dreamworld”, que anunciam um conceito em vez de um sabor, são uma forma de estimular o interesse em torno da Coca-Cola e busca trazer públicos mais jovens para a plataforma, diz a CNN.

“Queríamos criar uma bebida inspirada em sonhos que fosse claramente uma Coca-Cola, mas com sugestões adicionais que trazem à vida a diversão e o brilho dos sonhos. Nos inspiramos no mundo tecnicolor dos sonhos, adicionando uma pitada de sabores vibrantes ao nosso excelente sabor da Coca-Cola”, disse um porta-voz da empresa.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Há alguns anos, a Coca-Cola reduziu seu portfólio pela metade, abandonando produtos tradicionais e adorados pelo público, como o Tab, um refrigerante diet lançado no mercado em 1963 e descontinuado em 2020.

Com menos produtos, tornou-se ainda mais importante para a empresa despertar o interesse pela própria Coca-Cola. O problema é que as vendas de refrigerantes comuns estão diminuindo em todo mundo e, diante deste cenário, era preciso ser criativa.

Cada sabor da Coca-Cola Creations é lançado junto com uma experiência online especializada, e o Dreamworld não é exceção. As latas e garrafas do Dreamworld vêm com códigos QR que dão acesso a uma “experiência musical” virtual de realidade aumentada, onde é possível ouvir música através de um avatar de DJ e jogar. Os clientes também podem obter roupas digitais inspiradas na Dreamworld para seus avatares usarem on-line.

Quem quiser experimentar a Dreamworld pode comprá-la nos Estados Unidos e no Canadá a partir da próxima segunda-feira, dia 15, por tempo limitado. O produto estará disponível nas versões normal e zero açúcar.

* Com agências internacionais

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana