economia

Deputados tentam adiar reajuste da conta de luz

Publicados

em

source
Deputados se reúnem com Aneel para tentar adiar reajuste na conta de luz
Fernanda Capelli

Deputados se reúnem com Aneel para tentar adiar reajuste na conta de luz

 Deputados vão se reunir com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para discutir uma solução para os reajustes nas tarifas de energia elétrica nesta quarta-feira (18). Desde o início de maio, os parlamentares querem adiar aumentos na conta de luz.

Essa é uma preocupação do governo em ano eleitoral. O aumento nas tarifas de energia pressiona a inflação, o que afeta diretamente a popularidade do presidente Jair Bolsonaro, que tenta a reeleição.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o perfil geral do Portal iG .

O resultado desse encontro vai definir o andamento de um projeto de lei que suspende o aumento na conta de luz que foi autorizado pela agência reguladora no Ceará, e que pode ser estendido para todos os estados.

O argumento dos deputados é de que os reajustes nas contas de luz, neste momento, estão em descompasso com a situação do país, e que pressionariam ainda mais a inflação.

Já a Aneel argumenta que todos os reajustes concedidos atendem aos critérios estabelecidos em contrato e suspendê-los aumentaria a insegurança jurídica.

O deputado Danilo Forte (União-CE), que faz parte da Comissão de Minas e Energia da Câmara, avalia que o projeto é uma medida extrema, mas que os deputados estão sem alternativa:

“Se as distribuidoras (de energia), agências reguladoras e o Ministério de Minas e Energia não apresentarem uma solução imediata, a gente fica sem alternativa (a não ser votar a proposta).”

Forte reconhece que a pressão popular e a proximidade com a eleição fazem com que esse debate ganhe mais peso no momento, mas avalia que essa não é uma bandeira populista, e sim estratégica.

Especialistas do setor elétrico alertam que suspender o aumento agora é empurrar um problema com a barriga, porque ele será repassado ao consumidor em outro momento.

Essa reunião para a discussão específica dessa proposta foi definida nesta terça-feira (17), durante encontro de lideranças com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Devido a complexidade do debate, foi decidido que o melhor seria agendar um acordo para discutir apenas essa proposta. Além de representantes da Aneel, é esperada a presença de integrantes do Ministério de Minas e Energia.

A proposta que tramita na Câmara foi apresentada pelo deputado Domingos Neto (PSD-CE), e é relatada pelo deputado Vaidon Oliveira (União-CE). Como o texto teve o pedido de urgência na tramitação aprovado por ampla maioria dos parlamentares, ele pode ser votado em Plenário a qualquer momento. Seria via relatório ou emenda que o projeto abrangeria todos os estados, além do Ceará.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Preço do diesel e gasolina sobem nas bombas e batem recorde, diz ANP

Publicados

em

source
Diesel ultrapassou a gasolina em preço médio pela primeira vez, diz ANP
MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL

Diesel ultrapassou a gasolina em preço médio pela primeira vez, diz ANP

O diesel subiu pela terceira semana seguida nos postos, diz a pesquisa de preços da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Na bomba, a gasolina também voltou a crescer para os consumidores após recuo na última semana.

Segundo a ANP, o preço médio do diesel passou de R$ 6,906 para R$ 7,568. É o maior preço médio já verificado na pesquisa do órgão regulador. É uma alta de 9,58% nessa semana.

O mesmo patamar recorde foi verificado na gasolina, que avançou de R$ 7,23 para R$ 7,390, um aumento de 2,18%.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O avanço dos preços nos postos reflete o aumento anunciado pela Petrobras há uma semana. Desde o último sábado, a gasolina subiu nas refinarias de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro, um aumento de 5,18%. Com o diesel, o preço por litro aumentou de R$ 4,91 para R$ 5,61, o que equivale a um reajuste 14,25%.

Mas, apesar do reajuste feito pela Petrobras, os preços dos combustíveis seguem defasados no Brasil, segundo a Abicom, que reúne os importadores. A diferença é de 8% (R$ 0,34 por litro) no caso da gasolina e de 10% no diesel (de R$ 0,61 por litro).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana