Educação

Defensoria Pública ajuiza ação pedindo que UFF convoque mais calouros

Publicados

em


A Defensoria Pública da União (DPU) no Rio de Janeiro ajuizou ação civil pública pedindo o imediato preenchimento de todas as vagas remanescentes do processo seletivo realizado por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o primeiro semestre de 2021 na Universidade Federal Fluminense (UFF). 

O pedido foi feito após o anúncio de que a instituição realizaria, neste semestre, apenas duas chamadas para o preenchimento das vagas. Em anos anteriores, a UFF fez mais do que duas convocações de estudantes para preenchimento das vagas. No ano passado, por exemplo, foram cinco chamadas. 

A universidade diz que a mudança ocorreu porque precisou se adaptar ao contexto de pandemia, de restrição orçamentária e também aos prazos para que possa cumprir o calendário letivo previsto para esse ano. A instituição reconhece, no entanto, que, em anos anteriores, com mais convocações, as vagas não foram completamente preenchidas.

Candidatos que participaram do processo seletivo e estão em lista de espera organizaram-se para pedir que sejam realizadas mais chamadas até que as vagas sejam todas preenchidas. 

O defensor regional de Direitos Humanos no Rio de Janeiro, Thales Arcoverde Treiger, que assina a ação, destaca que, se há vagas disponíveis, “não há motivo algum para não as preencher, especialmente em se tratando de uma universidade pública, onde centenas de estudantes se beneficiarão de uma oportunidade única, a fim de garantir um futuro melhor para si e, consequentemente, para sua família.”

Treiger ressalta que estudantes deixaram de ingressar em outra universidade para optar pela UFF. Ele diz ainda que, “com essa medida da UFF, centenas de vagas deixarão de ser preenchidas, dentre elas vagas reservadas a estudantes negros e de baixa renda. São espaços que já se encontram reservados aos estudantes, havendo professores locados, salas designadas e estrutura para acolhê-los”, diz o pedido.

A ação, que aguarda julgamento, pede o imediato preenchimento de todas as vagas remanescentes do processo seletivo realizado por meio do Sisu, por meio da utilização prioritária da lista de espera disponibilizada pelo próprio sistema.

Edição: Nádia Franco

Comentários Facebook
Propaganda

Educação

Terminam hoje as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade

Publicados

em


Terminam hoje (18) as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade – o Encceja PPL 2020.

As provas para o ensino fundamental e médio serão aplicadas nos dias 13 e 14 de outubro deste ano. As inscrições de pessoas privadas de liberdade e jovens que estão sob medidas socioeducativas devem ser feitas pelo responsável pedagógico. Cabe a ele entrar na página do participante, fazer a inscrição dos interessados, verificar a divulgação dos resultados e determinar as salas de provas dos participantes, assim como a transferência entre as unidades, caso seja necessário. Também cabe ao profissional excluir do exame aqueles que tiverem a liberdade decretada.

No momento da inscrição é preciso selecionar qual o tipo de prova que deseja fazer: Encceja para ensino fundamental – idade mínima de 15 anos completos no dia de realização do exame – ou Encceja para ensino médio.

Para o ensino médio é exigida idade mínima de 18 anos completos na data de realização do exame. Ainda na inscrição, o responsável pedagógico precisa selecionar as áreas que o candidato deseja. Aqueles que têm declaração de proficiência parcial em algumas áreas não precisam repetir a prova. Já quem não possui essa declaração deve marcar todas as alternativas.

Provas

As provas do Encceja PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Encceja regular. A diferença entre elas é a aplicação, que ocorre dentro de unidades prisionais e socioeducativas. Podem participar jovens e adultos brasileiros que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos de nível básico na idade adequada. São quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, além de uma redação.

Como é

O Encceja é uma prova criada em 2002 pelo Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep para avaliar o conhecimento das pessoas que voltaram a estudar porque não conseguiram concluir o ensino fundamental ou médio na idade adequada. Um bom resultado no exame garante ao estudante o certificado de conclusão dos estudos com o mesmo valor de um diploma de uma escola de ensino fundamental ou médio.

Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana