TECNOLOGIA

Delete já! Aplicativos Android roubam login e senha do Facebook; veja quais

Publicados

em


source
Veja a lista de apps maliciosos
Unsplash/Rob Hampson

Veja a lista de apps maliciosos

O Google baniu nove aplicativos da loja Google Play Store por roubo de dados. Todos eles ofereciam serviços aparentemente legítimos, mas roubavam o login e a senha do Facebook de seus usuários.

Um dos apps tinha mais de cinco milhões de downloads, e a descoberta da fraude foi feita por pesquisadores de segurança do Dr. Web. A estratégia dos aplicativos era enganar os usuários para que eles entregassem os dados do Facebook . Para isso, era possível desabilitar os anúncios dentro dos apps caso um login com a rede social fosse realizado.

Quando os dados eram digitados, a página os roubava através de cinco programas maliciosos. Depois da descoberta, o Google optou por excluir os aplicativos para Android e bloquear seus desenvolvedores, que não podem mais publicar novos apps.

Ainda assim, quem tem esses aplicativos instalados deve excluí-los. Além disso, a orientação é redefinir a senha do Facebook e ativar a autenticação de dois fatores na rede social . Confira a lista de apps:

  • PIP Photo (mais de 5 milhões de downloads)
  • Processing Photo (mais de 500 mil downloads)
  • Rubbish Cleaner (mais de 100 mil downloads)
  • Inwell Fitness (mais de 100 mil downloads)
  • Horoscope Daily (mais de 100 mil downloads)
  • App Lock Keep (mais de 50 mil downloads)
  • Lockit Master (mais de 5 mil downloads)
  • Horoscope Pi (1 mil downloads)
  • App Lock manager (10 downloads)

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Apple Store atualiza regras de pagamento; veja o que muda

Publicados

em


source
Acordo judicial permite que desenvolveres entrem em contato direto com o consumidor, mas não resolve disputa com Epic Game
Bruno Gall De Blasi

Acordo judicial permite que desenvolveres entrem em contato direto com o consumidor, mas não resolve disputa com Epic Game

A Apple atualizou as regras da App Store para permitir que os desenvolvedores entrem em contato direto com os usuários para pagamentos, trata-se de um acordo judicial com as empresas que questionavam o controle da gigante americana sobre a loja.

Na primeira semana de outubro, a Apple disse pretendia adiar a implementação das mudanças mais significativas no modelo de negócio da App Store desde o começo das atividades, em 2008. Isto porque, a revisão, no centro do debate sobre o funcionamento da big tech , pode custar à empresa bilhões de dólares anualmente.

Com as novas regras, os desenvolvedores agora podem contatar os consumidores diretamente sobre métodos de pagamento alternativos, contornando a comissão de 15% ou 30% da Apple.

Eles poderão pedir aos usuários informações básicas, como nomes e endereços de e-mail, “desde que essa solicitação seja opcional”, informou a fabricante do iPhone.

A Apple propôs as mudança, em agosto, em um acordo judicial com pequenos desenvolvedores de aplicativos.

Mas é improvável que a concessão satisfaça empresas como a Epic Games, desenvolvedora do “Fortnite”, com quem a Apple tem uma disputa de longa data sobre sua política de pagamento.

Leia Também

A Epic abriu um processo com o objetivo de quebrar o controle da Apple sobre a App Store, acusando a empresa de operar um monopólio em sua loja de bens e serviços digitais.

Em setembro, um juiz ordenou que a Apple afrouxasse o controle das opções de pagamento na App Store, mas concluiu que a Epic não poderia provar violações antitruste.

Ambas as partes interpuseram recursos.

Para a Epic e outros desenvolvedores, a capacidade de redirecionar os usuários para um método de pagamento fora do aplicativo não é suficiente – eles querem que os jogadores possam pagar diretamente sem sair do jogo.

A Apple também enfrenta investigações nos Estados Unidos e na Europa por alegações de abuso de posição dominante.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana