lucas do rio verde

Desarticulado grupo de roubo de defensivos; carga é recuperada

Na ação, um policial foi ferido pelos criminosos

Publicados

em


PJC MT

Carga de defensivos agricolas

Carga de defensivos agrícolas é recuperada

Uma carga de defensivos agrícolas avaliada em R$ 1,2 milhão foi recuperada em ação realizada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (08.10), em Lucas do Rio Verde (357 km ao Norte da Capital).

A ação resultou na desarticulação de um grupo criminoso especializado em roubos e receptação de defensivos. Durante as diligências houve confronto entre os policiais e os criminosos, resultando em um policial, que foi ferido de raspão, e três integrantes da quadrilha atingidos.

Entre os suspeitos estão Johne Ribeiro da Silva, que morreu no local; Kassiano Camargo, socorrido e internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de uma unidade do município e Reinald Stephanio Arouca de Moura, preso nesta quarta-feira (09), atingido com um disparo no pé.

A equipe da GCCO já investigava a organização criminosa há algum tempo pelo envolvimento do grupo em crimes de roubo e receptação de defensivos agrícolas, no interior do estado. A Polícia Civil recebeu informações de que a quadrilha faria o transporte de uma carga roubada, na terça-feira (08), em Lucas do Rio Verde.

Com base no levantamento, equipes da GCCO coordenadas pelo delegado Frederico Murta foram até a cidade, onde após trabalho de monitoramento, flagraram cinco integrantes da organização criminosa, em via pública no bairro Parque das Emas II, fazendo o transbordo de dos produtos agrícolas de um caminhão-baú para uma caminhonete Ford Ranger.

No momento da abordagem policial, os criminosos reagiram à ação, efetuando disparos de arma de fogo contra as equipes, fugindo em direção aposta e ainda tentaram jogar os veículos contra os policiais. Foram efetuados disparos contra os pneus do veículo, porém, eles aceleraram ainda mais com objetivo de atingir as equipes que faziam o cerco policial.

PJC MT

Na tentativa de fuga

Na tentativa de fuga os bandidos bateram em um muro de residência

Na troca de tiros, um policial foi atingido e dois dos suspeitos foram baleados, um deles, Johne Ribeiro da Silva, morreu no local e outro, Kassiano Camargo, foi socorrido e está na UTI.

Toda a carga de defensivos que estava com o grupo foi apreendida – são mais de 215 galões de 20 litros e 50 caixas de defensivos – totalizando 5 mil litros de agrotóxicos avaliados em aproximadamente R$ 1,2 milhão, além de um revólver calibre 38 que estava em poder dos suspeitos.

 

Em continuidade às diligências, policiais da GCCO e da Delegacia de Lucas do Rio Verde conseguiram prender o terceiro integrante do grupo nesta quarta-feira (09). O suspeito foi conduzido à delegacia do município, onde após ser interrogado pelo delegado Daniel Santos Nery, foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação, associação criminosa e tentativa de homicídio tendo policiais como vítimas.

Segundo o delegado da GCCO, Frederico Murta, que coordenou as investigações, grande parte da carga recuperada foi roubada pelo grupo no dia 05 de outubro, na cidade de Itanhangá, ocasião em que 12 homens armados amarraram as vítimas e fugiram levando reféns.

“É uma organização criminosa especializada e fortemente articulada, com vários integrantes. No decorrer das investigações o grupo poderá responder por outros crimes como a participação em diversos roubos de defensivos”, disse o delegado.

 

* Com informações PJC MT

 

Comentários Facebook
Propaganda

lucas do rio verde

Serviço de Água e Esgoto alerta para ligações clandestinas e violação nos hidrômetros

Publicados

em

Todos os anos, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Lucas do Rio Verde contabiliza dezenas de ocorrências relacionadas ao furto de água e adulteração de hidrômetro em residências e estabelecimentos comerciais e setor industrial da cidade.

O desvio da água geralmente é feito por meio de ligação clandestina, desviada do hidrômetro diretamente para o interior do local, assim, o Saae não tem como aferir o consumo e cobrar pelo fornecimento.

Outra prática comum é a violação do hidrômetro. O método consiste em colocar uma agulha, palito e até arame dentro do aparelho, bloqueando o ponteiro de marcação do consumo da água, fazendo com que o valor da tarifa fique bem abaixo do normal.

“Essas são as fraudes mais comuns que temos detectado, mas existem outras que, somadas, causam prejuízos significantes, comprometendo de alguma maneira os investimentos em melhoramento do sistema de distribuição de água”, pontua o fiscal de rede do Saae, Valdiano da Silva Sousa.

FISCALIZAÇÃO

O consumidor que fraudar hidrômetro ou desviar água clandestinamente, além de pagar multa, pagará por um novo hidrômetro e responderá criminalmente pela fraude. A punição com multa está prevista no Decreto Municipal nº 1.083/2002, no artigo 108, e conta com revisão do valor dos custos das infrações, descritas no Decreto nº 2.544/2013.

Quando verificada irregularidade, o Saae é obrigado a registrar o Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia, dando início ao inquérito policial.

Veja na tabela anexa as infrações que podem resultar em multa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana